1 de abril de 2012

Você me conhece?

por Zé Luís

Não espere que fale novamente dessa forma. Isso é o contrário de minha natureza, e a sinceridade é estar  traindo a mim mesma.

Se sou uma filha maldita? Aquela anã? Para muitos sou uma gigante inexpugnável, e quanto mais longe for, maior o estrago. Não tenho sentimentos nem remorsos, mas sei que sou amada por meu pai, pelo sucesso que minhas ações provocam, fazendo com que sua vontade se propague e prospere.

Você, certamente, me usou um dia, e não viu em mim problema algum. Na verdade, sou solução instantânea para apaziguar sua vergonha, sua falha, e te guardo naquele momento da exposição pública, mesmo que seja apenas um pequeno deslize que não justifique me usar.

Mesmo assim, me detestando, confia sua vida muitas vezes em minhas mãos , e se esconde nas coisas que lhe ofereço. Claro: desde que não saibam que sou eu quem está na sua vida, será capaz de ser tudo que seu coração desejar, fazendo-o rei, sábio, capaz e nobre.

Eu te auxiliarei na conquista de seus desejos mais mesquinhos, nas difamações mais desleais, ou mesmo nas aclamações mais irreais em prol de quem ama. Encantarei qualquer um com minhas improváveis bajulações, mas que eu não seja percebida! Esse é meu segredo: nunca sou bem vinda, bem vista, ou mesma aceita: o simples fato de ser visto comigo é ter seu atestado de indignidade, mostra o quanto é covarde e incapaz de assumir seus atos, condenado a ser sombra, ou menos que isso.

Não te contei?

Por minha causa, perderá o sono, apavorado com o dia fatídico que me descobrirão na sua vida, e souber, desgraçadamente, que você tornou-se eu, e eu não posso ser ninguém. Adoecerá: sua mente, sua pressão, sua memória... devastarei sua alma enquanto você luta para me manter oculta.

É como fazer um acordo com meu pai: a proporção que te elevo e protejo, é inversa e imensamente desproporcional àquele dia, quando sua escolha em me usar for descoberta e tudo ruir: te derrubarei, arrasarei, e só esse risco te fará perambular angustiado pelas madrugadas, suando frio, e buscando em mim, novas soluções para manter as coisas nos “devidos” lugares.

Quer me ver? Estou entre os adúlteros, os que tem sede de poder, nos que lutam em nome de seu próprio ego, aos que não aceitam o que são e me inventam como saltos que os projetem.

Sou solução e sou desgraça, sempre nessa ordem.

Quem sou? Quem te garante que esteja sendo sincera?

Sou sutil, mas jamais poderia dizer, com objetividade, o que realmente sou. Mas você certamente me conhece... espero que tão bem a ponto de me detestar.

Caso contrário, meu pai agradece.

2 comentários:

  1. PoiZÉ...

    Esse texto é um soco na consciência para que repensemos quais as bases que estão fincadas nossa existência.

    E entender que, por mais fascinante que possa parecer, 'a mentira tem perna curta'.

    Valeu!

    R.

    ResponderExcluir
  2. Meus parabéns! Gostei muito do seu blog. Que o Senhor Jesus Cristo te abençoe, abundantemente.

    Visite o meu blog e me adicione ao seu. Vamos fazer uma parceria. Aguardo sua confirmação.

    Acesse: http://iijesuseocaminho.blogspot.com

    Abraços.

    ResponderExcluir