9 de dezembro de 2010

A vítima, o travesti e a mentira

por Zé Luís

Dia desses, ouvia sobre um programa dominical. Nele, um detector de mentiras era acionado enquanto alguma celebridade – instantânea ou não – era sabatinada pela apresentadora, e a cada mentira detectada, parte dos iniciais R$20.000,00 doados a pessoa era descontada.

Geyse Arruda, “vitimada” num evento registrado na faculdade UNIBAN em São Bernardo do Campo teve que enfrentar o tal detector de mentiras, onde a entrevistadora, Ana Hickman, munida de mais dois inquisidores bombardeavam-na com uma série de questões relacionadas a sua índole, seu interesse pelo dinheiro – e não por justiça ou retratação de danos “morais” como alegava seus advogados quando processaram a faculdade pelo ocorrido ( algumas testemunhas do evento contam que ela não apenas usava seu vestidinho vermelho curtíssimo, mas dispensou o uso de peças íntimas enquanto andava pelos corredores dos andares superiores do patio, onde alguns alunos, que voltavam dos barezinhos que lotam as caçadas da frente, se excediam em sua comemoração, até que a situação perdeu o controle, e força policial foi chamada para escoltá-la.

A mídia, de posse de um vídeo feito por celular, colocou em todos os jornais a atitude “machista” contra quem só queria andar com um vestido mais curto.

Geyse Arruda, que sabia intimamente tudo o que ia em suas intenções, perdeu muito dinheiro no tal jogo, pois mentia descaradamente sobre isso, tentando driblar o detector de mentiras quando garantia que a real intenção das ações judiciais eram morais, e não financeiras.

A vítima mostrou suas garras, e perdeu muito do que amava – dinheiro – por suas mentiras, diante de milhares de pessoas que viam ali a grande manipulação na qual a informação fora dada.

Semanas seguintes, Nany People, conhecido travesti, entrou na mesma sabatina, com perguntas mais cruéis, sobre agressão familiar, abusos sexuais sofridos, seu nome masculino, as cantadas de heterossexuais – gente casada e com filhos – que levou mas se recusou a revelar nomes, mesmo que descontasse parte de seu dinheiro. Fiz questão de parar para assistir.

Foi a primeira vez que alguém conseguiu sair com vinte mil reais limpos, sem uma mentira.
Fiquei ali, assistindo aquilo, embasbacado e arrepiado, ao pensar que jamais me submeteria àquele detector de mentiras (ainda mais diante de milhares de telespectadores, vendo o entrevistado mostrar sua verdadeira e despida alma) e envergonhado ao perceber que um gay assumido não escondeu nenhum de suas dores, seus pecados, seus vexames.

Ali, entendi por que Jesus disse que o céu seria primeiro de prostitutas e ladrões: estes possuem plena consciência de seus erros, sem a falsa ilusão de que são suficientemente bons. O pecado da mentira hipócrita não vai neles. Sabem que precisam do Mestre, e Ele, quando vier, não encontrará resistência nestas vidas. Encontrará um olhar implorando por resgate, e porta aberta para o agir do Santo.

Nesse meio cristão, existe pavor em se falar da vida íntima abertamente, já que omitir nossas fraquezas, vícios, mesquinhez, hipocrisia, soberba e tantas coisas que nos envenenam gradativamente, é “necessário” em um ambiente onde se presa o santo e o correto(dentro dos padrões estabelecidos pela tal comunidade).

Temos muito ainda que aprender, e a sinceridade com nossa vida pode ser uma aula que os travestis podem nos ensinar, por mais incomodo que possa ser.

Duro foi ter que dormir com mais essa. Acredite.

16 comentários:

  1. PoiZÉ,

    É isso que os arautos da pseudo moral religiosa não conseguem atinar...

    ResponderExcluir
  2. Nossa tiro meu chapéu para o que vc falou Zé: "O pecado da mentira hipócrita não vai neles" . Tô contigo em tudoooo , eu repito isso diariamente e sou apedrejada, mas não me importo, o que vale é que Deus sabe o qto sou sincera e não escondo Dele nada que sinto e que faço.

    Abração Cris*

    ResponderExcluir
  3. Parabéns Zé Luis!

    Meu amigo, realmente gosto dos seus artigos. Continue assim ;)

    ResponderExcluir
  4. Zé eu tive que voltar aqui.... já li e reli este texto hoje, e eu fico maravilhada ao ver pessoas como vc combatendo a hipocrisia no nosso meio cristão. Se eu tivesse um troféu de " ouro" eu te mandava rs,rs , mas como não tenho vai meu abraço!

    ResponderExcluir
  5. Nossa! Eu não suporto pessoas que se fazem de " puritanas" dentro da igreja, dizem q nunca fizeram tal coisa ou "pensou" em fazer, vc matou a pau com este texto Zé.
    Olha te digo... o q me faz ficar seguindo o seu blog todos os dias, é que vc aborda assuntos diversos , usa de um humor que amo , mas qdo tem que falar sério, não brinca e nem usa meio termo. Tu é 10.

