11 de novembro de 2012

A grande revolta de meu cunhado

Sobre os atuais ataques de facções em São Paulo

por Zé Luís

"- O que mata nesse governo é esse acesso que pobre agora tem para tudo: Qualquer um pode ir lá e comprar um carro novo em 60 vezes - dizia ele, enquanto mastigava um naco de carne que assava na churrasqueira - Para você entender: o litoral norte de São Paulo sempre foi um lugar para gente de classe alta, pessoal mais seletivo, mas com as condições que esse pessoal conseguiu, eles não ficam só lá, nas praias sujas. Acabam subindo para emporcalhar as "NOSSAS" praias, vem trazendo a farofa e os carros estrondando com aquelas músicas do inferno..."

Meu cunhado é um cara talentoso, e tal talento, combinado com uma boa formação e esforço (claro: muita gente tem isso e não prospera como ele) ajuda a dar continuidade na boa situação financeira com que sustenta sua família, numa bela casa em um condomínio fechado de São Paulo.

Não o condeno: ele vê o lado dele, gerado dentro dessa cultura "meio escravagista", onde a manutenção da permanência dos pobres e ricos nessa situação, em nome da ordem, deve ser mantida.

O que mais me deixa embasbacado é quando um pobre, daqueles que meu cunhado não gostaria de ver em sua praia, começa a tagarelar como ele, defendendo pontos políticos e religiosos como aqueles defendidos pelos que não se importavam em nada com eles, esquecendo que seu carro novo não o faz bem-vindo nas altas castas.

Citando Tim Maia, que dizia que um dos motivos que o Brasil não pode dar certo é que pobre quer ser de Direita, vivemos em uma sociedade que - independente se manipulados pela mídia -  o sujeito que é massacrado pelo opressor o defende nas urnas.

Não espero aqui que você, caro leitor nascido em situação mais confortável, ache bom que esses "desgraçados nordestinos" ganhem aquela "imensa ajuda de custo" do Governo (a metade do que você gasta em um tênis) e permaneça defendendo que eles estão sendo ensinados a não batalhar pelo seu pão.

Falo com o sujeito que nunca teve nada, e de anos para cá, conseguiu adquirir alguns bens, por filhos numa faculdade (esquecendo-se que isso era só para uma mínima e privilegiada parcela da nação), financiar a casa, o carro, a TV de rico enorme da sala; para depois matraquear coisas que ouviu na TV(aquela mesma emissora que vomita lixo de tudo quanto é tipo na orelha dos seus familiares), como quisesse se enturmar com o pessoalzinho mais bonito.

Falo com o crente que foi e é espezinhado pela emissora que o apresenta como um imbecil, que defende um candidato que quer pô-lo novamente no limbo de seu desemprego, e já não lembra mais.

Por que, Deus amado, essa criatura que se diz cristã, que tantas vezes critica a programação daquela emissora, e fala mal do nível moral de suas novelas, se informa com o que eles oferecem em seus jornais?

"Conhecereis a verdade, e ela te libertará" dizia Jesus. Começo a crer que muitos dos que se dizem cristãos não conhecem realmente a verdade, e portanto, só se dizem.

Provas? Aproveito para mostrar algo no vídeo abaixo, compartilhado por Helena Negreiros. Você pode imaginar que falamos da atual situação de São Paulo, com execuções de policiais e suspeitos, onde o toque de recolher é instituído pelas facções criminosas, e se ouve estampidos de tiro por toda a madrugada. Não meu amigo, não é 2012: é 2006. A mesma situação, e o mesmo governador (reeleito!!!).

Perceba que a entrevista não é feita por uma emissora brasileira. Por isso você nunca ouviu falar dela antes.


Um comentário: