7 de março de 2010

Contrate um advogado: código penal sexual americano




Zé Luís

Como diz a Rita, responsável pela faxina do setor da empresa onde trabalho, na internet tem "de um tudo".

Pesquisando sobre leis curiosas, me deparei com estas, americanas, que trata do controle dos atos sexuais. Segue algumas abaixo, ainda vigentes no dia de hoje. Divirta-se ao conhecê-las, e ria. Ria muito, imaginando a super lotação carcerária que isso produziria, se aplicada:

1. Sexo oral é ilegal em 18 estados, incluindo Kansas e Utah.

2. É ilegal em 18 estados, para um homem, ter ereção perceptível através de suas calças.

3. É ilegal em Willowdale, Oregon, para os homens dizer obscenidades para suas esposas durante as relações sexuais.

4.  Relações sexuais entre casais não casados é ilegal no estado da Geórgia.

5. Em Memphis, Tennessee, é ilegal que a mulher convide um homem para fazer sexo.

6. Em Connorsville, Wisconsin, é ilegal para um homem disparar uma arma enquanto a parceira está tendo um orgasmo.

7. Em Harrisburg, Pensilvânia, é ilegal fazer sexo com um motorista de caminhão dentro de uma cabine de pedágio.

8. Ter relações sexuais com um porco-espinho é ilegal na Flórida.

9. Em Utah, é ilegal se casar com seu primo em primeiro grau antes da idade de 65 anos.

10. No Estado de Washington, é ilegal ter relações sexuais com uma virgem em quaisquer circunstâncias, incluindo a noite de núpcias! No entanto, sexo com animais é perfeitamente legal para os homens no Estado de Washington, enquanto o animal pesa menos de 40 libras.

Menções honrosas:

- Em Bakersfield, Califórnia, deve-se usar preservativo, se estiver tendo relações sexuais com Satanás.
- Na Virgínia, é ilegal fazer sexo com as luzes acesas.
- Em Clinton, Oklahoma, é ilegal se masturbar enquanto assiste duas pessoas fazer sexo em carro.
- Relações sexuais entre casais não casados é ilegal na Geórgia.
- Em Minnesota, é ilegal ter relações sexuais com um peixe vivo (peixe morto é perfeitamente aceitável: Mate o peixe).
- Qualquer posição sexual, enquanto em serviço missionário, é ilegal em Washington, DC.

As fontes incluem Jessie Whitfield, San Francisco State University, e Alternet