27 de abril de 2011

Triste constatação

por Zé Luís

Por curiosidade, recentemente fiz uma busca no Google pelo nome “Piragine”.

Fazem mais de sete meses desde que o “bombástico” vídeo do pastor Paschoal Piragine se espalhou pela rede de forma viral, advertindo sobre os perigos de manter o atual partido no poder.

Perigos? Imensos. Riscos a integridade da vida cristã? Satânicos investimentos contra a igreja. Constatações do fim de uma era de paz e alegria(?): eminente risco.

Manter o atual partido no poder era por em jogo a virtude cristã vivida tão fielmente pelos crentes brasileiros...ai, ai...

Esse vídeo e a série de spams disseminados, dentro de uma esteira maldita que cuspia lixo dia e noite, desapareceram de uma hora para outra, mostrando claramente que o interesse era simplesmente eleitoreiro, que tudo não passava de uma jogada de marketing muito bem elaborada, que não havia a mínima intenção em salvar o Brasil das mãos de gente – supostamente - maldita. Era apenas o partido X lutando pelo lugar do partido Y, e usando as ferramentas que tinham, éticas ou não(sem se importar se faziam da boa fé motivo de chacota).

Era uma brincadeira usando a credulidade dos fieis em relação ao titulo "pastor" que um homem usa, e que aprenderam doutrinariamente a respeitar.

Minha irmã, profissional graduada da área de educação, é militante do PT, e foi hostilizada em muitas ocasiões por evangélicos quando simplesmente comentava o plano de governo na área de atuação dela: isso fazia dela adoradora do diabo, graças a forte campanha divulgada pela máquina que parava cultos para divulgar o conteúdo do vídeo do pastor batista.

Marina Silva - lembra dela? - transformasse, de repente, na salvação da pátria, onde se fecharia madeireiras e se preservaria o meio ambiente, resolvendo todas as outras nuances econômicas que envolvem a nação, como emprego, moradia, industrialização (que gera o emprego), educação... Claro: o movimento verde estrategicamente serviu para dar fôlego a campanha da oposição, que já ia para o ralo no primeiro turno. Marina deu uma chance a Serra. Quem imaginaria?

Muitos dos que se dizem esclarecidos pelo Evangelho de Jesus foram enganados, gente crente se dizendo antipática a determinado candidato por conta da aparência física do mesmo, que o desagradava ou lembrava algo ruim(?).

Os temas abordados: Aborto por exemplo? Quem quem quer falar disso agora? Será que as adolescentes pararam de engravidar e a prática criminosa parou por encanto? Onde estão os cristãos com seus rompantes morais indo a TV em horário nobre com acusações e clipes muito bem elaborados? Essas coisas são para serem usadas por pastores mal intencionados em tempos de eleição, quando “tal” partido o convida para um apoio que irá lhe beneficiar financeiramente.

Confesso: irritação e vergonha me inundaram ao ver meus irmãos de fé fazendo parte daquela imensa palhaçada, entregando-se como ovelhas nas mãos de “pastores”(termo injusto para estes, conheço pastores de verdade). Fez-me repensar sobre o verdadeiro papel da Igreja neste mundo: Se temos ou não chance de enviar almas ao Reino, ou tudo não passa de uma continua máquina para colocar gente no poder.

O mais triste é constatar que um homem que faz de sua fé, profissão, o Pastor batista Paschoal Piragine Jr., homem que certamente é conhecedor das Escrituras, que está diante de um rebanho de almas do Mestre, não tenha tido a Palavra - que o faz ser chamado de pastor - o ponto alto de todos seus sermões, mais sim, uma defesa política encomendada, que busca manipular os salvos de Cristo, em nome de um partidarismo que o beneficiária.

Depois desse vídeo, nada mais há na internet sobre os trabalhos deste homem em prol do Reino que seja realmente válido.

Nada mais.