8 de março de 2015

"Mulher aqui não participa!" Conhece Kathrine Switzer?


“Mulheres não podem correr em maratonas porque as regras devem ser respeitadas. Quebrar esse tipo de norma tornará a sociedade num caos. Não sou eu quem faz as regras, mas estou tentando mantê-las. Não daremos espaço para que pessoas desautorizadas participem, incluindo homens. Se essa garota fosse minha filha, eu lhe daria uma surra”
Aconteceu na maratona de 1967, em Boston.
A declaração é de Will Cloney, diretor da Associação Atlética de Boston, e ele se refere a Kathrine Switzer, uma teimosa corredora americana que se inscreveu para correr em uma competição exclusivamente – na época masculina.

O evento foi em 1967, quando a - nascida - alemã, filha de um major do exército americano, inscreveu-se na competição, mesmo sabendo que era vetado à mulheres. Não era a primeira mulher a participar de uma maratona. Outra, Bobbi Gibb, já havia completado, mas feito isso de forma não oficializada, já que lhe eram vetadas a autorização de registro.


O artificio usado para que ela conseguisse o registro foi usar o nome "K. V. Switzer*", iniciais de seu nome enviadas de uma inscrição feita em sua própria faculdade, e que não dava gênero aparente, só visto na hora que a prova se deu início: seu número era 261.

Jock Semple era o fiscal de prova e é ele um dos que surgem na foto registrada e estampou vários jornais no dia seguinte. É ele tentando removê-la a força: “Me devolva esses números e saia do diabo da minha corrida”. Mesmo assim, seu namorado que corre juntamente com Semple, o empurra fazendo-a se esquivar. Ela então sai em disparada, ficando fora do alcance do fiscal.


A atitude causou o total veto a participações femininas em competições com corredores masculinos, sobre pena de anular a competição caso isso acontecesse. Kathrine com outras atletas tentaram incessantemente convencer a liderança da Associação Atlética de Boston a permitir a participação e em 1972, cinco anos depois, mulheres foram bem-vindas nas maratonas, sendo Jock Semple, o mesmo que tentou arrancar Switzer em 1967, que as recebeu oficialmente na mesma prova.

Kathrine, hoje com 68 anos, é escritora, comentarista e ainda corre em maratonas.

*Outra mulher usou do mesmo artificio recentemente para conseguir atenção das editoras sobre seus livros. Enquanto se identificou como mulher no envio de seus manuscritos, não houve interesse por parte dos vendedores de livros. Quando ela usou o nome sem "gênero", imediatamente seus livros foram lidos e suas histórias se propagaram por todo o mundo.

Seu nome é Joanne "Jo" Rowling, famosa por escrever em mesas de bar com sua primogênita ainda no carrinho de bebê. Possivelmente você não saiba que esse é o nome de J.K.Rowling, autora da série Harry Potter. O "K" é uma homenagem a sua avó.

Algumas fontes



Nenhum comentário:

Postar um comentário