    ResponderExcluir
  6. Sabe Zé,
    Muitas vezes nos vemos algemados ou por nós mesmos ou porque a "suposta religiosidade" nós atou...
    Vejo pessoas que convivem comigo, tanto no bairro quanto na igreja disputando o premio de "O mais espiritual do Ano", quando estão na igreja é só "gloria" quando estão na rua se comportam como marginais,em casa então são pior que o Sadan Hussein...
    Sempre paguei um preço alto por falar o que penso e ser o que sou em qualquer lugar, não sou enxerida nem faço ninguem ficar desconfortavel com a minha presença, mais nem sempre o que falo agrada a gregos e troianos... Assuntos sobre sexualidade sempre foi tabu na igreja, e quando o meu pastor se propoe a convidar missionarias pra dar uma palavra para as irmas, sempre estou lá.. falando, perguntando e tudo o mais... e todas as vezes que isso acontece, eu sou depois alvo da sabatina... Engraçado como vejo muitas mulheres cristãs sendo massacradas por maridos possessivos ou simplesmente levam um casamento de fachada pelo receio de perguntar e conhecer seus proprios desejos..
    Nossa, acho que to meio que viajando no meu comentario, mais é isso ai...
    É facil pagar de santarrao ou santarrona, vestir um terno ou uma saia, colocar a biblia debaixo do braço e gritar Aleluia, o dificil é manter essa mascara diante de Deus.

    ResponderExcluir
  7. Eu vi o programa com a Nany. Realmente ela tem a sinceridade que muito cristãos devem ter.

    Acabei de saber da queda de mais homem de Deus. Provavelmente isso virá a mídia muito brevemente pois ele é pastor e cunhado do líder de uma igreja famosa. Nos bastidores dizem que ele estava envolvido com adultério há três anos, até com menores e tb desvio de verbas. Porém, eu vi aquele homem pregar sobre santidade de uma maneira tão eloquente que me fez endireitar muitas veredas. Aí eu penso: Como pode? O homem não ter temor, não ter verdade nem diante de Deus? Estou em choque e preocupado com mais esse monte de ovelhas que estão e vão ficar sem chão.

    É duro demais admitir, mas ele precisa da sinceridade de Nany People.

    Ele e todos nós!!!!

    ResponderExcluir
  8. Zezinho, faz tempo que não passo aqui, sorry!

    Cara, adorei este texto. A mais pura verdade esta!

    Queria muito que a liderança cristã que anda por aí na TV passasse por este detector de mentiras. Iria ser lindo ver suas máscaras cairem.

    Anyway, um dia ele acontecerá (passar pelo detector), perante o Grande Juiz.

    Lá não vai ser perdido apenas 20 mil reais...

    Abraço!

    JC

    ResponderExcluir
  9. Infelizmente todos usamos máscaras. Algumas pessoas tem a felicidade de encontrar alguém com quem possa dividir as dores,mostrar-se de cara limpa. Isso é raro, e também perigoso. Mas aquece a alma.

    ResponderExcluir
  10. Zé... perdão em voltar aqui rs,rs ,mas é que detesto número ímpar e vejo q comentei 3 vezes, faço mais 1 comentário para ficar 4 e ficar par ok? rs

    Ótimoooooooo textooooooo Ameiiiiiiiii! \☺/

    ResponderExcluir
  11. PoiZé [2]...

    Mas, a questão da Geyse não foi bem assim não... Hahaha... Eu assisti no dia! Ela realmente se mostrou ofendida por tudo o que aconteceu com ela e tal e... Quanto a ela querer dinheiro agora, prevendo preconceitos, tentou negar.

    Não vejo problema nenhum em se querer dinheiro depois de se passar por uma coisa daquelas!

    Eu diria logo: Quero! Quero dinheiro, sim! O que aconteceu comigo foi grave. É só perdendo dinheiro que aprendem? Então, eu quero dinheiro! Quero tudo! Quero o máximo! 20, 40 mil é uma quantia ridícula para o que eu passei! É uma ofensa!

    Quero de um milhão para cima!

    Que pedido de desculpas o quê?
    Isso não resolve nada!

    Com dinheiro, eu pelo menos posso pagar minhas contas e viver bem! O dinheiro é o melhor pedido de desculpas que eles podem me dar!

    Era só ela ter sido sincera desde o início, ora bolas. Eu a entendo perfeitamente por ter mentido sobre a questão do dinheiro no início!

    ResponderExcluir
  12. Laodicéia foi severamente criticada - dizia tudo está bem - hipocrisia - infelizmente cresce - falar das suas fraquezas para os irmãos - se tornou algo perigoso - pois - infelizmente - quando menos se espera jogam tudo na "sua cara" - as marcas vão ficando - alguns preferem o isolamento - é errado - mas pra que se arriscar

    ResponderExcluir
  13. Porque vocês ficam perdendo tempo com este tipo de programa??, podia estar lendo a Bíblia e orando para os que não tem uma vida sincera com Deus. Deus os abençoe !!

    ResponderExcluir
  14. Detector de mentiras pegam os maus mentirosos. Quem passa, não necessariamente é verdadeira, MUITO MENOS necessariamente é mentirosa. Sou estudante de psicologia e fiz minha iniciação científica sobre os detectores de mentira diversos.
    Pretendo fazer meu mestrado sobre os sociopatas e mentirosos.

    ResponderExcluir
  15. de sinceros o inferno está cheio, não basta ser sincero, tem que provar a Deus arrependimento. Já na questão de "cristãos" falsos ou não acho que cada um dará contas ao Senhor! e mais outra, não te vangloria muito não meu irmão que acha que é melhor que o irmão do lado, porque se existem cristãos assim é devido a este evangelho fraco que você anda pregando, se anda, porque a maioria é cristão de igreja. Ou quer passar esta responsabilidade pro irmão do lado também? como muito ouvi no passado e até brincávamos, meu irmão vai te converter!!! hehehehe. abçs. Fabiano Dias

    ResponderExcluir
  16. Falou e disse ... em gênero, número e grau!

    ResponderExcluir