28 de janeiro de 2012

Nem o repórter suportou: o que sobrou do Pinheirinho?


Que coisa triste. Como disse Heródoto, esses repórteres são humanos, e estão sujeitos a sentirem o impacto da miséria humana. Pertinente a pergunta: será que esses juízes não são?

Não há policiamento ostensivo para impedir as mortes nas saidinhas de banco, nas chacinas nos morros, mas há contingente para pegar favelado e arrastar pelos cabelos em frente às câmeras.

Eu sei: esses profissionais seguem ordens... mas também que dormir a noite...

Falam agora em propina depositada na conta dos responsáveis no decreto da desapropriação das 7.000 pessoas, enviadas para dormir em uma quadra de escola.

Nenhum comentário:

Postar um comentário