8 de junho de 2010

A vontade de Deus

por Zé Luís

Essa é a questão nº 1 para os interessados em Deus.

Que bom seria se soubéssemos em cada passo a perfeita vontade Dele neles, não ter mais dúvidas em nossas escolhas mais simples e ordinárias, não se angustiar diante de uma situação caótica por termos a certeza que a vontade de Deus está sendo feita, “apesar de”.

Quando o Mestre nos ensina a forma básica de falar o Pai, logo de cara, nos mostra que Ele é nosso, não meu ou pessoal, e lembra-nos de onde Ele é: a dimensão onde os pés não caminham como nessa.

“Seja feita a Sua vontade...”

Essa é a pessoa certa para eu casar?
Esse emprego é a vontade de Deus para minha vida?
Essa igreja se apostatou? Devo continuar aqui, batalhar contra isso ou abandonar esse barco que afunda para que não me sugue quando for a pique?
Deus quer que eu seja radical ou liberal? Ser intolerante ou tolerante com os que não creem? E os que que creem, mas não o fazem como eu, que é o jeito certo? Como agir?
Por que o Todo-poderoso permitiu que isso me sobreviesse? Ou Deus não tem nada haver com isso? Foi vontade Dele que o diabo me tocasse?
Essas pessoas que dizem saber a vontade do Criador para minha vida: Eles sabem o que dizem? Como sabem que isso é de Deus, se não são capazes de responder essas mesmas perguntas em suas vidas?

Muitas das questões acima – e muitas outras que você poderia acrescentar a lista – nos deixam perdidos diante desta aparente “Babel” na qual nos sentimos abandonados.

Certamente, se soubéssemos a perfeita vontade do Pai em nossa vida, oraríamos menos, meditaríamos menos nas questões do céu, a bíblia certamente seria muito menos lida, buscaríamos a intimidade com o divino com uma intensidade bem mais rasa.

“Que se dane o que o paraíso pensa. Faço o que Ele quer, não me cobre mais nada.” muitos pensariam. Algo como:
“Fiz a minha parte da regra. Sei que é suficiente...”

Sabemos que é vontade de Deus que todos se salvem, mas é sabido também que muitos, inclusive gente que amamos muito, não experimentarão deste milagre. Só não sabemos ao certo quem.

Essa incerteza nos coloca em eternas encruzilhadas, pondo-nos entre estagnar ou prosseguir, recuar ou avançar, parecendo um jogo perverso.

Isso nos faz oxigenar a alma. Assim como nosso corpo, nosso folego de vida precisa estar em movimento, transpirar em vida, em fluxo, como tudo que pulsa neste universo.

Quando Paulo fala aos Efésios, não traz a necessidade de usar um pijama, nem tão pouco um avental de cozinheiro. Ele compara às nossas necessárias ações espirituais ao uso de uma roupa de guerra.

Não que Deus queira que lutemos até o fim, mas isso é necessário. Não que o Criador nos tenha feito para estar cheio de cicatrizes nas canelas e pés, mas essas são as marcas dos que caminham Nele nesta peregrinação.

“Seja feita tua vontade” foi cumprido pelo Mestre até a última gota, para que você possa pegar sua cruz e segui-lo.

3 comentários:

  1. Prezado Zé Luis

    Gostei da sua sala do pensamento, vou adicionar o link de seu blog na minha lista de blog favoritos.
    Vou tentar vir aqui mais vezes, ok?

    Agora em relação a postagem, na minha modesta opinião, talvez não exista nada mais neurótico e alienante do que a tal “vontade de deus”.

    São 15 anos de vivencia no evangelho convivendo com evangélicos, e essa tal “vontade de deus” é uma das coisas que mais se ouve falarem.

    As pessoas acabam por se acomodar em determinadas situações numa espera alienante da vida, o qual elas querem que deus venha decidir para elas o que somente elas são quem devem decidir.

    Neste sentido, não existe uma vontade de deus, ou um plano determinado, se assim fosse, deus roubariam de nós nossa liberdade de escolhas, seriamos reduzidos a meros fantoches nas mãos dele, isentos de qualquer responsabilidade, pois afinal deus é quem decidiu tudo!

    Este também é um modo covarde de os crentes não assumirem suas responsabilidades diante da vida, transferindo assim, para o “andar de cima”, jogando para as “costas largas de deus” dizendo que se determinados eventos ocorreram em sua vida é porque foi à vontade de deus!

    A vontade de deus, como desejo e não como determinação, é que sejamos responsáveis com a vida e a liberdade o qual ele nos deu.

    Então dá próxima vez que alguém aqui for casar, lembrem que quem deve escolher é você e não deus, simplesmente pelo fato de que você, e não deus, é que irá passar o resto da vida casado com esta pessoa.

    Abraços

    ResponderExcluir
  2. A que "deus" este comentário se refere?

    ResponderExcluir
  3. Acho q ele se refere a um Deus q não pode ser responsabilizado pelas burradas q cometemos com nosso livre arbítrio.Por exemplo, se um hipertenso não tiver "dieta equilibrada", comer sal e infartar, não pode culpar a Deus.

    ResponderExcluir