27 de janeiro de 2013

Diálogo entre cristãos

O diálogo pode ter acontecido entre dois amigos em qualquer lugar. Talvez dois crentes numa pausa de café, dois colegas de serviço almoçando, um papo por uma rede social ou um fórum de discussão. 

por Zé Luís

-Um Deus mais acessível, para todos os povos. O mesmo Deus. Isso é o que eu gostaria. Não restringi-lo a uma instituição qualquer que seja...
-Você está sugerindo “universalismo”? Poxa rapaz! Essa ideia de que no final, Deus se apiedará de todos, independente da crença, e os salvará? O que a bíblia diz a respeito?
-Diz que você é um chato?
-Como assim?
-Você é um chato, mas a Bíblia não afirma isso...
-Ah...que idiotice... não sei por que converso com você...
-Porque eu sou o único que te suporto...

Breve silêncio

-Mas universalismo não é de Deus! - insiste ele.
-Eu só disse que gostaria que Deus não estivesse submisso a vontade dos pastores, por exemplo...
-Mas desde quando Ele está?
-Eu posso ensinar o Evangelho por aí? A vontade?
-Desde que conheça e entenda o que você prega...
-Isso. Assim eu posso?
-Claro... Ide e pregai...
-Eu conheço o que está escrito em Marcos..."Ide e pregai a toda a criatura..."
-Claro...
-E o dízimo?
-O que tem ele?
-Se eu prego a Palavra de forma correta, as pessoas se reúnem para ouvi-la e depois se vão para propagar o que ensinei, como fica o Dízimo?
-Ah... isso aí não pode deixar de fazer...
-Mas para quem eu entrego? As pessoas ouvem, tem um encontro com Ele e vão, pregando a mesma mensagem e se reunindo para celebrar esse evento...
-Pronto! Eis aí sua igreja! A casa do tesouro pode ser aí! Daí você arrecada!
-Mas se as reuniões forem em cemitérios?
-Para que raios você vai querer celebrar um culto a Jesus em um cemitério?
-Ué... a igreja primitiva fazia isso, esqueceu? E o culto cristão é celebrado em volta de um símbolo de morte: a cruz era a cadeira elétrica da época. É como se andássemos com uma injeção de veneno letal em nossos pescoços...
-Eu sei de tudo isso. Eu só esqueci... o que me incomoda é a questão dos dízimos não terem espaço para serem devolvidos...
-Devolvidos a quem, criatura?
-A Deus, oras!
-Mas eu só quero apresentar Jesus para as pessoas. Não instituir um sistema para gerenciar finanças, não quero fundar uma organização ou fazer uma rede social religiosa com fundos monetários...
-Ah... você é muito confuso...
-Eu só queria dizer para as pessoas que Deus quer entrar em contato, que Ele está interessado em reatar nossas almas à Dele, e que o Espírito Dele é quem nos ensinará na caminhada, nos conduzindo e levando a outros com o mesmo Espírito. Só isso.
-Mas e a doutrina? E a teologia? O discipulado? Não é tão simples!
-O Espírito é incapaz de ensinar o necessário?
-Eu não disse isso!
-Eu só fiz uma pergunta... o Espírito ensina?
-Sim... claro...
-Se Deus é quem dizem ser, será capaz de fazer o que quer...inclusive capacitar pessoas, com ou sem recursos.
- E os custos disso? Quem paga a conta? Manter todo esse sistema?
- Sistema? Eu só falaria algo que li e que efetivamente considero ser digno de ser propagado. E por acreditar que algo realmente muda em nós quando se aceita aquilo como verdade. Por que teria de gerar renda para isso?
-E se você quiser viver só para isso? Transmitir isso em massa?
-Oras! Basta que aqueles que receberem, repassem. Por que eu teria de ser remunerado por isso? Veja: o tempo todo procuro apenas apresentar Deus, e o tempo todo você pensa em montar uma estrutura financeira. Seu eu quisesse uma empresa, não seria para vender algo que desafiasse Aquele que me aniquilará, se assim o quiser, a qualquer momento de minha existência
-Não sei. Essas suas ideias me parecem tolas. Existe todo um sistema estabelecido e que funciona muito bem...
-Meu amigo: esse sistema estabelecido não vive para propagar a Bíblia. Ele vive da Bíblia para propagar ele mesmo. O compromisso dessas instituições, mesmo com tantos versículos, são com elas mesmas. Fica claro quando se obrigam a dr maior enfase a coleta de ofertas... Eu só queria falar sobre o que Deus fez e faz...
-Mas isso não seria igreja... não tem púlpito, palco, cadeira, conforto, boa música...
-Na verdade, creio piamente que isso é que seja igreja: essa coisa simples, de gente se reunindo para celebrar sem rituais, repartir o pão em volta dessa ideia...
-Essa sua ideia é tola... quem se alimentaria dessa fonte?
-Só ovelhas, meu amigo. Apenas ovelhas...