4 de maio de 2010

Chefe é chefe...

Um vigilante-noturno trabalhava numa empresa especializada em lapidação de diamantes.

Numa manhã, procurou seu chefe e contou sobre um tenebroso sonho que tivera na noite anterior
.
Nele, o avião que ele - o chefe - viajaria com destino à Rússia, sofreria uma pane no motor acarretando uma queda e onde todos os passageiros morreriam.

Seu chefe, jovem executivo, dinâmico e empreendedor, tinha verdadeiro pânico de aviões. Assustado com a informação do empregado, decidiu cancelar o vôo.

Três dias mais tarde, leu nas manchetes dos principais jornais que aquele avião caíra no mar e, até o momento, não havia notícias de sobreviventes.

Imediatamente chamou o guarda-noturno, mostrou a notícia do jornal, efusivamente pelo aviso que lhe salvara a vida e, a seguir, sem nenhuma explicação, despediu-o da companhia.

O guarda não compreendeu porque tinha sido despedido depois de salvar a vida do seu chefe.


Pergunta:

- Por que o guarda foi mandado embora?

Não leia a resposta abaixo...
Pense um pouco...

.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.


Resposta:



O empregado era guarda-noturno. Se ele teve um sonho à noite e contou logo pela manhã, é porque estava dormindo em serviço...!

Conclusão:
Chefe é chefe. Por melhor que você seja e por mais que você tente ajudar, se der brecha, já era...

Ná próxima, o chefe vai no avião. Ô se vai

Colaboração: Marco Cruz