7 de dezembro de 2014

Infelicidade crônica: 7 características

infelicidade crônica

Natural que existam dias melhores que outros para todo mundo. Mas o portado da infelicidade crônica pode ser definido através de algumas particularidades.

Estudo elaborado por Sonja Lyubomirsky, da Universidade da Califórnia e publicado inicialmente na revista Psychology Today, revela que "40% de capacidade de ser feliz está relacionada com nossa capacidade de mudança".

Para a pesquisadora, a principal diferença entre a pessoa feliz e a menos feliz está intimamente relacionada com o tempo que as mesmas passam nesses estados (de felicidade ou infelicidade).
Tamara Star, colaboradora do Huffington Post e autora de vários best-sellers motivacionais, identifica sete características dos infelizes crônicos.

Certamente, você deve conhecer alguém com as características:

infelicidade crônica

1 - Por hábito, acham sempre que a vida é difícil

As pessoas felizes tendem a ultrapassar os maus momentos sem se vitimizarem. Assumem a responsabilidade de terem se deixado envolver em situações complexas e focam em sair delas o mais rapidamente possível, ao invés de se queixarem das circunstâncias.

Por sua vez, uma pessoa mais infeliz se vê como vítima da vida e fica presa na atitude do "viu o que me aconteceu?" em detrimento de procurar alternativas para superar a situação.

2 - Acreditam que não exista pessoas confiáveis

Há o discernimento saudável e há... a desconfiança crônica. Se a maioria das pessoas felizes consegue um equilíbrio entre moderada cautela perante o desconhecido e dar voto de confiança, pessoas menos felizes desconfiam de quase todos e já desconfiam de qualquer desconhecido, o que, com frequência, inviabiliza qualquer ligação fora de um determinado círculo, tirando qualquer chance de fazer novas amizades.

3 - Concentram-se no que está mal no mundo

Muitas coisas estão erradas neste mundo, sem dúvida. No entanto, os menos felizes tendem a ficar cegos para o que há de bom, optando por manterem-se focados apenas no que está mal. 

Um simples teste pode identificá-los: Invariavelmente, respondem a colocações positivas com o conhecido "Sim, concordo, mas..."

As pessoas felizes conscientes são consciente e estão alertas para os problemas globais, mas equilibram essas preocupações com a visão do que está bem.

4 - Comparam-se com outros e alimentam a inveja

Pessoas menos felizes acreditam que alguém lhes retirou a "boa sorte" que lhes pertencia. Acreditam que o bem que existe não é suficiente e comparam de forma constante o que possuem com o que os outros possuem, incentivando sentimentos de inveja e ressentimento: "a grama do vizinho é sempre mais verde".

Pessoas felizes acreditam que são portadoras de algo único, uma impressão digital que não pode ser duplicada ou retirada por quem quer que seja. Acreditam em possibilidades ilimitadas e não se deixam abater o tempo todo ou pensar sequer que a "boa sorte" de outro interfere com a deles.

5 - Infelizes lutam para controlar a vida alheia

Existe uma diferença entre controlar e lutar para alcançar nossos objetivos. Pessoas felizes dão diariamente passos no sentido de alcançar seus interesses. No entanto, no final percebem que o controlo que detêm sobre as coisas que lhes surgem na vida é muito reduzido.

Pessoas menos felizes tendem a controlar tudo ao mínimo detalhe, caindo numa espécie de drama quando a vida lhes atira algo que não estava nos planos iniciais. Do outro lado, as felizes são apenas focadas, mantendo a habilidade de se deixarem ir com a corrente e não se esconderem quando a vida apresenta um caminho mais sinuoso. Ir ao sabor da corrente é, aliás, o que as pessoas felizes têm como plano B.

6 - Infelizes encaram o futuro com medo e preocupação

Pessoas menos felizes ocupam os seus pensamentos negativos, mantendo o foco  com "o que pode dar errado" ao invés de pensarem "no que pode acontecer de bom".

Os felizes permitem-se sonhar com o que gostariam que a vida pode trazer, enquanto as menos felizes preenchem esse espaço com medo e preocupação constantes.

O medo e preocupação fazem também parte da vida que qualquer um, feliz ou não, mas estas fazem uma distinção importante entre o sentir o medo e a preocupação e vivê-los de fato.

7 - Preenchem as suas conversas com reclamações e 'fofocas'


infelicidade crônica
Pessoas mais infelizes tendem a viver no passado. Suas lembranças e tristezas da vida pautam seus principais assuntos em uma conversa. Quando o assunto termina, começam a falar sobre a veda alheia conhecidos comumente como fuxico.

Diferente disso, as pessoas mais felizes vivem no presente, visando o futuro. Conseguem sentir que algo bom pode acontecer a qualquer momento, empolgam-se com suas tarefas, gratos pelo que têm e  sonham com as diversas possibilidades a vida pode trazer.

Dica da Ana Paula Carvalho, Visto no lusitano Visão