28 de julho de 2011

Um dia feito de vidro


Como dizia Renato Russo, "O futuro não é mais como era antigamente". Nas minhas quatro décadas de vida, vi o conceito de futuro mudar várias vezes. As vezes, o futuro seria tecnológico e cromado, noutras, é apocalíptico, feio, miserável, úmido. Existiram futuros pertencentes a macacos evoluídos, ou povoado por mortos-vivos contaminados por empresas inescrupulosas em experiências malignas.

O vídeo acima é de cunho publicitário, mas traz uma série de tecnologias - algumas já conhecidas - que em breve estarão disponíveis para aqueles que tem condições de adquiri-los. Um mundo ensolarado, limpo, transparente.

Não creio realmente que este será o futuro. Talvez seja mais um.

Nenhum comentário:

Postar um comentário