terça-feira, 17 de novembro de 2009

O que Vale a Pena Lembrar


Zé Luís

Muitas vezes, as coisas não saem do jeito que desejamos que fosse.
O tempo passa, e descobrimos que as pessoas não são bem aquele belo retrato inicial, aquele sorriso feliz, aquele abraço emocionado. Começando por mim...
Vejo-me e já não sou o exemplo moral que pensei que fosse. Já não sou a resposta dos problemas de meu gueto.

O tal velho Adão que imaginei ter dominado está todo de fora, e em algum lugar do cômodo, tenho a certeza que uma gargalhada abafada ri de minha angustia, como se vingasse de minhas antigas vanglórias contra o inferno.

Os amigos se foram, e parece que todo esta solidão sempre esteve com seus braços frios abertos, esperando para seu abraço no dia de minha derradeira derrota.
Repenso minhas tristezas e busco imagens de minhas vitórias que mofam na estante de minha fraca memória. Inevitável não perguntar:

Vale a pena? - penso eu, em meio a indiferença em qualquer assunto. Toda a luta altruísta, toda as intenções e conquistas... Para quê?

Daí, lembro de que não sou pioneiro nesta cansativa labuta, nesta caótica sucessão de coisas sem sentido.

Imagino a poeirenta e pedregosa ladeira que é riscada por um tronco, melado de suor e sangue do ofegante condenado. Inocente, entre gemidos e lágrimas, com as carnes das costas expostas pelo chicote, ainda enfrentará seis horas desta sexta-feira agonizando nu, entre cravos enferrujados, ridicularizações e muita dores.

Sozinho, abandonado, traído, escarnecido, insiste em ir até o fim e cumprir seu estranho plano: morrer em lugar daquele que quer viver.
Não há explicações válidas.
Não há ninguém digno que valha tamanho sacrifício.

Sorrio então.
Sou um dos inválidos que aceita esta morte.
Não é por que valho algo que ele se sacrifica. É por que Ele vale.

Aquela gargalhada parece ser engolida, e vejo, pelo canto do olho, o vulto nojento bater em retirada, rabo entre as pernas, ouvindo agora a minha gargalhada.

O telefone toca, alguém pede ajuda.
É alguém que não sabe o que fazer, também esqueceu da cruz, como eu.
Tenho o que dizer e fico feliz por isso.

E mais um dia se põe, e sinto as mãos Dele me acalentarem.
E durmo, como dormem os justos, mesmo sabendo que não sou digno de seu sacrifício, mas tendo um Deus incompreensivelmente amoroso.
Comentários
6 Comentários

6 comentários

Pastoragente disse...

E aí, meu irmão? Graça e paz!
Poxa, fiquei impressionada em saber da sua história. Barra,hein??? Vc foi verdadeiramente escolhido pelo Senhor Deus.
Mas, me diz: A mudança do Google bagunçou alguma coisa no seu quadro de seguidores??
Se souber de alguma novidade, por favor, me passe.
Um abração.

Claudio Marcio disse...

Amém!
Oh, meu irmão... que benção esse seu post!
Sabemos que o Caminho ao lado de Cristo é de prática, e não só de confissão. Que Deus continue te abençoando, que o "que vale a pena lembrar" seja sempre lembrado, pois é essa a razão da nossa fé.
Se a nossa vida não puder ser vivida para o benefício de outros, então não vale a pena. E que Ele continue a nos manter em pé pra isso.
Um grande abraço e fique na paz do Senhor!

Anônimo disse...

A formalidade é tão bonita vista do lado de fora... Viver com os outros e ajudá-los é importante, fomos criados para isto. Porém a vida é uma dádiva individual. Esquecer-se de si não é previlégio...Quanta gente se esquece de si e vive para os outros e quando se vê, muitas vezes enxerga uma alma doente. A salvação se baseia: " eu e o Senhor". Quem afofa nossa cama no dia da dor? Se não o Senhor? No fim, os outros não podem acalentar o coração contrito.

Claudio Marcio disse...

Caro Anônimo: Não sei se entendi bem a salada que vc fez aqui, mas vamos lá: Vc disse "Viver com os outros e ajudá-los é importante, fomos criados para isto" Bom, quem nos criou foi o Senhor, certo? Ele que nos fez para o Seu propósito. Outra citação sua: "A salvação se baseia: ' eu e o Senhor'." Ora, segundo a Palavra "Não somos salvos pelas obras, mas pela fé" e "Porque somos feitura sua, criados em Cristo Jesus para as boas obras, as quais Deus preparou para que andássemos nelas."
Logo, concluo lhe dizendo que a salvação não é por obras, mas é impossível ser salvo sem elas. As obras testificam acerca da nossa fé. Então, é impossível a salvação se basear em "eu e o Senhor" sem que "eu" faça o que "o Senhor" deseja que eu faça.
Lembre-se do que Jesus respondeu ao doutor da Lei que lhe indagou como receber a vida eterna; após o doutor lhe dizer que a lei manda amar a Deus e ao próximo como a si mesmo, Jesus devolve "Então vá e faça o mesmo".
Um grande abraço!

