11 de outubro de 2010

Kaká estaria saindo da Renascer por causa da má gestão do dízimo

A má gestão do dinheiro por Estevam e Sônia teria deixado
Kaká chateado; ele é o maior dizimista da igreja

O jogador Kaká (foto) já teria colocado um pé fora da Renascer em Cristo por estar descontente com a administração do dinheiro do dízimo por Estavam Hernandes (foto) e sua mulher, Sônia (foto), que são os fundadores igreja.

O jogador do Real Madrid é o maior contribuinte individual da Renascer. Ele nunca falou quando dá para a igreja, mas o dízimo corresponde a 10% de todos os ganhos de um fiel, e Kaká, um dos jogadores mais valorizados do mundo, é muito devoto à Renascer, pelo menos até recentemente.

Além do dízimo, o jogador teria feito doações extras à igreja, que passa por dificuldade financeira já há algum tempo. Em um recente culto, Estevam reclamou dos fiéis que não contribuem nem com a “miséria” de R$ 15 e, por isso, a Renascer está com dificuldade para pagar até a conta de energia elétrica de seus templos, em torno de R$ 400 mil por mês.

De acordo com a coluna da Zapping, da Folha de S.Paulo, há dois meses Kaká ficou irritado ao saber que tinha caído parte do teto do templo da Renascer na Mooca, zona Leste de São Paulo. Ninguém ficou ferido, mas o jogador, ao consultar um perito, teria sido informado de que houve negligência da parte dos responsáveis pela igreja.

A Renascer negou ter havido o desabamento e informou que o tempo da Mooca está em reformas. A assessoria de Kaká nem confirma nem desmente a sua provável saída da Renascer.

Em janeiro de 2009, desabou o teto do templo de Cambuci, zona Sul de São Paulo, matando nove pessoas e ferindo outros 106. Ainda tramitam na Justiça pedido de indenização de parentes dos mortos e de sobreviventes. A igreja tem se valido dos recursos judiciais para postergar o pagamento das indenizações.

O suposto afastamento de Kaka da Renascer explica as declarações que Caroline Celico, sua mulher, tem tem feito ultimamente, como a de que “Deus não está na igreja”.

Embora tenha sido “promovida” à pastora por Estevam, Carol deixou de ser uma assídua frequentadora dos cultos. Ela passou a se dedicar aos encontros com socialites promovidos pela sua mãe, a católica Rosângela Lyra, que é diretora no Brasil da grife Dior.

Desde o ano passado, bispos de confiança de Estevam têm deixado a igreja, o que teria feito Kaká pensar se vale a pena continuar na Renascer. A mais recente defecção foi do bispo José Antônio Bruno no começo deste ano.

Quem sai tem mantido a lei de silêncio, evitando criticar a igreja em público. Mas no caso do Zé Bruno, que também é deputado do DEM na Assembleia de São Paulo, ele teria dito a parentes estar cansado de ser “laranja” de Estevam.

Em agosto, Bruno foi acusado pelo Ministério Público Federal de, como responsável pela Fundação Renascer, ter desviado R$ 1,9 milhão de um programa do Ministério da Educação para a alfabetização de adultos.

Em julho do ano passado, Kaká recebeu de Estevam a unção de presbítero. O jogador vinha dizendo que, quando tiver de deixar o futebol, se tornará pastor.

Se de fato sair da Renascer, Kaká poderá abrir a sua própria igreja.

Visto no Paulopes