24 de novembro de 2010

Mais caminhos indescritíveis

por Zé Luís

Primeiro capítulo do primeiro livro da Bíblia, Genêsis, onde o mundo está sendo construído em seis dias, os princípios de todas as coisas.

A cada dia, enquanto o Criador faz sua obra, lê-se a frase:

“E foi a tarde e a manhã, o dia...”

Essa mesma frase – aparentemente invertida – é usada algumas vezes, descrevendo o tempo de forma inversa, como se o período vespertino viesse antes do matutino.

Nem se percebe que não poderia de outra forma: se esse Deus é um ser capacitado a criar universos, andar pelo tempo ou entre as dimensões como quem passeia em um quintal, ignorando as regras de nosso mundo temporal, portal, perecível, é totalmente plausivel.

Tanto faz para Ele estar começando pelo fim, ou se desde a fundação da terra seu Filho já estar crucificado, meso quando ainda planta o pomar do Éden: Como explicar seu caminho nesta dimensão?

Mas há como se vislumbrar os relampeios de seus atos, se observarmos seu sutil e perfeito rastro. Perceba Ele usando de tarde os possíveis erros da manhã(e os evitando), e só se entender quando se lembra do que se passou; entender que a dor da manhã nos preserva na tarde, como que no passado o futuro se resolvesse quando Ele é quem trabalha nem nós.

Deus já cuidava no futuro, nosso passado de 2000 anos atrás, a queda do homem ainda no paraíso.

Deus cuida da manhã errada de nossas almas nos atos da tarde de hoje, curando com seu dom perdoador onde não conseguimos mais acessar. Ele caminha por nossas almas nos guardando da morte, incluindo vida em nosso início já vivido.

Perdão faz parte disso.

Por isso, nem os anjos o sabem ou compreendem, e nós, que vemos em parte, mesmo com seu Reino exposto a nós, não entendemos a dimensão na qual faremos parte, e até sentimos saudade, embora nunca estivemos lá. Caminhamos a manhã de uma tarde que já está lá pronta.

A manhã se apronta para montar a tarde que vivo agora.

A inexplicável Graça se espalha e derrama pelas almas limpando frente e verso, fundo e topo, os tempos que para Deus não significa nada.

Um comentário:

  1. PoiZÉ,

    Enquanto uns rígidos e inflexíveis afirmam que esse Deus só pode fazer umas coisas e outras não, Ele se faz um verdadeiro poema atemporal na desconstrução diária em meio ao aparente caos...

    Isso endoida o cabeção dos céticos rss

    ResponderExcluir