11 de julho de 2010

As 10 descobertas arqueológicas mais bizarras do século (parte 1)



Fonte:Top 10

Descobertas arqueológicas, no mínimo estranhas, foram feitas na história moderna. Centenas de artefatos foram descobertos, confundindo cientistas e desafiando o homem comtemporâneo.

Muitos desses objetos foram encontrados do contexto. Estes descobertas arqueológicas são sempre controversas e a comunidade científica é extremamente seletiva em aceitar como fato consumado. Cada objeto desta lista tem sido acusado de ser um embuste elaborado. Em muitos casos, uma conspiração é a única explicação, sem uma reformulação ampla de livros do mundo da história.

Esses artefatos contam uma história de civilizações antigas, contratos pré-colombianos e trans-oceânicos, e misteriosos avanços tecnológicos onde não poderiam existir. Muitas dessas descobertas arqueológicas desafiam a teoria científica da evolução, assim como muitas crenças religiosas.

Comecemos pela 10ª colocação:

10ª - Estatuetas de Acambaro

Descoberta: 1944


As estatuetas de Acambaro são uma coleção de pequenas estatuetas de cerâmica encontradas nos Acámbaro, Guanajuato, México. Foram descobertas por Waldemar Julsrud, em julho de 1944.

De acordo com relatos, Julsrud tropeçou nos artefatos, enquanto andava de cavalo na área de Acambaro. Contratou um agricultor local para desenterrar as estatuetas remanescentes, pagando-lhe por cada objeto encontrada. Eventualmente, o agricultor e seus assistentes descobriram mais de 32.000 figuras, que incluiem representações de tudo, desde dinossauros até representações de povos de todo o mundo, incluindo  egípcios, sumérios, entre outros.

As Estatuetas de Acámbaro são citados como artefatos locais, por serem claramente de origem humana, e retratam uma grande variedade de espécies de dinossauros. De acordo com todos os livros de história, o ser humano não conviveu com dinossauros.

Sobre a veracidade da descoberta, muitos criacionistas de todo o mundo proclamaram a legitimidade dos artefatos. Se esses números são verdadeiros, poderia-se ter como prova credível a coexistência de dinossauros e seres humanos, causando sérios danos à teoria da evolução, e dando suporte para o interpretação literal da Bíblia.
 
Tentativas têm sido feitas sobre as datas de criação destes, usando Termoluminescência, ou TL, e os resultados sugeriram uma data por volta de 2500 a.C. Um homem chamado Don Patton afirma que encontrou as datas de radiocarbono para os valores variando de 6.500 anos a 1.500 anos atrás, porém, o objetos estão em ótimo estado e não mostram nenhuma evidência característica de terem estado do solo por pelo menos 1500 anos.

Dentro desta "linha de raciocínio", se fossem autênticos, deveriam estar riscados e marcados pelo contato com solo rochoso, o que é característico de outros objetos encontrados na área do México. Outros alegam que os artefatos são a incrível evidência da convivência humana com as criaturas. 

Ironicamente, o número descoberto de evidências é freqüentemente citada como evidência de uma farsa. Até agora, nenhuma credibilidade dos estudiosos da arqueologia ou paleontologia aceitam a descoberta como válida.

9ª - As pedras Dropa

thedropastones 272x400A história alegada das Pedras Dropa é a seguinte.

Em 1938, uma expedição arqueológica foi enviado para investigar uma área isolada das montanhas de Baian Kara-Ula, na fronteira que separa a China e o Tibete, descobrindo uma série de cavernas no cume da montanha, que continham uma grande coleção de sepulturas. 

As paredes eram decoradas com desenhos de pessoas com cabeças alongadas, juntamente com imagens do sol, da lua e das estrelas. Os arqueólogos acharam as sepulturas e descobriu-se os restos de seres antigos. Os esqueletos tinham um pouco mais de três metros de altura, com crânios anormalmente grandes.

Dentro das tumbas, uma coleção de discos de pedra foram recuperados. Ele possuiam trinta centimentros de diâmetro, com um buraco no centro. Havia um sulco na superfície do disco e para fora formando uma espiral dupla.  Uma inspeção mais detalhada mostrou que os sulcos eram, na verdade, uma linha de pequenas esculturas ou sinais.

 Os discos foram etiquetados com as Pedras Dropa. Investigações posteriores encontraram um total de 716 destas pedras nas cavernas de Baian-Kara-Ula Mountain. esta evidências foram enviados para diversos especialistas para investigação. 

Um deles, o professor Nui Tsum Um, da Academia de Pequim para Estudos Antigos, descobriu que os sulcos espirais eram, de fato, uma linha de caracteres escritos em uma língua desconhecida. Em 1962, ele anunciou que tinha conseguido traduzir os caracteres.

Estranhamente, a Academia de Pequim proibiu o professor de publicar qualquer coisa sobre as Pedras Dropa. No entanto, após anos de debate, ele publicou sua hipótese:

Tsum Um Nui afirma que uma espaçonave alienígena caiu na região de Har Shan Bayan a 12 mil anos. Os ocupantes foram seres alienígenas chamados Dropa ou Dzopa. Os Dropas estavam impossibilitados de consertar seu meio de transporte, e por isso, tentaram se adaptar às condições da Terra. Entretanto, a tribo local Ham, caçaram e mataram a maioria dos "estrangeiros". Supostamente, estes estrangeiros formaram familia com a população local,  tornando a análise das origens dos esqueletos mais difícil. 

Muitos desacreditaram estas alegações e Tsum Um Nui foi forçado a demitir-se de Pequim Academia.

Aos poucos, as pedras Dropa foram desaparecendo em todo o mundo e não estão disponíveis para exibição pública, em qualquer museu. As imagens dos artefatos, curiosamente, foram sumindo gradativamente. 

4 comentários:

  1. que coisa incrível!

    e o mais legal é que eles parecem de massinha! haaha.. comentários tão construtivos esses meus... até parecem os da adriana! =p

    ResponderExcluir
  2. APAZ>>>
    já linkei seu blog
    confira:
    www.jotabepontodevista.blogspot.com
    JB

    ResponderExcluir
  3. Mistérios intrigantes...
    Tá ficando bom nesse negócio hein...

    ResponderExcluir
  4. Cadê o resto só tem 10º e 9º os que só tem 2??? ñ entendi nada!!!!!!!!!!!

    ResponderExcluir