3 de dezembro de 2010

Paranóia


Peguei-me rindo lembrando da letra da música acima.

De onde vim, Raul Seixas era quase uma religião: a Boemia. Isso a algumas décadas (sinto-me um fóssil).

Hoje, a tal letra, lembra a realidade de muitas pessoas dentro das igrejas. Basta ouvir e perceber que tudo o que ele ironiza é a mais pura verdade na vida de muitos.

Tragicômico eu diria.