11 de junho de 2010

Ruído no piso do céu

Feito por Tiago da Silva

Zé Luís

O anjo era novato no departamento, e notou o barulho que ecoava na imensa repartição que começara a trabalhar. O som lembrava uma garoa grossa, mas ao invés de cair do céu, parecia bater por baixo do piso. Hora vinha de uma parte, hora batia em outra.

Os outros anjos pareciam indiferentes àquele estranho ruído. Um dos imensos querubins sorria pelo canto - do que seria uma boca - ao observar o ser luminoso encafifado, investigando aquele fenômeno diferente de tudo que já havia presenciado no céu.

De repente, numa parte do chão em que andavam, o som da chuva bateu com muita força, enquanto a outra parou, ao mesmo tempo. A repentina pancada parecia carregar em si uma sensação de angústia, enquanto o silêncio repentino parecia carregada de júbilo.

-Percebeu que esses sons duram no máximo 90 minutos?
-Verdade...-respondeu o anjo, sem perceber quem o indagara.
-Um Campeonato Mundial de Futebol está acontecendo na terra, Copa do Mundo... - disse o arcanjo, se aproximando do novato.
-O quê?
-Esses sons de chuva que não molham o céu são clamores das nações... rezas, orações, mantras...
-Como assim?
-Quando um jogador se aproxima do gol da seleção do país adversário, automaticamente começam as rezas: umas prá que o jogador acerte, outras prá que erre... é sempre assim...
-Chatisse isso...
-Até que não...- disse o Arcanjo, enquanto empacotava umas orações justas num imenso pacote para levar ao Criador – Pelo barulho da chuva a gente já até sabe que país está jogando. Eu não erro uma.
-Times orientais usam mantras: um barulho que parece ventilador ou zumbido de motor, rezas latinas vem recheadas de nomes de pessoas que foram bons testemunhos naquela vida: o que eles chamam de santo...
-Mas porque em um canto faz todo barulho de uma vez só, enquanto o outro silencia...
-O lado barulhento é o lado que tomou o gol, sobe de um determinado país, e o que parou de pedir coisas a Deus, esquecendo Dele instantaneamente, é o lado da seleção que marcou.
-Curioso... esquecem rápido, né?
-Em suma, as rezas que sobram desta hora são “Por que Tu permitistes?!?”, “Ó, Deus! Não deixe meu time perder...”. As do que marcaram você nem ouve mais, a comemoração fica lá na Terra mesmo... Muitos vem parar aqui nestas horas. O que aparece de enfartado...
-Que loucura esse mundo...
-É, mas o “Eu Sou” os ama mesmo assim.
-Qual é a pior das chuvas?
-Tem um país que garante que o Criador usa camisa amarela e verde, que o Todo Poderoso é seu compatriota
-Que bobagem...
-É. A maioria não se importa com nada que se refere a vida em comunidade, a justiça social, ao que o diabo em pessoa faz em sua política, mas nessa época de jogos...
-O que?
-Eles associam o êxito ou a derrota deste grupo de exímios jogadores de futebol à imagem patriótica de cada cidadão daquele país...
-Tá difícl de entender a linha de raciocíno – disse o novato, coçando os cachos de cabelos de luz azulada – Eles são ou não patriotas?
-Só em época de copa: um mês a cada quatro anos... o que não faz que as extorsões, o roubo aos cofres do dinheiro do povo, as falcatruas, nada disso pare. É só enquanto os meninos estão em campo...
-Se você não fosse esse grandioso ser aqui do céu pensaria que está mentindo pra mim. Como pode? Clamam a Deus para que um grupo de pessoas vença em pontos outros grupos, mas não procuram o Mestre para as questões importantes...senhor Jesus! O que foi isso!
O grande anjo sorriu com o susto que o novato levou com o tremendo solavanco dado em uma parte do solo:
-Gol do Brasil, amigo.
-Mas você disse que o céu não treme quando fazem gol?
-Deve ter sido algum atleta de Cristo...

Um comentário:

  1. muito bom amigo se voce me permitir gostaria de oista-lo em meu blog.muito bom mesmo.

    ResponderExcluir