10 de agosto de 2010

Uma demonstração de personalidade

Um dono de empresa, seguindo a moda das gestões agressivas, entendeu que estava na hora de mudar o estilo de sua administração, e contratou um novo gerente geral, com aquele perfil “dinâmico-enérgico-inovador” tão cobiçado por tantos empresários.

Logo no primeiro dia, a tal homem veio com sua postura de quem é capaz de revolucionar qualquer segmento de qual faça parte, trazendo a tiracolo assessores e secretárias, sua equipe importantíssima.

Acompanhado pelos ansiosos donos da fábrica, saíram em inspeção pelo imenso galpão logo no primeiro dia, e não foi difícil encontrar alguém desprevenido:

Estava perto da hora do almoço e , enquanto todos na produção trabalhavam conforme sua rotina diária, um rapaz distraidamente observava a tudo, com mãos no bolso, tranquilamente encostado na parede, alheio a tudo a sua volta.

Era a oportunidade que o gerente precisava para demonstrar sua força, sua didática:
-Qual seu salário mensal? - questionou ele, encarando o rapaz com um leve sorriso.
-Quinhentos conto... Por que quer saber?

O administrador deu uma olhada superficial para seu grupo, balançando a cabeça negativamente. Tirou um maço de notas do bolso, contou o dinheiro que seria o salário do garoto, e entregando a ele quinhentos reias, vociferou:
-Eis aí o salário do mês. Agora, desapareça e não volte mais a essa empresa, ela tem outro perfil para seus colaboradores!

O rapaz franziu o senho, pegou o dinheiro lentamente,e saiu, conforme as ordens recebidas. O gerente então, enchendo o peito orgulhoso,e pergunta ao grupo de operários que pararam para ver a cena:
- Algum de vocês sabe o que este cidadão fazia aqui?
- Sim, senhor - responderam os operários, alguns já se rindo - Ele é motoboy, veio entregar uma pizza...horário de almoço...

Alguns, na ânsia de demonstrarem como são bons os seus métodos, esquecem de se precaver contra sua própria imbecilidade, deixando-a totalmente exposta justamente àqueles que não poderiam percebe-la

Recebi por e-mail e dei uma "adaptada".

2 comentários:

  1. Oi Zé!
    A capacidade que alguns têm de presumir que são o "supra-sumo" das entidades a que pertencem me fazem pensar se estes realmente já não estão desequilibrados.
    Esta cena que vc descreveu é o retrato de diversos ambientes em que vivemos. E não só nos profissionais, mas nos religiosos.

    Belo texto, mano..

    Paz, mesmo em guerra..

    Gildo

    ResponderExcluir