24 de março de 2009

Origens e Inspiração.


 




Diz-se que quem esta inspirado se habilita a criação (e neste caso, ao contrário do verbo “To Be”, ser e estar não podem ser usados da mesma forma). Esta inspiração se baseia as vezes em algo, alguém, ou qualquer coisa que sejamos capazes de captar, da forma que for:
A inspiração não para de surgir, assim como as suas fontes, de boa ou má procedência, também não.
O dicionário dá mais pistas:

sf (lat inspiratione) 1 Ato ou efeito de inspirar ou de ser inspirado. 2 Coisa inspirada. 3 Coisa ou pessoa que inspira. 45 Sugestão de origem transcendente ou psíquica, ou de qualquer objeto que tem virtude genética sobre o artista para o excitar à produção e lha orientar. 6 Estro, força inspiradora. 7 A marca do gênio ou do talento na obra do artista. 8 Mús Pausa que dura a quarta parte de um compasso. 9 Fisiol Movimento de dilatação da cavidade torácica, que tem como conseqüência a entrada de ar para os pulmões. Sugestão, insinuação, conselho.

Mas, como surge a inspiração? Por que ela brota (ou deixa de brotar)?


Como fazer ela acontecer? Tudo indica espontaneidade, e isso anula a simulação.
Origens espontâneas...

Dia desses, através de um destes canais de TV especializados em documentários, vislumbrei a origem do universo, segundo as constatações dos elaboradores daquele científico programa.

O apresentador, trajado como Indiana Jones, em meio a um cenário descampado, reverenciava uma pequena poça borbulhante, em meio aos pedregais.

Essa era a estrela do programa: A poça!
Em pequenas nascentes como aquela, repleta de microscópicos seres, chamado “caldo” ou "sopa", teria surgido a vida na terra.

Dali, explicava o reporter-cientista, a existência das espécies do planeta tivera início.
Das simples poças, carregadas de seres monocelulares, acéfalos, desprovidos de vontade e raciocínio, deu-se nossa origem. Essas formas de vida foram se alterando, evoluindo, num mundo onde Deus tornou-se desnecessário, tornando-se (gradativamente ou em saltos, discute-se isso) sistemas orgânicos mais e mais complexos, até chegar ao ponto que se vê hoje...

Minha fé não é tamanha. 
É mais simples, mas também se baseia numa nascente, numa fonte. Minhas crenças apontam para a simplicidade de não embasar fatos a fé. Se algo precisa de fatos, então não é fé.

Gostaria de divulgar informações sobre a nascente na qual creio ter sido originado todas as coisas, mas ainda preciso beber meu gole diário, para me certificar que conseguirei expor a pureza de suas águas.

Zé Luís