6 de fevereiro de 2015

Ariovaldo: Como Jesus lidou com os preconceitos de sua época?


Quando garoto, aprendi na escola que o grito da Independência brasileira no 7 de Setembro tinha acontecido como em um quadro exposto no museu do Ipiranga, onde o príncipe de espada empunhada gritava montado em seu cavalo: "INDEPENDÊNCIA OU MORTE!". Anos depois, os historiadores revelavam que no momento em que Don Pedro I recebeu a informação de Portugal, estava no meio de uma desastrada diarreia à beira do rio Ipiranga.

Hoje me deparei com o banner acima, postado em uma comunidade de ateus e, creio, não pode ser simplesmente desacreditado por ter em sua autoria "pessoas que não acreditam em Deus", ou o argumento mais comum: "este foi alguém que teve grande significância para obra de Deus e, portanto, não deve se manchar sua memória". Oras! Não são eles quem enlameiam o nome deste homem. São os registros de suas atitudes em vida que o fazem.
Não é por amarmos as instituições que nos apresentaram a Cristo que devemos estar cegos a ineficácia cristã em alguns pontos de seus fundadores. Nada dá o direito ao preconceito, mesmo que aceito socialmente em sua época. Nem ontem, nem hoje. 



Contam que a História é ditada pelos que venceram, e isso não significa necessariamente que esses eram íntegros e verdadeiros.

Poderia-se simplesmente, em respeito a memória dos que já partiram, ignorar o que está descrito na História desse homem ( e de muitos outros), mas há sempre de se ter como régua moral apenas o infalível Messias, e dentro desse parâmetro, conclui-se o quão distante de Cristo este estava.

Manter a bonita estória dos heróis nacionais, mesmo quando já sabemos que foram tiranos sanguinários, deixar oculta a verdade sobre como as coisas aconteceram, numa tentativa inócua de dar nobreza e moral a quem nunca a teve, não me parece correto.

No trecho abaixo apresentado, Pastor Ariovaldo Ramos fala sobre o que realmente representou o diálogo entre Jesus e a mulher samaritana. Um leigo, como eu, enxerga na passagem apenas um trecho de um diálogo de difícil compreensão, mas ali havia ensinamentos nas entre-linhas que envergonharia muitos religiosos zelosos da Palavra, me levando a imaginar como certos paladinos evangélicos de causas políticas atuais serão contados na História.
 (áudio de sermão completo disponível para download)

*A biografia em um SITE  aponta para a veracidade das acusações acima citadas.