3 de fevereiro de 2010

Corações, Mentes, Rins, Almas, Intestinos...


Zé Luís


“Alguma coisa aconteceu, inevitável acidente. Rancor e ódio separaram rins e corações!”

Essa seria a letra de “Corações e Mentes “ dos Titãs se fosse escrita na época em que os Salmos foram escritos. Veja essa então:

“Meu intestino, não sei por que, funciona feliz, quando te vê...”
Creio que essa não faria tanto sucesso quanto a original.

É comum imaginarmos que o termo “coração” na bíblia está relacionado a sentimentos, a afetos ou reações emocionais .Na verdade, a palavra está relacionada a alma, mente, psiquê. No Velho Testamento, o coração, o que julgamos centro das emoções é compreendido como rim, e no Novo, a relação é ainda mais estranha: entranhas, tripas, intestino.

Inicialmente parece que a bíblia não tem sentido (como sempre foi desde o começo para mim, não só com a Palavra, mas também com o próprio Mestre), mas se considerarmos que os sintomas de uma forte paixão são semelhantes a de uma forte doença, podemos crêr o que Paulo afirma quando fala de suas entranhas estarem se contorcendo.

C.S.Lewis nos lembra que quem já se apaixonou sabe que o suor frio, pernas bambas, taquicardia, dor de barriga, gagueira são alguns dos sintomas que temos só de vislumbrar a pessoa amada. Se isso não parece com sintomas patológicos, eu não sei mais o que parece. O problema é que ansiamos por um, e repudiamos a outra. Segundo ele, isso ocorre por que nosso corpo tem limites para traduzir sentimentos fortes, e estes em si, extrapolam este limite.

Logicamente, uma taquicardia, picada nos rins – como diz o Salmista - ou uma forte cólica estão relacionados a emoções fortes.

“...colocarei um coração de carne no lugar deste, de granito rústico...” inicialmente tem conotação romântica, já que imaginamos que nos comoveremos com mais freqüência quando formos convertidos. Mas se olharmos pela ótica da alma, aquela frase profética assume um significado mais amplo:

“...Tirarei essa alma dura, fria, morta -como os ídolos que abomino -e colocarei em ti uma alma que depende de ser insuflado de vida para continuar a existir – diz o Senhor. A carne precisa de ar, de fluxo de sangue, de boa alimentação, de movimento, precisa viver . Pedras estão mortas, embora as vezes, quando faltam almas, pedras clamem.

Alma consiste em raciocínio, em pensar, enquanto o coração nos remete às emoções. Nunca achou estranho que Deus esteja preocupado com nossos sentimentos no lugar de nosso raciocínio?

Um bom exercício é fazer uma releitura da bíblia:
Foi a alma de Faraó que Jeová endureceu quando Moisés veio reclamar a libertação dos hebreus.

Homens de coração duro podem se comover, mas raciocinam como pedras: rígidos, frios. Não usam a humanidade como referência. No máximo, verificam de que material o outro é feito, e sendo do mesmo mármore, calculam.

O resto deixo para você ter o prazer em meditar. Quem sabe compartilhe estas reflexões conosco aqui?