4 de outubro de 2010

Um subversivo: Apesar de você...


Antes que meus irmãos evangélicos fundamentalistas me recriminem pela escolha, meu pai ouvia isso quando eu era bem menino, a idos trinta e poucos anos, e não vejo na maioria destas coisas a divisão entre "de Deus / do Mundo"(vejo mais o "cunho religioso/ tema livre")

A canção, que sempre achei um porre(ainda mais quando virei uma adolescente ouvidor de Heavy Metal, um candidato a HeadBanger ABC), tem um profundo teor subversivo, já que enfrentava um regime que sumia com pessoas, torturava-as, quando e como queria.

O homem silencioso que meu pai é - até hoje - sorria enigmático quando ouvia essas canções. Entre elas, a que vai acima. Jamais imaginei que ali, o meu pacato pai de mais quatro meninas, contabilista, garçom de fim de semana, era um simpatizante do movimento anti-governo. Só a pouco tempo percebi, ao analisar a letra, e perceber a coragem quando o cantor desafiava-os, através dos milhares de auto-falantes das rádios do Brasil, apesar da força bruta que imperava.

Hoje me vi a cantando, e sem querer, descobri mais um atributo em meu distante pai que não tive a chance de decifrar na época em que a vida nos mantinha juntos em uma mesma família.