20 de dezembro de 2009

Carta aberta do Apóstolo ao Salvador do Planeta, Carlos Magalhães.


Caro Salvador.


Muito comovido fiquei quando recebi seu cartaz através de minha caixa de entrada de e-mails ungida.


Como profissional da área, vi que você se esforça, mas falta-lhe o básico. Se você pretende ser reconhecido como autoridade espiritual, tente credenciais mais eficazes: apóstolo, episcopesa, pai-póstolo. Só “”pastor não daria o impacto necessário que você almeja, quando tenta convencer que seu projeto é mundial.


Argumentos sociais como o auxilio em creches, albergues, clínicas de tratamento de drogados só tem peso se você alega que o dinheiro doado, além de ser usado nisso, ainda os enriquecerá. A ganância travestida de altruísmo convence a maioria destes seguidores. Misture versículos para dar veracidade à seus apelos, e não se importe com o contexto: quase todos não lêem a bíblia, e não tem a menor noção do que estamos ensinando.


Procure fazer pregações que tenham temas com força emocional, sentido dúbio, use misticismos, e o nome de Jesus tem de ser incluído sempre: isso fortalece o argumento, independente do que fale. Não se importe com isso. Se for questionado, use a falácia da autoridade: fale sobre a unção que você recebeu do próprio Criador, e por ser ungido, não pode ser questionado (tem versículo pronto para isso).


Não se preocupe se meia dúzia descobre que não somos mais do que eles: estes são sempre minoria absoluta, e a própria maioria, se puder, os expulsará do nosso convívio.


Outro ponto crucial: Troque seu apelo pela oferta, não conte com doações voluntárias por piedade ou compaixão. Faça o ofertante imaginar que ele doa, mas seu lucro sempre será maior, faça-os crer que Deus aceita barganhas e que o céu se obriga a devolver o dinheiro...Como se sabe, Deus não falha...rs


Sei que vai achar estranho, mas a melhor literatura para os púlpitos (ou palcos, se preferir) são os livros de auto-ajuda. Lair Ribeiro, ou qualquer um dos autores desta linha; eles, assim como nós, apóstolos, se plagiam sistematicamente. Tem uns que usam astrologia, numerologia, mas recomendo mais cautela nisso. Não convém abusar da imbecilidade alheia.


Quanto às ofertas recebidas, fique tranqüilo: não existe nestas terras legislação que policie esta prática, mesmo se feita de forma ilícita. Só não cometa a tolice de tentar fazer estas ações em outros países com uma lei mais séria e eficaz.


Isto é o básico. Fico por aqui, na esperança que você não tenha entendido, já que o nosso negócio está muito concorrido, refinado, e a concorrência por ovelhas está cada vez mais dura. Basta verificar como o tráfego aéreo vem se congestionando entre nossos iguais.


Um abraço ungido e apostólico

Di Giorgio Canarinho
Querubim da Catedral Galáctica dos Ungidos do Reino