Entre louvores e adoração: do que se trata?

por Zé Luís


Esse conjuntinho de palavras tão utilizadas por miríades de cantores de músicas de cunho “evangélico”(uso o termo para aquele cristão chamado protestante, mas que assumiu um aspecto um tanto místico, meio radical-fundamentalista em sua compreensão um tanto rasa, com frases prontas e crenças absurdamente desconexas) é uma “Tag” de uma vertente de mercado fonográfico que rende milhões.

Mas afinal: Você já parou para pensar sobre o significado destas palavras? Louvor e adoração?

Você louva a Deus pelo que Ele faz, e adora a Deus pelo que Ele é.

Quando você reconhece que o Mestre está por trás daquela situação inusitada e maravilhosa, é inevitável que você louve-O por suas obras e ações. Alguns se emocionam, choram, outros gesticulam e saltitam, reações variadas muito de ser para ser. No Brasil , por exemplo, na explosão da comemoração de um gol no futebol, muitos jogadores erguem os indicadores ao céu, e agradecem a Deus, não sem depois soltar um sonoro palavrão e cuspir saliva seca.

Quando você consegue vislumbrar de alguma forma o Grande Eu Sou, só há duas reações: a de total aversão e medo, e a de total adoração(não existe outro nome que substitua esse). Uma reação próxima a de Pedro, que se assombra com a grandiosidade do que ia alma do Cristo pede que se afaste, para que não seja fulminado pode ser considerada natural.

A forma única de conseguirmos adora-lo – nos moldes do “em Espírito, em Verdade - só é alcançado mediante a autorização do próprio Espírito – quando conseguimos tatear sua real Natureza, tão fantástica e familiar.

Dentro deste pequeno e simples mapa, um gabarito quase binário, fica claro o quanto nosso entendimento está distante do que é e o que se pratica quando cantamos louvores, e de quanto são raros na essência de sua composição.

Como alguém pode louvar um deus, se suas verdadeiras ações não estão em foco? Prega-se, por exemplo, que o verdadeiro interesse de Deus é nos tornar financeiramente estável. Louvar por algo que ele não prometeu é como ser grato pelo presente que não foi dado por Ele, o que é preocupante: perde-se o discernimento gradativamente do “objeto” que deveríamos adorar. 

Apenas com sinceridade é queLouvo, reconheço como ato dos Céus. Se não os vejo, os simulo como um exercício respiratório, o que nada mais seria que uma invencionice da minha parte, uma mentira.

Mesmo é a adoração: é possível estar cantarolando bobagens, declarando coisas que não creio nem entendo, imaginando ser isto adoração: repetições de elogios rasgados - embora sejam feitos de forma mecânica, sistemática, a alguém que nem mesmo conhecem(e muitos, mesmos profissionais da área, estão ateus neste quesito, e o pior: sabem disso).

Se você pretende fazer um “louvorzão”, saiba que ele pode ser feito na unidade da alma, onde ela é íntima e solitária. Se conseguir ser assim um adorador, você pode se dizer fantasticamente feliz.

Comentários

  1. Caro irmão Zé Luiz!
    Excelente postagem! Eu LOUVO a Deus por sua vida, caro irmão; E ADORO a DEUS pela palavra poderosa que tem sido ministrada por este blog.

    Dálton

    ResponderExcluir
  2. Oi Zé!
    Verdades devem ser ditas mesmo.
    Concordo em número, gênero e grau.
    Incrível como as pessoas parece desejarem a manipulação de suas emoções se colocando a mercê de interesseiros.
    O foco está a cada dia mais fraco.
    A palavra de Deus não tem estado nas letras das canções..
    Que Deus nos ajude.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Os 10 números mais significativos da bíblia

Sobre anjos: 10 erros comuns