29 de outubro de 2013

Gente horrível

por Zé Luís

Existem vantagens de viver na Terra Média, mundo fictício dos Senhor dos Anéis. Apesar das guerras e toda a trama que beira a obscuridade, os vilões da história são facilmente identificados, assim como o seu local de origem: Mordor.

Lá é a cidade dos orcs, vilões horríveis na aparência e no comportamento moral e ético. Essa é uma das grandes vantagens, e creio que uma explanação cabe, caso não se tenha alcançado o raciocínio para entender essa qualidade naquele pequeno inferno.

Os vilões da história são facilmente identificados: feios, selvagens, e conscientes de que estão do lado mal do enredo. Sabem quem atacar e estão cientes sobre quem servem: são de Sauron, a quem restou apenas um olho malévolo que observa o tempo todo, na procura do poder que lhe restaurará as forças. Ali está o mal da trama, sem sustos, sem dúvidas. Se você serve a Sauron, você é horrendo. Se não, você pode ser um cavaleiro honrado, um hobbit engraçadinho, um belo e alinhado elfo da floresta, ou um dedicado anão.

No nosso mundo a coisa já não é assim.

Creio que esteja lendo esse texto numa tela de computador, e ainda na linha dessa obviedade, é possível que faça parte de alguma rede social. E se faz - ou fez – parte desses grupos virtuais, já deve estar acostumado a ver aquelas lindas fotos que simbolizam cada indivíduo.

Pessoas bonitas, sorrindo uma simpatia – muitas vezes - só conhecida naquele pequeno momento virtual congelado por uma câmera. Clichês, citações, frases elaboradas buscam mostrar um personagem só existente nas páginas da web. , anunciando vida que – sinceramente - não tem. Não que não queiram segui-las, mas a intenção é vender a isca e atrair admiradores para suas farsas.

Daí a diferença de Mordor e sua grande vantagem: não existem máscaras nos monstros.

Pessoas horríveis não são tão fáceis de identificar quanto se imagina. As vezes, podem ser aqueles acima de qualquer suspeita(creio que esses são os mais horrendos), pois não são vistos na superfície, já que tentam maquiar não só seu sorriso nas fotos que o identificam, mas vender a ideia que psicológica e emocionalmente são impecáveis.

Gente disfarçada de “moralmente correta” e “religiosamente ética” mentindo, fingindo ter fé para conseguir sexo casual, extorquir mentes, intentos políticos em prol de um benefício que interessa ao seu mundinho feito de bobagens ensinadas em sua infância, ou apenas serem admirados pelas idiotices que produzem.

Certamente, você já se apaixonou por uma pessoa horrível: gente que trai, que dissimula, que justifica seus pecados em prol de suas necessidades mesquinhas não deixa de ser horrível apenas por seus belos olhos claros ou seu par de proteses mamárias caríssimas.

Talvez você imagine que nunca teve o desprazer de conhecê-los. Não se iluda: Eles são simpáticos no trabalho, escola e eventuais encontros sociais, mas sua família sabe bem quem ele é. Isso com sorte: as vezes nem sua família sabe quem realmente ele é, e quando se dão conta, o estrago está feito.

Uma boa dica é entender o que são coisas horríveis. Sabendo-se discernir isso, fácil será identificá-lo: pessoas horríveis procuram sempre se suprir com coisas horríveis. Amam a difamação daqueles a quem tem antipatia, independente se é justo ou não. Nisso, buscam impor aos outros – mesmo que pela força – que seu ponto de vista é a única opção válida.

Diz que é justo trair porque não ter do outro o suficiente para seu ego. É justo a agressão por que o indefeso agredido ultrapassou um limite onde só ele, o feio, era capaz de enxergar. É justo fazer que faz, e tem argumentos bons que os justifiquem, embora não consolem o que foi prejudicado por suas ações.

Horrível, apesar de amarmos as máscaras que usam, e o bom cheiro de seus caros perfumes nem sempre são suficiente para disfarçar hálito pútrido de quem tem uma língua que mata pessoas em suas fofocas.

Ele não ouve o que diz: as vezes, ensina o que é justiça, mas quer mais é que o injusto- segundo sua percepção - permaneça em seu lugar de riqueza para que, quem sabe um dia, possa dar-lhe mais migalhas por sua excelente ajuda, digna de reconhecimento de todos.

Gente horrível é assim: divide pessoas por castas, classes, redes, cores, sexos, ideias, gostos, e depois de devidamente classificados, escolhe sua ideologia e denigre todas as outras que desdizem a sua, escondendo-se muitas vezes atrás de sua religião ou idealismo que não estudou.

A maioria dessa gente horrível nem sabe que o é. Imagina realmente que feio são os outros, e busca convencer que aquele que concorda com ele é tão lindo e justo quanto ele.

Não fazem ideia que são cidadãos de Mordor, que servem, total – ou mesmo que parcialmente, a Sauron e aos seus planos claros de fazer com que a escuridão inunde a Terra Média.

Certa vez, um inimigo que virou um grande amigo questionou se eu tinha consciência sobre meus inimigos. Eu, ainda crente ingênuo – bons tempos – respondi de pronto que não os tinha, não havia motivo para tê-los, não era ninguém que pudesse gerar ódio em meus semelhantes.
- Se você não consegue discerni-los, então estes são mais astutos do que imagina...” - respondeu Vagner, o tal amigo a qual sou grato apesar da distância dos anos. Ele sabia do que falava, e tempos depois, entendi seu alerta de uma forma bem amarga.

- Não é justo... - alguém pode pensar - eu não faço nada para que essas pessoas horríveis tentem me atingir.

Há 2.000 anos, um judeu escreveu:
Como está escrito:Não há um justo, nem um sequer. Não há ninguém que entenda;Não há ninguém que busque a Deus. Todos se extraviaram, e juntamente se fizeram inúteis. Não há quem faça o bem, não há nem um só  (Romanos 3:10-12).
Caso tenha dificuldade de encontrar alguém horrível, posso mostrar pelo menos dois. Um sou eu. O outro acabou de ler essas mal-escritas linhas. Ou você imagina realmente que é tão bom quanto imagina que é? Chegou a crer que suas ambições não te farão errar? Que suas taras abafadas não foram executadas só porque tem sua fé e não por que o Autor da fé te livra da ocasião que fraquejaria?

Pensa realmente que ninguém percebe que seu amor pelos irmãos se restringe ao grupo que aceita suas ideologias, e os outros, se forem para o inferno queimar pela eternidade por não escolherem crer da forma que você crê, não te causaria comoção alguma?

Gente horrível tem almas horríveis. E não há UM justo se quer.

Somos justificados, meu caro: orcs sendo gradivamente transformados em cavaleiros honrados, elfos elegantes, hobbits engraçadinhos... mas o cheiro putrido de Mordor ainda nos assombra.

2 comentários:

  1. Olá. ótimo blog. Minha pergunta, perdoe-me, é sobre o div que usa (Gostou deste artigo? Deixe um comentário ou assine nosso Feed.) para direcionar para o final possibilitando comentar sem necessidade de rolar a página até o último comentário. pode ria me forncecer este código? obrigado.

    ResponderExcluir
  2. Olá, Sérgio.

    Grato pela visita. Serei sincero: há algum tempo peguei esse template( o esqueleto dele no Usuário Compulsivo. Eis o link com todos os recursos disponíveis do template.

    http://usuariocompulsivo.blogspot.com/2008/10/template-esqueleto-compulsivo.html

    No caso, mudei diversos aspectos do mesmo.

    Espero ter ajudado

    ResponderExcluir