3 de dezembro de 2010

Paranóia


Peguei-me rindo lembrando da letra da música acima.

De onde vim, Raul Seixas era quase uma religião: a Boemia. Isso a algumas décadas (sinto-me um fóssil).

Hoje, a tal letra, lembra a realidade de muitas pessoas dentro das igrejas. Basta ouvir e perceber que tudo o que ele ironiza é a mais pura verdade na vida de muitos.

Tragicômico eu diria.

3 comentários:

  1. Zé... seu humor sempre me surpreende kkkkk odeio esta música mas como foi vc q postou eu Ri alto rs,rs.

    ResponderExcluir
  2. Nun gosto do Raul, pq ele nasceu há dez mil anos trás, fez pacto com o capeta e num durmo a noite se ficar olhando as capas de tds CDs q aqui ficaram de "herança"...kkk

    ResponderExcluir
  3. Conceitos a parte...fico impresionada como esse cara conseguia expressar em palavras sentimentos tão profundos...
    eu já sou da época do Renato Russo, mas fóssil foi muito boa kkkk

    ResponderExcluir