3 de outubro de 2012

ESCOLHI MORRER

por SAMUEL NEVES

Certo dia deparei-me com a morte, tinha por volta dos 10 anos, eu acho. Consigo recordar do dia em que percebi que o pecado era algo ruim e que poderia me matar. Ouvi então que morrer era algo terreno e que viver era algo divino e eterno, mas tanto um quanto o outro eu só alcançaria morrendo. Estranho não é? Morrer pra viver e viver pra morrer? Eu só tinha 10 anos. Hoje, sei que ambos são uma escolha:
“Quando nascemos de novo em Cristo, assumimos nossa morte para o mundo, mas quando assumimos o pecado, nascemos para o mundo e assumimos a morte para Deus.”
De lá pra cá minhas escolhas de morte eram constantes, hora escolhia morrer para o mundo, hora morrer para Deus. Sei que você também é assim. Sua luta não é contra Deus! A minha -  e a sua  - luta é contra o mundo ( Efésios 6:12). Não há vida se não houver morte, Deus não poderá nos refazer se não chegarmos até Ele mortos. Isso mesmo, chegarmos mortos. “Deus fará você nascer de novo se Ele te encontrar morto para o mundo”, essa é a condição, morrer primeiro, nascer depois.

Nascer requer um ventre, mas nascer como nova criatura requer um novo ventre. É impossível ser uma nova criatura se você optar por nascer num ventre velho, nascer no mesmo ventre, assim você receberá por herança os mesmos traços de pecado que o ventre velho e imundo um dia lhe deu. “Escolha nascer em um ventre que lhe dará por herança um novo coração.”

Escolha morrer, mas escolha morrer para mundo. Permita que Deus o faça nascer de novo, Ele lhe conceberá em um ventre seguro e cheio de amor. Eu sei que morrer dói, senti essa dor quando ainda tinha 10 anos, e venho sentindo até hoje, “mas não há dor que permaneça quando ao sair do ventre nos encontramos nos braços do único que nos faz dormir em paz.”