25 de junho de 2010

Os atuais profetas de Baal

Eis um Baalin, poste ídolo, onde os antigos acreditavam que
o culto a ele fecundaria Astaroth, Rainha dos céus,e a chuva,
tão necessária a agricultura, desceria então.

por Zé Luís

Interessante a facilidade com que se profetisa em tantos lugares em nome de Deus nos dias de hoje.

Profetizam cura pelo rádio, cantores lançam profecias sobre o que Deus fará em minha vida, promessas tantas que já nem me lembro quantas coisas boas terei em um futuro incerto. Mulheres grávidas escolhem o sexo de seus bebês: se tiverem fé, nascerá o garoto que esperam, se não, uma menininha.

Imagino quantas profecias são emitidas de rádios piratas, entregues nas casas, leitos de hospital, penitenciárias, asilos, creches, impessoais e falíveis, como um profecia nunca poderia ser.

Profecias são a voz de Deus, e Deus não é um velho senil que fala coisas e esquece. Na bíblia – única fonte destas informações, o povo judeu não ousava falar o nome sagrado do Altíssimo. Tamanho era o temor que eles suprimiram as vogais, tornando o nome em apenas as letras – aportuguesadas – YWHW, que acabamos por chamar de Jeová, Ieoa, Yeshua...

Algumas vertentes religiosas defendem que o nome correto de Deus tem de ser preservado, mas a verdade que até a pronuncia se perdeu, e por tanto, o “Eu Sou o que Sou”, tradução de seu Santo nome, não teria uma pronuncia correta confiável nos dias de hoje.

Esse temor judeu poderia ser algo a ser ensinado para alguns “profetas” dos atuais dias. Eles não tem temor de prometer nada a ninguém, falar em nome de alguém, sem se importar se esse Alguém pode não estar se agradando desta falação toda.

Ainda sobre bíblia, quando um profeta do velho testamento se atrevia a dizer algo da parte de Deus e a tal informação não se cumpria, a comunidade onde vivia estava autorizada a matá-lo na pedrada. Haveriam pedras suficientes para os dias de hoje?

Os irresponsáveis lembram muito outro tipo de profeta. Um daqueles que ficaram oras a fio, em coro, implorando para seu deus se manisfestasse, o que não aconteceu. Estes eram profetas de um deus pagão cananeu chamado Baal (traduzido: Nosso Senhor. Perceba que haviam uma série de cidades com esse nome, como Baal-Perazim, ou seja, Nosso Senhor de Perazim).

Muitas culturas ainda hoje cultuam o símbolo fálico na forma de
divindade, como esta atual festa celebrada no Japão
O que esses pseudo-profeteiros esquecem que, apesar de ainda estar no tempo onde reinam sobreanos e inundem todos os cantos com suas bobagens e manipulações, basta que apenas um seja autêntico para que sejam lançados na mais profunda ridicularização, e o mesmo povo que os segue, terão suas vendas removidas.

Então, apavorados dirão: "Vimos que estavamos nús, e por isso nos escondemos..."

Uma dica para todo aquele que diz profetizar em nome de Deus, e tal evento não acontece: esse tal não é Dele, não tem temor Dele e não merece que você o ouça, e nem tão pouco merece seu respeito. Ele usa as coisas do Pai para se aparecer, achando que não perceberão que não passa de uma farsa.

4 comentários:

  1. PoiZÉ...

    Veja como o falo é poderoso. Responsável direto até pela fecundação de chuvas?!

    E trazendo para os dias atuais, observe-se que as crendices imperam em qualquer época e em qualquer cultura das mais diversas "formas" e representações. Pois olhando para a foto "oriental" eu não vejo grande diferença entre essa espécie de procissão para outras em nossa cultura. E desculpe quem for ICAR, mas é mera associação mnemônica. Bora combinar, né?

    ResponderExcluir
  2. Zé, meu brother...

    Quando me converti recebi tanta profetada em minha vida, daquelas de minunciar até o dia e a hora que o fato iria acontecer que, se não estivesse desde o início nas mãos do Pai, teria desviado da fé.

    Como diria um "profeta" amigo meu no Paraná, "é João, o bicho é feio e tem um buraco no meio"... rsrs

    ResponderExcluir
  3. Acaso já esteves tu defronte d'algum amadeirado púlpito, acaso já esteves tu diante d'algum altar sobre o olor acinzado do turíbulo, acaso já esteves tu diante d'algumas ovelhas da igreja? Então atinaste como se dão e se entregam a ti qual se fosses tu mesmo o que eles tanto anseiam; se outrora, Deus, com o rimbombante trovão afugentou a iniqüidade e com o fulgoroso raio exterminou presto o iniqüo, pq agora não o faria se é hodierno? Acaso queres tu retrocederes ao ponto de lançares a rija pederneira sobre a cabeça de teu irmão? Mas é apenas a Deus que cabe a vingança.

    ResponderExcluir
  4. Gente...

    Nunca tive vontade de usar o Google Tradutor no idioma português como dessa vez!!! rsrsrsrsr

    Já, já estive defronte d'algum amadeirado púlpito... e sei lá o que você pretendia questionar com esse vocabulário rebuscado que não leva a lugar nenhum, que não é claro para mim, mortal comum.

    ResponderExcluir