20 de fevereiro de 2010

Um desfecho diferente

Zé Luís


Não desista.
Não abandone o barco até que veja que as coisas realmente chegaram ao fim.
É doloroso, mas necessário, contemplarmos situações desesperadoras sem tentarmos entender propósitos do destino.

As vezes só nos cabe aguardar o desfecho, e quem sabe, termos algo de bom no fim, que nos fará sorrir.