15 de maio de 2010

Será que tenho condições de ser um artista de sucesso?


Nestas últimas semanas tenho recebido muitos CDs, mp3, indicações de sites, blogs, MySpaces … É impressionante como as distâncias através da tecnologia simplesmente sumiram! Hoje me comunico com amigos no Japão, Nova Iguaçu, Boston e Belo Horizonte simultaneamente. Mas nosso post de hoje não vai seguir neste caminho de elencar os benefícios da modernidade ou as novas formas de relacionamento na web.  Quero dedicar-me a um assunto mais delicado. Talvez até frustrante para alguns que sonham em seguir uma carreira artística.

Entre os produtos que recebo para avaliação, posso dizer tranquilamente que mais de 80% estão longe de chamar a minha atenção. Seja pela qualidade visual, proposta musical, perfil do artista ou mesmo talento musical. É impressionante a quantidade de pessoas que se arriscam a seguir por um caminho que não têm a mínima condição de se firmarem como profissionais diferenciados.

A concorrência no mercado artístico é enorme! Mesmo na seara da música cristã, hoje para você se destacar é necessário uma série de aspectos que somados irão te dar alguma chance de romper o anonimato. O que vejo são pessoas que almejam um sonho e que dentro de suas possibilidades se esforçam para seguir os passos rumo ao estrelato e que com o passar do tempo, se tornam pessoas tristes, amarguradas e frustradas.

Já tive a infeliz experiência de receber um cantor em minha sala completamente sem noção do que estava falando. Chegando ao cúmulo de pedir para ser contratado para o cast como último recurso para salvar sua carreira, vida financeira, família! Isto é, sem dúvida, uma atitude desesperada de alguém que imaginou alcançar seus objetivos através da música, mas que por inúmeros motivos, não conseguiu se destacar entre tantos nomes do cenário gospel.

Um artista diferenciado é uma soma de fatores! Posso elencá-los rapidamente e se você de alguma forma se encaixar na maioria deles, é sinal de alguma condição mínima para seguir esta carreira você tem, mas ressalte-se: não é garantia de que ainda assim você seja um artista de sucesso.

1) Talento – pode parecer óbvio, mas grande parte dos postulantes a artistas não têm o mínimo talento para a música. A incapacidade de se autoavaliar criticamente é uma constante em diversos pseudos artistas. Talento musical é principalmente voz agradável ou diferenciada, ouvido apurado musicalmente, apuro estético, sensibilidade artística;
2) Instrução – é incrível como existem artistas que sequer estudam o próprio ofício. Saber tocar um instrumento musical é muito importante para um cantor, mas estudar sobre respiração, postura, técnicas vocais e exercícios é indispensável e inadmissível. Infelizmente grande parte dos artistas gospel são auto-didatas e se orgulham disso;
3) Disposição – não há como alcançar o sucesso sem que o trabalho esteja à frente! Esta expressão que pode até estar bem gasta nos dias atuais é absolutamente verdadeira no âmbito musical. Dificilmente vemos na história dos grandes nomes da música momentos de dificuldade, tendo que cantar até altas horas em bares, festas, pequenos shows. Esta experiência de “ralação” é fundamental na carreira de um artista! No caso dos artistas cristãos, ‘ralação’ significa cantar em todos eventos possíveis de segunda a segunda, sem escolher palco, som ou ambiente. Caso tenha chegado a uma maior notoriedade, não significa também que o artista alcançou o ápice e assim estará livre de trabalhar, pelo contrário!
4) Boa aparência – não preciso radicalizar como Vinícius de Moraes que afirmava com sua franqueza peculiar “que me perdoem as feias, mas beleza é fundamental”. No entanto, um artista que se apresenta de forma agradável, que mantém uma imagem simpática, tem muito mais chances de abrir portas do que aquele que não zela com o seu perfil próprio. Se você não teve a sorte de ser uma Gisele Bündchen, pelo menos procure manter sua imagem de forma positiva! Saiba escolher suas roupas, maquiagem, corte de cabelo, enfim, mantenha um conjunto equilibrado e principalmente procure adequar seu guarda-roupa aos locais onde irá se apresentar.
5) Postura corporal – vai uma dica importante! Em seu local de ensaio instale um espelho bem grande e observe a sua postura corporal enquanto canta. Analise se seu gestual está equilibrado. Se você não está com ‘tiques nervosos’ repetitivos. Se sua forma de interpretar as músicas está de acordo. Enfim, treine muito! Talvez você não tenha percebido esta falha em você, mas tenha certeza de que o público já percebeu!
6) Carisma – assim como o talento, o carisma é algo quase natural, inerente. Digo quase porque em muitos casos estes dois aspectos podem ser treinados e desenvolvidos com o tempo. Ainda hoje vejo muitos artistas chegarem à frente de multidões com o famoso “quem tá feliz dá um glóóóóóóóória a Deus!” … isso é o que há de mais ‘pobre’ em termos de comunicação, mas é um recurso muito usado por aqueles que não têm carisma. O carisma é um poder catalisador do artista. É uma forma de manter ligação direta entre sua arte e o público. O carisma é saber lidar com diferentes platéias e sempre conquistar sua atenção de forma incondicional.

Talvez eu possa elencar mais uns 10 aspectos para que você se auto analise sobre as chances de seguir numa carreira artística, mas creio que estas 6 já sejam mais do que suficientes para uma primeira avaliação. Também não vou formatar uma tabela de pesos e valores para que você ao somatório final tenha uma idéia se deve seguir ou não nesta empreitada. Esta é uma decisão pessoal! Apenas gostaria que você entendesse de que o mercado é seletivo e apenas aqueles muito competentes têm condições de permanecer na estrada. E aí? Vai encarar?

Mauricio Soares, é publicitário e recentemente fez check up médico completo. Por incrível que possa parecer (já tendo escutado tanta música ruim nas audições de avaliação), passou com louvor nos testes de audiometria. Vms q vms!

Indicação via twiter por @abnermelanias

Nenhum comentário:

Postar um comentário