29 de julho de 2010

Livre de mim mesmo

by *phatpuppy

por Zé Luís

Tive um sonho diferente numa noite dessas.

Pessoas de mão dadas em forma de ciranda oravam na igreja que frequento a tantos anos. No sonho, acabada a oração, abraçávamos os irmãos efusivamente, como sempre fiz até o ano passado. Incontrolavelmente, fui até meu desafeto e o abracei, como se eu tivesse perdoado a ofensa que resolvi não perdoar, por julgar ser grave demais.

Despertei logo em seguida, e estranhamente, me senti diferente.

Eu, a seis meses atrás, já havia dito e repetido a mim mesmo que a pessoa estava perdoada, mas dentro de mim a matei: convivo na mesma comunidade, mas a ignorava, tornando-a invisível, fazendo questão de odiá-la cada segundo desde aquele fatídico dia em que me senti agredido e humilhado.

Nunca tentei esconder de Deus minha profunda raiva, e Ele, como só Ele poderia fazer, escolheu uma data nada especial, num sonho corriqueiro para me fazer experimentar algo que Ele faz tão bem.

Naquele dia, algo de amargo que pairava no céu da boca me abandonou. Por algum motivo, não estava tão mal-humorado como de costume. Acordei descansado como a muito não despertava, embora tenha dormido menos tempo que o normal.

A sensação de ter abraçado meu algoz fez com que algo em mim se purificasse.

Fiz uma câmara mortuária para guardar meu inimigo e passei a viver nela. Sou cristão e por mandamento de meu Mestre, sou obrigado a perdoar, embora naquele caso, cri que podia me dar ao luxo de não fazê-lo. Perdões imperdoáveis nos dão essa falsa convicção.

Naquela mesma semana, ao passar pela pessoa na comunidade, resolvi tocá-la no ombro, como em um cumprimento que sempre houve entre nós. Meu braço foi abraçado em um milésimo de segundo, e parecia que o mesmo sonho havia acontecido naquela vida. Uma ar de alívio nos cercou.

Não. Não sentamos e conversamos como grandes amigos, mas não havia mais motivos para odiar, as coisas velhas haviam passado, e tudo se fazia novo. Seguimos nossos caminhos em paz.

Jesus, muitas vezes, vem nos trazer libertação de nós mesmos, e só Ele sabe quando podemos ser libertos das cadeias que nos atamos pelas tragédias que a vida, muitas vezes, impõe.

Estranhamente, alguns estranhos males me abandonaram, e um ânimo, tão comum em outras épocas, voltou a me invadir. Ainda tenho um sermão da montanha inteiro para por em prática, mas por hora desfruto do poder que o perdão tem sobre minha vida.

Você devia experimentar. Te faria muito bem.

21 comentários:

  1. muito bom, Zé,muito bom mesmo.

    ei, que troféu foi esse que vc ganhou e não nos contou?

    =o)

    abs,apz.

    blog Desafiando Limites.

    ResponderExcluir
  2. Snif. Chorei.
    Passei por isso também há poucos meses atrás.
    Não conseguia orar pelo meu ofensor.Eu era inocente!Tinha razão de não perdoar.

    Certa noite, consegui orar por ele e dormi. Acordei no outro dia com o celular alertando com uma mensagem do ofensor me pedindo desculpas e tudo mais.

    O Espírito Santo tocou no coração da pessoa mas antes tocou no meu.
    Que Deus continue a lhe usar com esse novo ânimo que com certeza vem de Deus!
    ABraço ;-)

    ResponderExcluir
  3. Oiiiee..

    Estou passando por uma situação muito difÍcil, sabe?
    Muitas perseguições e uma vontade de desistir tremenda..
    O pior que sempre em meio destas perseguições, abrem-se portas e oportunidades que me confundem ainda mais..
    Mas após ler isto, vou repensar minha condição...
    Obrigada sempre!!

