6 de outubro de 2014

A verdade dos Reality-shows desvendada por meu caçula.

 
por Zé Luís

- Pai... Acho que descobri algo nesses programas de TV... – disse meu filho de 14, com cara de espanto ao entrar na cozinha quando eu almoçava. Ele é do tipo tagarela e daqueles que fazem perguntas convenientes e inconvenientes, sem saber ainda ao certo qual delas é qual.
- O que?
- Sabe aquele reality show que está passando? (omitirei aqui o nome do reality: já me basta a vergonha de ter alguém assistindo aquilo na minha casa).
- Sei... O que tem ele? – respondi enquanto raspava meu delicioso prato. O bife a rolê estava maravilhoso.
- Acho que eles, a emissora, estão tentado beneficiar uns e prejudicar outros no programa. Eles só mostram coisas negativas de um, e positivas do outro. Assisti o programa pela internet e não tem ninguém brigando como eles mostram na TV. Acho que, na verdade, eles são desonestos com quem assiste. Eles querem que um dos escolhidos deles vença, e por isso só mostram as coisas boas. Mas ele é tão ruim quanto os outros. Eu vi!
-É isso. Você viu certo... - disse sem deixar de saborear a banana que descasquei e comi de sobremesa. Banana-prata é tudo de bom.
Ele se mostrou indignado, coitado. Não entende as coisas.
- Mas quando chegar op dia a votação, eles vão se ferrar... Vou votar no outro. Eu eles não manipulam mais!
-Filho... Mesmo que essa votação fosse séria, e eles eliminassem o mais votado, o que eu duvido muito, tem ainda milhões que não perceberam a manipulação e vão eleger como herói aquele que eles querem promover.
- Credo pai! Mas essas coisas não tem fiscalização? Não tem polícia para ver essa mentirada toda?
- Poxa filho... Desculpe decepcionar você com isso, mas se tem algo que a TV brasileira faz há décadas é manipular a cabeça das pessoas conforme a necessidade de seus donos, e o povo nunca percebeu. E sim, há quem fiscalize, mas só aqueles que a TV quer prejudicar.

Ele saiu da cozinha em silêncio e não disse mais nada. Aquela alegriazinha ingênua dele apagou. 

Naquele momento ficou ateu dessas coisas, e não o vi mais assistindo TV com a mesma vontade de antes. Abandonou o reality e foi jogar bola.

Foi doloroso ver meu caçula captar as mentiras tão facilmente depois do papo. O bom que ele passou a ser um leitor de livros, e um sujeito menos manipulável, já que o vômito da TV sobre os seus olhos e ouvidos tinha perdido seu poder.

Era como ele tivesse acordado do Matrix e dado de frente com a realidade nojenta que vivemos há tanto tempo, sem nos darmos conta. Ele agora se diverte tentando descobrir a quem emissoras e jornais tentam proteger. Esse é seu passatempo atual.

Jesus disse que esse mundo jaz no maligno, assim como seu sistema. Faz 2.000 anos e isso continua sem necessidade de upgrade.

Nenhum comentário:

Postar um comentário