6 de fevereiro de 2015

Casamento: Infidelidade emocional - Você é culpado?


Se você gosta da amizade de outra pessoa em demasia, pode ser que esteja tendo um caso emocional extraconjugal. Faça o teste e descubra se você já passou dos limites de uma amizade e o que deve fazer a respeito.

Por Chris Ayres

Vocês são apenas conhecidos no Whatsapp, Facebook, amigos, companheiros de trabalho talvez. Nada físico aconteceu entre vocês até hoje, vocês até mesmo se ajudam em relação ao casamento um do outro, gostam de conversar e se entendem, riem juntos.

Segundo a professora de psiquiatria da New York Weill Cornell e autora de best-sellers, Gail Saltz,
 "Muitas dessas conexões emocionais evoluem para uma relação extraconjugal. Se elas não progridem para o sexo, é muito fácil dizer a si mesmo que você não está fazendo nada de errado. O problema é que a aproximação emocional com outra pessoa impacta seu casamento, ou seja, seu casamento termina, ou você precisa terminar a "amizade" com aquela pessoa para manter seu casamento intacto".
Você pode achar que isso é apenas a descrição de uma boa amizade. Realmente há muitas amizades saudáveis entre mulheres e homens que não invadem o campo do caso extraconjugal emocional, mas há alguns sinais que mostram que talvez você esteja ou já tenha sido infiel emocionalmente ao seu cônjuge:
  • Você começa a se vestir melhor quando vai ao local onde aquela pessoa está.
  • A pessoa geralmente é a primeira coisa que lhe vem à cabeça quando você acorda.
  • Você mal pode esperar a hora de encontrá-lo para contar boas notícias.
  • Você se sentiria culpado ou sem graça se seu cônjuge os visse juntos.
  • Você cancela qualquer outro compromisso se a oportunidade de estar com ele aparece.
  • Você não conversaria com essa pessoa como o faz em frente ao seu cônjuge.
  • Você abre problemas conjugais a essa pessoa e provavelmente seu cônjuge não sabe.
  • Você conta segredos sobre seu cônjuge a essa pessoa.
  • Você mantém em segredo o tempo gasto com essa pessoa, seja enviando e-mails, ligando, mandando SMS.
  • Você gasta energia emocional com essa pessoa, compartilha tudo com ela, coisas que não compartilha com seu cônjuge.
  • Você encontra motivos ou dá desculpas para encontrar essa pessoa de alguma forma.
  • Você se sente emocionalmente dependente dessa pessoa.
  • Você bloqueia o celular ou apaga as mensagens da pessoa virtualmente para que seu cônjuge não veja.
Segundo Saltz, a grande maioria dos casos extraconjugais onde há sexo envolvido começa com a infidelidade emocional. Alguns evoluem rapidamente para a infidelidade sexual, mas outros permanecem emocionais por algum tempo.

A infidelidade nunca é aceitável, seja ela emocional ou física. Quando um casamento é invadido por outra pessoa, ou quando um dos cônjuges procura uma terceira pessoa e a conexão emocional ou física começa, o problema do casal não é somente que houve uma traição e como se recuperar dela. O casal se vê entre vários outros problemas, e nunca a culpa é somente de um cônjuge.

Como acabar com a infidelidade emocional

  • Reconheça que a "amizade" já evoluiu para um caso emocional extraconjugal. Se você se sente culpado, vulnerável e desonesto com seu cônjuge, por pior que seu casamento esteja, já são sinais explícitos.
  • Seja honesto. Você provavelmente já sabe que o nível de intimidade com essa pessoa é inapropriado. E ao mesmo tempo não quer o divórcio de seu cônjuge.
  • Investigue a raiz do problema. Por que isso aconteceu? Seu casamento vai mal e seu cônjuge está distante e não lhe dá o apoio emocional que você precisa? Você acha que ele faz isso e faz também por "vingança"? Considere a destruição emocional e o impacto que isso tem ou poderá ter no seu casamento. Leia O inferno de um triângulo amoroso para entender exatamente o que eu quero dizer.
  • Decida o que fazer sobre seu caso extraconjugal. Assuma que um casamento de sucesso inclui dedicação, trabalho durante toda sua vida. Tanto o que você já tem quanto o caso que por agora, parece perfeito.
  • Termine definitivamente sua conexão emocional com outra pessoa que não seja seu cônjuge.
  • Seja responsável pelas consequências de seus atos para restaurar a confiança de seu cônjuge.
  • Resolva os conflitos de seu casamento, diminua a distância e invista em sua relação. Pense nisso com carinho mais de uma vez.
  • Não deixe para enfrentar e resolver os problemas do casamento como casal após a infidelidade, pois as chances de que seu cônjuge perdoará uma traição são escassas. Se apenas o desejo de trair houver, se as investidas de alguém ou a proximidade com outra pessoa lhe traz pensamentos do tipo, isso é sinal de que outros problemas maiores precisam ser descobertos e tratados no seu casamento.

Trair não resolverá os problemas e sua desonestidade criará outros problemas maiores que afetarão gerações.


Fonte: Familia