15 de maio de 2011

Graças a Deus chegou o Juízo final

por Zé Luís


Engraçado – ou trágico - como algumas pessoas associaram a sátira acima como algo a ser citado como exemplo de alerta ao que há de sobrevir sobre o mundo nos próximos tempos.

Pelamordedeus!

Isso é uma ácida galhofa - muita válida – ao que as igrejas evangélicas encucam em seus seguidores, o que impõem como aceitável e divulgam através de livros, músicas, filmes, estudos, pregações: “O medo que nos impele a fazer coisas boas por um destino feliz”.

Algumas compreensões contemporâneas cristãs realmente são – no mínimo - cômicas, e as consequências disso na vida nos indivíduos que as aceitam sem ponderação, um mínimo de conhecimento da História, ou mesmo, uma breve análise na forma em que Deus é apresentado nas Escrituras, jamais aceitariam essa forma de atitude divina.

Quantas religiões e seitas arriscaram, de forma particular, informar aos seus pequenos grupos, que Deus, na intimidade particular de um líder específico, tinha a interpretação que nem Cristo prestou-se a informar ( e quando o fez, disse que todos os Dele saberiam).

Caso, nesse dia 21 de Maio de 2011, o mundo venha a acabar como prevê a Family Radio americana, cujo o investimento chegou a $120.000 em out-doors contendo alertas, creio que o resto do mundo bíblico terá muitas questões:

Os calvinistas que ficarem: “Mas eu tinha certeza que estava predestinado a ser arrebatado...”
Os arminianistas: “Sabia...eu não disse que o sangue do Cordeiro não era suficiente? Faltaram obras...”
Os que se julgavam suficientes e ficaram: “Qual versículo eu não li? Qual culto faltei? Qual oferta deixei de oferecer? Qual reunião de oração eu falhei?”

Os Testemunhas de Jeová dirão: ”Esse apocalipse aí é outro, o nosso tem uma vírgula aqui...é só olhar a tradução original que mostrará como correta é nossa interpretação...se bem que o Juízo já aconteceu, como prevemos a meio século atrás...”

Nisso - do dia do Juízo já ter acontecido – concordarão os Adventistas, discordando apenas das datas, enquanto mórmons se perguntarão: “A que hora Joseph Smith chega? Jesus já veio e ele nada?”

O problema maior: e se EU - esse ego enorme  -  ficar? Meus motivos para querer ser arrebatado são todos, mas a justificativa do Homer em se rebelar contra Deus é plausível: por ser cristão, amo, e não apenas os que comungam das minhas crenças. Jesus não fez isso, e o tenho como Mestre.

Sei que a morte já nos divide, deixando a mensagem: “você sempre deixará algo por resolver nessa terra...”, e isso em si já é doloroso o suficiente, mas não sei se quero o meu eterno destino junto a pessoas que se rejubilam com o desespero dos que serão deixados para trás. Neles podem estar seus filhos, seus pais, seus amados e amadas.

Caso nada aconteça após o dia 21? Prejuízo para aqueles que creram, ficando claro mais uma vez, que há algo muito errado na cabeça dos que lideram algumas igrejas (e que aos poucos está sendo generalizado aos que nos veem) e que este tipo de falha gritante só mostra o quanto precisamos de novas reformas. Até que enfim, o amor de muitos se esfrie e chegue esse tempo datado para dia 21 de Maio.