    Um beijo

    Maya

    ResponderExcluir
  4. Acho que essa é uma das coisas mais difíceis que existe:Perdoar...
    Sei que deveria ser fácil,pq qnd perdoamos o outro,nos perdoamos tbm.Mas não é.
    Um dia quem sabe eu não sonhe um sonho assim tbm.
    Gostei daqui,volto!

    ResponderExcluir
  5. Há pouco tempo preguei sobre isso na igreja, sobre quando matamos alguem dentro de nós. Acho que já fiz isso muitas vezes. Caim perguntou a Deus: sou eu responsavel pelo meu irmão? De algum modo, acho que somos responsaveis uns pelos outros sim. Eu tenho tentado ser livre de mim mesmo, mas esqueço que isto inclui o perdão de verdade. Vou experimentar...

    ResponderExcluir
  6. Que dureza! Uma pessoa se diz cristã, afirma que Jesus é seu mestre, que tem a obrigação de perdoar e... simplesmente não perdoa. Precisa de um experiência onírica, para, depois, num quase "dèja vu" tocar a pessoa qualificada por ele como "seu algoz". Algoz? Como assim? Algoz é sinônimo de carrasco, aquele que executa uma pena capital. Mas... não era um... "irmão"?, filho do mesmo Pai? Que vida é essa? Ainda vem com essa tentativa chinfrin de poetizar uma situação tão trágica? Faça-me o favor. Tratar um irmão de "algoz" é um pouco demais pra mim!

    ResponderExcluir
  7. Olá "Joiner"...rsrsrsr

    Deus me livre de ser tão perfeito quanto você.

    Já ouviu falar de perfil "fake"?

    E trollagem?

    Vai tentando, vai... você consegue...

    ResponderExcluir
  8. Em tempo:

    Wally:
    Foi de uma blogueira

    Vou postar o link na própria imagem

    ResponderExcluir
  9. Estou sentindo a presença de anjos em nossa meio.....
    Eu que sou perfeita, irretocável fico arrepiada com a presença de meus pares ui

    Como diz a Regina,
    o que será que o tal bebeu?

    ResponderExcluir
  10. É Fake, Adriana...

    Peguei o IP aqui. O tal Enoque Sampaio está em alguns lugares e em lugar nenhum.

    Pelo facebook, ele é um sujeito sem camisa diante de uma webcam, tem uma revista de agronomia, e seu profile no Twitter é novíssimo, criado só prá tentar gerar esse tipo de coisa.

    Fico lisonjeado que alguém tenha um trabalho desse, inventar uma personagem - com direito a um blog e tudo - só para parecer gerar esse "tumulto"...kkk

    Tenho outros fakes aqui(alguns nem se dão ao trabalho de se identificarem, usam proxys de despistamento de IP. O mesmíssimo Proxy...)

    No mais, certo amigo me adiantou que isso começaria. Só deixei passar para meus verdadeiros leitores, na maioria blogueiros, se previnam contra esse tipo de "gente".

    ResponderExcluir
  11. Aí Zé Luiz,
    Excelente o testemunho!
    Sem descrição a sensação de liberdade que o perdão proporciona na vida de quem compartilha tal experiência!

    Muito bonita a sua expressão "A sensação de ter abraçado meu algoz fez com que algo em mim se purificasse".

    DEUS abençoe você!

    ResponderExcluir
  12. Postei no meu blog, citando a fonte!

    Pr. Sebastião Cezar

    ResponderExcluir
  13. Puxa, isso é raro hj em dia...parabéns pela "coragem".

    ResponderExcluir
  14. Meu Deus!!!!!! Vc tem noção do quanto vc foi usado?

    Se isso é ser um Cristão confuso; quero ser confusa tb....rsrsrsr...

    Um abraço,
    A escriba do rei-http://aescribadorei.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  15. Poxa Zé Luis, como foi que eu perdi esse texto de vista? Muito bom!
    Só tenho que dizer que, acêca das convenções, as aceitamos por pura conveniência.. infelizmente.
    O tratamento de Deus é totalmente no campo do intelecto humano e ali existem correntes mais pesadas que o indivíduo possa carregar. O problema é que alguns resolver conviver com as correntes e conseguem espaço para isso.
    Fico feliz com o agir de Deus em tua vida. Deve ter sido uma sensação ótima! Parabéns.

