1 de novembro de 2010

Quem fala o quer, revela de si mais do que deseja.


A mocinha acima, inconformada com a derrota com a derrota se seu candidato, e sabendo que a maioria arrasadora dos votos veio do Nordeste não se conteve e postou a pérola acima, que conseguiu o que milhares de usuários do Twitter gostariam: projeção nacional com uma simples frase.

O gaúcho também está conseguindo, com seu discurso separatista - o que macula a maioria dos gaúchos não racistas nem regionalistas - mostrou a intenção que ia em suas escolhas.

Muita gente deixou transparecer esse conceito contra esse povo - que pessoalmente já senti aqui em São Paulo, e quando estive em Rio Grande do Sul. Sou nordestino, numa cidade conhecida mundialmente como "sindicalista": São Bernardo do Campo.

Sei de muitos que não teriam a infelicidade que a candidata a advogada teve - de falar o que realmente ia em sua alma - mas que nos olham como esses parias que só elegem porcaria.

Rodando no site do G1, li um comentário que considerei brilhante, e que busca - ironicamente - consolar os frustrados eleitores do partido derrotado:

O melhor desse debate pós eleição é ver o eleitorado do Serra mostrando a cara... a cara neonazista.


Vocês não precisam ter medo.
Com a inserção desses milhões no mercado de consumo até mesmo vocês, descendentes de donos de escravos, irão ganhar.


Claro que ter uma escrava para fazer os serviços domésticos ou para cuidar da casa da praia ou do sítio vai ficar mais caro.


Tende-se a ficar mais disputada a corrida pela universidade e pelo emprego. Quem diria hein, disputar com um Silva?!

Você, que está no Nordeste, e sabe que São Paulo foi construída com boa parte de sua mão de obra, é bom também saber que a cultura - velada - de muitos é exatamente a do comentário acima. E digo isso por isso não valer voto algum.