9 de março de 2015

Assista: COBERTURA ESPIRITUAL? Isso existe? - com Éd Renê Kivitz


Dia desses uma pessoa muito amada me acusou de fazer o papel do diabo. De prestar um desserviço ao Reino ao dar espaço a opiniões contrarias às ensinadas pelos pregadores populares, os que estão em evidência nos dias de hoje. Aqueles que as câmeras procuram com mais frequência, e tem espaço garantido em programas de auditório.
"Não assisto ou leio nada do que você posta" - disse a pessoa. "O diabo já faz esse trabalho de apontar as falhas do povo de Deus. Você precisa colaborar com o trabalho dele?".
Ouço tudo. Não sou surdo, graças a Deus. 

E nem tentei me defender diante das acusações. Ela se referia aos vídeos, como os postados abaixo.


Trechos mal editados, passagens rápidas extraídas de mensagens que quando completas, as vezes, chegam a ter a duração que ultrapassa uma hora. Pregações que nos tempos que perambulei pelo Vale da Sombra da Morte (sim, outra coisa que não deveria admitir ter passado. Talvez isso seja uma péssima propaganda para a captação das igrejas) foram vitais para minha fé.

Ninguém deve ter acusado de satânico os que divulgam pequenos clipes com acidentes, mentiras politicas, powerpoints com lendas urbanas para amedrontar crianças e sempre fazerem o que seu lider de igreja manda, pornografia, piadas requentadas com atores desconhecidos. Já há, por exemplo, quem acuse de herege o pastor Claudio Duarte, já que ele ficou famoso por usar a sexualidade como pauta em algumas pregações. Ele não fala só de sexo. Só o chamam para falar disso. Talvez você não saiba disso, mas ele tem muito mais conteúdo falando de fé. 

Agora, chegou a minha vez de ser acusado. 

Incomoda. Não por crer que eu seja esse prestador de serviço do inferno. Incomodou por saber que alguém que mantenho contato constante não faz a menor ideia do que faço, e pior: minha proximidade não influenciou em nada a forma que a pessoa enxerga as Escrituras.

Certa vez uma pessoa veio me contar sobre uma ilustração maravilhosa que ouviu em um sermão em uma igreja que foi visitar. A empolgação era tamanha que chegou a sugerir que eu postasse aqui, na época. O texto era meu. A pessoa não acreditou, e desconversou na hora. Fazer o que? 

Lembrei de Cristo, homem-Deus encarnado, quando nem o poder Dele foi capaz de conquistar os de seu próprio círculo íntimo: família, amigos de infância, os de casa. "Faz aqueles milagres que você tá acostumado Jesus, acho que o povo ia achar o máximo." - pode ter dito algum primo sem noção, que não conseguia enxergar no Cristo mais que o garoto que corria com os outros nas poeirentas ruas de Nazaré.

"De fato, não existe profeta sem honra, a não ser em sua própria casa"... comentou Ele.

As vezes a rotina faz com que não consigamos enxergar o grande valor que pode estar ao nosso lado. E disso sou culpado: meus critérios sempre são distorcidos pela minha ideia intima feita pela passagem dos anos. Minha esposa é apenas minha esposa, meus filhos são garotos (mesmo já tendo seus próprios filhos). Faz parte... Vamos a mais um vídeo "diabólico"...



Completo no Youtube: