26 de novembro de 2014

“Missas nas manhãs de domingo são bem inconvenientes” -

Quem afirma isso é o líder da Igreja da Inglaterra.


Para algumas famílias, atrapalha estar na igreja nas manhãs de domingo, pois é um tempo a ser usando fazendo compras ou manutenções de rotina em suas casas – defende líder religioso, alegando que pesquisas informam que não há tempo para isso durante a semana.

Fiéis estão desistindo cada vez mais da secular prática de assistir culto aos domingos por causa de "compromissos" sociais, disse ele.

A declaração veio junto a divulgação de novos números que mostram que a busca nos serviços prestados nas catedrais dobrou em uma década, enquanto os números nos bancos ocupados nas paróquias aos domingos continuam a cair.

O decano de Lichfield, o Reverendíssimo Adrian Dorber, disse que muitos ainda anseiam por uma reflexão tranquila, mas muitos estão à procura de ministrações semanais, mais “otimizadas” para cultuar do que nas manhãs de domingo.


Ele disse que as pessoas estão cada vez mais atarefadas nos fins de semana onde já é costume destas famílias não terem mais folgas para descanso.

O aumento da procura pelas grandes catedrais sugere que muitos são atraídos pela formalidade e relativo anonimato, um culto mais instantâneo, do que uma pausa maior para adoração.

Os números mostram que o número de adultos que frequentam “serviços” espirituais aumentaram em um terço na última década (30.900, só no ano passado). Só durante a semana isso aumentou, dobrando para 15.000 visitas só entre os adultos.

No entanto, a participação em cultos de domingo nas paróquias caiu pela metade desde 1960 para menos de 800.000.

Falando em nome da Igreja da Inglaterra, o Sr. Dorber declarou que a atratividade dos cultos no meio da semana estão ligadas a dinâmica do mesmo, já que são "razoavelmente mais curtos”.

Ele disse: “As pessoas muitas vezes se espremem em estilos de vida muito, muito compactados. O fim de semana deve ser priorizado para as crianças, compras, manutenção do lar, lazer”. "A correria da vida exige o dobro de tempo nestes dias, e fins de semana são muito corridos, comprometidos na íntegra antes de que se possa desfruta-los”.

"Essa meia, uma hora separada durante a semana é muito mais negociável, e a agenda acerta muito mais tempo livre."

A Pró-reitora de York, Vivienne Faull, disse que as catedrais tem oferecido às pessoas a oportunidade de se juntar pessoas procurando seus serviços em seus próprios termos.

"Nós temos a oportunidade de dar às pessoas condições para que venham a partir de suas limitações de agenda”.

"Se eu oferecer a Eucaristia às 12h30, no meio da semana, mesmo na nave maior de York Minster, haverá gente de pé nas laterais, para participar da celebração”.

O crescimento dos serviços no meio da semana formais nas catedrais foi acompanhado por uma mudança dos serviços tradicionais de domingo em congregações mais informais, incluindo algumas que acontecem em bares, salões de escola ou mesmo na casa de membros.

Dentro da Igreja da Inglaterra, o movimento das "novas expressões" - um projeto feito em conjunto com a Igreja Metodista - alcançou quase 2.000 congregações alternativas em menos de uma década.



Nenhum comentário:

Postar um comentário