    Abçs!

    ResponderExcluir
  16. Zé este texto é lindo. Se eu te contar os sonhos q já tive tb, nossa coisas muito fortes. Eu sou uma pessoa hoje em dia que p/ ir até a outra pedir perdão é difícil , pq qdo eu " fazia" isso, as mesmas se sentiam a ultima bolacha do pacote. Então eu sou na minha porém se vieram até a mim eu perdoou numa boa. Sei que tenho que "mudar" isso,tem 3 pessoas na minha vida que fizeram algo muito sério e grave envolvendo a pessoa que amo muito " minha mãe", estou lutando p/ perdoar, mas como é difícil.
    Amei seu texto, vc é nota 1.000 .

    ResponderExcluir
  17. PoiZÉ...

    'Tava dando uma espiada nos textos mais comentados e tive o prazer de parar aqui :)

    E que Deus me livre de mim mesma...

    O clímax deste belíssimo testemunho, para mim, reside no momento do abraço... E só! Não foi preciso mais nada para que se dissipasse todo o mal estar instalado. É impressionante como o Espírito de Deus age. Impressionante e constrangedor.

    Demorei a ver esta postagem, mas fico muito feliz por tê-la encontrado.

    Dri, minha amiga de infância, talvez nesse caso seja 'o que será que ele NÃO bebeu', isso sim rsss

    Meu respeito e minha admiração a todos os que são imperfeitos, mas que sabem em qual fonte devem beber,

    Rê.

    ResponderExcluir
  18. nossa...................

    é simplesmente lindo.

    Já tive u sonho com significado semelhante, só q no meu caso, as pessoas mais difíceis d perdoar são aquelas q falam mal d Jesus p mim, ou d minha fé. No sonho essa raiva abria um abismo entre mim e essas pessoas, um abismo d frieza em q eu afundava.

    Aí Deus me puxava dele, os agressores continuavam rindo d mim e blasfemando contra o que estava comigo, mas ao salvar-me senti-me bem melhor e os perdoei, pq Ele, q havia sido ofendido, as perdoava, e n precisa d mim para defendê-lo.

    Aprendi q essas pessoas q nos ofendem por causa da fé são as q mais precisam d paciência, pq n veem além do abismo.

    Glória a Deus, Ele me ensinou muito naquela noite e o vejo ensinando outras pessoas a tarefa q sempre temos dificuldade d realizar: O perdão

    ResponderExcluir
  19. nossa...............................

    foi simplesmente lindo.

    Eu já tive um sonho bem parecido, só que no meu caso, as pessoas mais difíceis de perdoar são as que ofendem minha fé, propositalmente, não como dando opinião mas só por maldade.

    E, nesse sonho, isso era um abismo de gelo e ódio, em que eu afundava por causa das palavras de duas mulheres, blasfemando sem parar contra mim e contra o Senhor.

    Aí o Senhor me tirou de lá, com uma única mão me puxou, e eu aprendi q o Senhor não precisa q eu o defenda, até mesmo porque Ele as perdoou, e queria que eu fizesse o mesmo. Obedeci.

    Nunca acordei tão bem como naquela noite, todas as pessoas de quem eu só me lembrava como cruéis, pareciam muito mais dignas d paciência, naquela noite o Senhor me ensinou que elas só agiam assim porque não podiam ver além daquele abismo.

    Se pudesse descrever a sensação.... E vejo Deus fazendo o mesmo com outras pessoas, esse seu sonho foi digno de um Aleluia, que o Senhor continue agindo na vida de todos nós e de nossos inimigos, precisamos aprender a amá-los, uma lição maravilhosa neste post e em todo o seu blog.

    ResponderExcluir