11 de julho de 2010

Heróis adormecidos em corações improváveis

 por Zé Luís

Vinte e cinco anos.

Esse era o tempo que o sumo sacerdote estava lutando para reconstrução da cidade, destruída a quarenta e cinco anos por exércitos vindos de Babilônia. Esdras retornara, mas a situação permanecia a mesma.

No outro extremo da história, onde o reinado dominador continua dominando, um funcionário deste reinado, natural das terras dominadas, cumpria seu papel com alegria: antes do rei beber qualquer coisa, este homem as bebia, com a intenção de evitar envenenamentos.

Ou seja: uma vida totalmente dispensável na defesa do rei de um país que destruiu o seu.

Foi nos campos do espírito desta vida que a reconstrução de Jerusalém aconteceu. Nessa alma haviam valores adormecidos, guardados para o tempo oportuno.

Após saber a situação que sua cidade natal, nasce naquele coração uma necessidade profunda, incontinente, capaz de empurrá-lo para uma mudança tão drástica que gerou não só nele, mas no ambiente ao seu redor – incluindo o próprio rei – a urgência desta reconstrução.

“Yavé Conforta”, significado do nome Neemias, de um hora para outra, deixa de ser o copeiro brincalhão do rei para se tornar o duro empreendedor, com recursos e autorizações, sem pretextos religiosos ou espirituais. Ele só seguirá o pungente desejo plantado em seu coração.

Ele não pretende ser agradável, não está disposto a ouvir choramingos justificáveis que expliquem atrasos ou recuos. Se houver risco de vida, trabalharão com uma ferramenta numa mão, e uma arma na outra. Se vierem ameaças e zombarias, o trabalho não cessará.

Esdras, o sumo sacerdote, ao ver seus conterrâneos justificavelmente fraquejarem, chora. Neemias dá cascudos e arranca seus cabelos

Em menos de três meses, Neemias faz o que, em vinte e cinco anos, não foi feito.

O mais impressionante de tudo isso é onde a maioria dos raros empreendedores das igrejas caem: Na hora de celebrar a reconstrução do templo, Neemias passa a honra para o sumo sacerdote.

Apesar de ser ele o nome da reconstrução, Neemias não esquece da sua condição, e que, embora todo espetacular êxito claramente é proporcionado por uma força Maior, mantém seu ego controlado, sem cair no erro luciferiano de querer a posição de honra que não tem.

Se você tem em sua comunidade “Neemias”, certamente tem reclamações sobre sua difícil posição. Realmente não é fácil lidar com sua postura autoritária. Mas já se perguntou o quanto Deus esperou para que se fizesse algo(que tinha que ser feito) até que ele fosse levantado?

E você, que enquanto lê essas linhas, sabe que é o empreendedor levantado, não perca o foco: a parte que lhe cabe não inclui fazer os seus projetos os projetos de Deus. Contente-se com o que lhe foi dado(e diga-se de passagem: não foi pouco).

Um comentário:

  1. Precisando de Editora? =P


    [p.s.: obrigada pela sua ilustre presença no sublimin4r, viu?]

    ResponderExcluir