2 de fevereiro de 2015

As dez mais tocadas na sua igreja!

Elas exaltam o Cristo, o Eu ou o nós?

Dia desses, fiz uma pesquisa na Fan Page deste blog no Facebook:
Das 10 músicas mais cantadas na sua comunidade cristã (também conhecida como igreja), quantas em média tem as letras conjugadas em 1° pessoa do singular (eu, para mim, me dá, me ama, me abençoa)?
A intenção era fazer com que os que ministram e tocam para as suas respectivas igrejas pudessem rever o "playlist" do culto: igreja não é para o individuo, e sim para o coletivo: Não se ora o"Pai Meu" e sim, o "Pai Nosso".

Há quase duas décadas convivendo no meio, percebo que no decorrer desse tempo , muitos dos meus irmãos dão preferência a igrejas grandes em número para sejam anônimos na multidão, e possam, em secreto, cultuar a Deus sem o incomodo de compartilhar amizades. Individualizar-se a ter que suportar o irmão ao lado.

O efeito disso nas letras das músicas de tema religioso cristão (muitos chamam de hino) é perceptível: o EU é exaltado, e as petições e declarações na primeira pessoa do singular podem ser ouvidas em 90% das mais cantadas nos cultos. A necessidade pessoal, a urgência para que Deus realize as MINHAS necessidades pessoais e esse possa crescer e vencer sobre todos parecer ser o principal atrativo nas letras mais procuradas.

Nos casos de confissão de pecado é que a coisa muda: daí, se eu canto minha confissão em primeira pessoa, é por precisar de um benefício dado a quem é perdoado (ou seja: tudo o que preciso no perdão é para estar apto a receber, ganhar, ser abençoado).

Não esperava realmente que houvessem respostas ou interações, mas qual não foi minha surpresa quando li, na imensa maioria dos casos, comentários inteligentes sobre o assunto.

Sim: existe gente que pensa igual a gente, e que se incomoda com as coisas de Deus como você se incomoda. Acredite: além do nosso mundinho, existem outros que anseiam através da mesma angustia de ter um discipulado legítimo.

Abaixo, um dos comentários que li na imensa lista que se formou em horas com a questão. O outro comentário foi mais engraçado, pela sinceridade do crente:
UMA Verdade.
As doutrinas brotam das interpretações acerca da Verdade.Como Cristo falou: "Errais por não conhecerdes as Escrituras e o poder de Deus"

Existem equívocos doutrinários próprios do desconhecer das Escrituras. Assim como a educação precária no país, o discipulado de um cristão sofre influências de opiniões pessoais quanto a princípios bíblicos.
Daí os equívocos doutrinários que se percebe em composições evangélicas "beatificadas" como inspiração divina, portanto... "santas"???
Outro equivoco:
Não seria propriamente uma heresia e sim, ignorância: A heresia consiste na deturpação intencional e insistente sobre a verdade, quando o individuo cinicamente se infiltra com ideias nocivas pre-fabricadas.
Penso que, em muitos casos - não todos - mas muitos casos, trata-se de ignorância. Noutros porém, pode haver a intenção do engodo, sim.
Cantá-las seria falta de discernimento, conivência por pura ignorância ou desejo de ser feliz no erro*,
Porque,  afinal, o "SER" a ser agradado no louvor é o homem em sua subjetividade e não a Quem de direito. Há quem goste de ser feliz no engodo; afinal de contas, imaginar que esta fazendo certo é mais cômodo.
Pensar é algo que desprende mais esforço, e não são todos que estão dispostos a desenvolver a potencialidade do cérebro que Deus presenteou. Hehehe....
Livre arbitrio! Um direito de todos.Kkkkkkk..... Sharom Viana
*Um comentário de um outro leitor extremamente sincero me fez rir alto. Ele não poupou seus pensamentos,  mas creio que ele fala em nome de muitos ali que debatem em causa própria. Manterei-o anônimo:
Deixa eu ser feliz sendo ignorante p0rr@!?
E você? Como é o playlist atual de sua igreja?