17 de novembro de 2014

Bancada Evangélica: Processos, Faltas e nenhum projeto relevante



Antes de tudo: quem escreve esse post também frequenta igreja evangélica, Ok?

Em bom evangeliquês: Caso você fique ofendido porque o nome do seu candidato aparece aqui, e por ele ser um "ungido de Deus" a mão do "Senhor vai pesar na minha vida", saiba que quando ele se meteu com falcatruas em nome de Jesus, já estava nas vias de Sansão há muito tempo.

Visito muitas igrejas e, embora seja um anônimo nelas, estive em boa parte das reuniões organizadas para eleger candidatos da denominação a qual frequento(o mesmo acontece em outras comunidades).

O argumento é sempre o mesmo, e gira em torno dessa ideia:

“Homens de Deus precisam levar Deus para Brasília, lugar de demônios...”

Mas...

Você sabia que o procedimento dos deputados evangélicos – em sua maioria – foi mais que reprovável? Você não se sente enganado com tudo isso?

Mais da metade dos eleitos em 2010 (39 dos 68) não se reelegeram. Mesmo assim, a tal bancada cresceu 14%  além de interferências de pastores não eleitos, como Silas Malafaia, que se gaba ao revelar suas ordens no rumo dos trabalhos na Câmara (não precisa ir muito longe, já que na última eleição – 2014 – ele fez com que Marina Silva mudasse o plano de governo de sua candidatura, diante de 4 frases no Twitter, o que me pareceu atrapalhar muito a campanha dessa candidata).

Confira abaixo, levantamento feito por um jornalista, utilizando-se de dados do site “Transparência Brasil” em 2013:
  1. Da bancada evangélica, todos os deputados que a compõe respondem processos judiciais;
  2. 95% da referida bancada estão entre os mais faltosos;
  3. 87% da referida bancada estão entre os mais inexpressivos do DIAP;
  4. Na última década não houve um só projeto de expressão, ou capaz de mudar a realidade do país, encabeçado por um parlamentar evangélico.
Vergonha.

Em muita igreja séria, esses crentes estariam de banco há muito tempo!

Disponibilizo esse arquivo em PDF (visto nesse site) lista de todos os deputados, constando processo onde está envolvido e a denominação a qual “congrega”. Quem sabe, nos próximos anos você possa policiar melhor quem ajudou a colocar para cuidar de nosso país.

Não pensem que apenas os neo pentecostais estão enrolados em falcatruas. Igrejas ditas históricas também têm seus candidatos desonestos.

Pior: não há nada efetivamente feito em termos de projeto que seja realmente relevante para o Brasil. Esses homens de Deus são muito mais homens de Deus quando pedem seu voto, e estranhamente Deus parece não inspirá-los a ajudar a sua Patria quando de posse de suas candidaturas.

Falou-se tanto que elegemos o palhaço Tirirca, mas esse palhaço não roubou, não faltou e tem participado de muitos projetos que beneficiarão a população.

Da redação do CC