Anônimo disse...

Caro Cláudio,

Creio que não compreendeu minhas palavras. Não disse que não devemos amar o próximo, Quando digo que é importante, simplesmente, manifesto minha cosnciencia de que somos um em Cristo e sozinhos não vivemos. Porém, o dia no qual estaremos diante do Senhor para sermos julgados, quem irá por nós? Por isso, disse "eu e o Senhor", ou acaso acha que alguém ,humano igualmente, se prontificará em nos defender. Quem pleiteia nossa causa? Ora o Senhor Jesus. Por mais que nos esforcemos para ajudar, ter boas obras, não somos merecedores da salvação (pois esta é pela graça)nem podemos livrar nossos amados dos infortúnios da vida. Por isso dizer:"Se a nossa vida não puder ser vivida para o benefício de outros, então não vale a pena. E que Ele continue a nos manter em pé pra isso" talvez, (eu estou dizendo talvez), não seja o suficiente para ajudar.
Nós não sabemos o quão pesada é carga um dos outros. Não sabemos por quais dores nosso amigo, editor do blog está passando, por mais que tente se expressar. Somente "ele e o Senhor" o sabem. Novamente a intimidade do indivíduo e Deus... Não estou pregando o individualismo, mas a consciência que apenas a Deus darei conta. Eu, o self.
É algo que está no intimo do coração, seja você ou eu, ou a pessoa que for.Ex: Você sabe de seus problemas, de suas tristezas, ou dúvidas, eu já não posso saber, nem julgar. Mas se eu disser a você: continue assim! Não estarei te ajudando. Entende? Por que "em seu lugar" não gostaria de ouvir isso(tudo um exemplo).

Resumindo: não adianta viver pelos outros, quando esquecemos de nós mesmos. Foi só isso que disse. Amar a Deus acima de todas as coisas e ao proximo como como a si mesmo... sim!!! Claro!
Porém, o amor não se baseia em palavras apenas. Sei que sabe disso...
É um prazer poder conversar com você.

Um abraço.

Claudio Marcio disse...

Caro amigo Anônimo,
Me perdoe por ter lhe compreendido errado. A primeira impressão que tive, era a de que você falava que "mais importante sou eu do que o outro", e ao reler seu post após essa última explicação, encontrei a coerência no que vc disse.
Às vezes, cometo isso: ao economizar palavras, ao querer ser muito sucinto no que digo, acabo sendo mal interpretado. Acho que foi o que ocorreu aqui. Seu último post, ao contrário, foi bastante elucidativo.
Sabe, essa idéia de focalizar o evangelho no amor a Deus e ao próximo, é algo pra gente corajosa hoje em dia. Porque, se a teologia da prosperidade arrebanha multidões no mundo todo, que dirá no nosso país, terra dos que "querem levar vantagem em tudo"? Querer se dar bem é algo legítimo, quem não quer? Mas se dar bem, a despeito de que o outro se dê mal, isso é que têm me preocupado...
Mas o assunto aqui não é esse, desculpe.
Quanto ao editor do blog, vc tem razão também. Não sabemos do que ele tem passado, mas achei um alívio em seu texto ele afirmar a certa altura que "Tenho o que dizer e fico feliz por isso."
Sabe por que? Porque apesar de toda a luta que ele tem passado, ainda encontrou em seu ser algo bom, e que não era dele, mas algo que veio do Senhor. Alguma certeza que Deus lhe confiou e que ele pôde usar em benefício do outro. E isso é extraordinário...
Em resumo, quando por um momento, ele passou a pensar no outro e deu um tempo pra si mesmo, veio o alívio, e ele dormiu o sono dos justos.
Deixo um texto de Paulo pra sua meditação, não com isso me atrevendo a ensinar nada, mas compartilhar o que têm sido tão novo e significativo pra mim, nesses dias:
"Por isso sinto prazer nas fraquezas, nas injúrias, nas necessidades, nas perseguições, nas angústias por amor de Cristo. Porque quando estou fraco então sou forte." II Cor 12:10

Foi uma benção ter lido sua resposta. Têm sido muito gratificante pra mim participar desse blog e poder conversar com gente como você.
Que Deus lhe abençoe, um grande abraço!

Postar um comentário

Olá

Todos os comentários são verificados antes de serem liberados para a publicação. Caso queira entrar em contato, mas não queria que essa informação seja publicada na postagem acima, basta incluir essa informação.

Em breve, caso o comentário seja aprovado, o publicaremos.