Uma demonstração de personalidade

Um dono de empresa, seguindo a moda das gestões agressivas, entendeu que estava na hora de mudar o estilo de sua administração, e contratou um novo gerente geral, com aquele perfil “dinâmico-enérgico-inovador” tão cobiçado por tantos empresários.

Logo no primeiro dia, a tal homem veio com sua postura de quem é capaz de revolucionar qualquer segmento de qual faça parte, trazendo a tiracolo assessores e secretárias, sua equipe importantíssima.

Acompanhado pelos ansiosos donos da fábrica, saíram em inspeção pelo imenso galpão logo no primeiro dia, e não foi difícil encontrar alguém desprevenido:

Estava perto da hora do almoço e , enquanto todos na produção trabalhavam conforme sua rotina diária, um rapaz distraidamente observava a tudo, com mãos no bolso, tranquilamente encostado na parede, alheio a tudo a sua volta.

Era a oportunidade que o gerente precisava para demonstrar sua força, sua didática:
-Qual seu salário mensal? - questionou ele, encarando o rapaz com um leve sorriso.
-Quinhentos conto... Por que quer saber?

O administrador deu uma olhada superficial para seu grupo, balançando a cabeça negativamente. Tirou um maço de notas do bolso, contou o dinheiro que seria o salário do garoto, e entregando a ele quinhentos reias, vociferou:
-Eis aí o salário do mês. Agora, desapareça e não volte mais a essa empresa, ela tem outro perfil para seus colaboradores!

O rapaz franziu o senho, pegou o dinheiro lentamente,e saiu, conforme as ordens recebidas. O gerente então, enchendo o peito orgulhoso,e pergunta ao grupo de operários que pararam para ver a cena:
- Algum de vocês sabe o que este cidadão fazia aqui?
- Sim, senhor - responderam os operários, alguns já se rindo - Ele é motoboy, veio entregar uma pizza...horário de almoço...

Alguns, na ânsia de demonstrarem como são bons os seus métodos, esquecem de se precaver contra sua própria imbecilidade, deixando-a totalmente exposta justamente àqueles que não poderiam percebe-la

Recebi por e-mail e dei uma "adaptada".

Comentários

  1. Oi Zé!
    A capacidade que alguns têm de presumir que são o "supra-sumo" das entidades a que pertencem me fazem pensar se estes realmente já não estão desequilibrados.
    Esta cena que vc descreveu é o retrato de diversos ambientes em que vivemos. E não só nos profissionais, mas nos religiosos.

    Belo texto, mano..

    Paz, mesmo em guerra..

    Gildo

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Os 10 números mais significativos da bíblia

Sobre anjos: 10 erros comuns