19 de novembro de 2014

10 fatos estranhos sobre a religião Mórmon


Os mórmons creem que o fundador e escritor do livro dos mórmons foi um profeta-historiador nativo, contemporâneo de Cristo – livro esse que é o principal texto religioso da Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias (Mormonismo).

O mormonismo é uma religião com menos de dois séculos de existência, mas já acumula uma série de constrangimentos ligados a liderança. Líderes esses que preferem silenciar sobre os fatos históricos. Esses detalhes variam desde incoerências de seus textos a escândalos envolvendo a vida de seu fundador, Joseph Smith.

De todas as religiões, a lista de constrangimentos mais difícil de “digerir”. As falhas do Mormonismo é um tema particularmente interessante: Mitt Romney é mórmon e esteve em campanha contra o presidente Barack Obama nas ultimas eleições presidenciais nos EUA. Como seria se o presidente americano fosse um mórmon?

10. Livro falsificado


O livro de Abraão, um dos principais textos do Mormonismo, uma tradução rasa deum papiro egípcio. Fragmentos do documento original foram encontrados e examinados por renomados e credenciados historiadores. Estes experts descobriram que os fragmentos eram trechos que descreviam um ritual de feitiços feitos em funerais para ajudar os espíritos a encontrarem seu lugar na vida após a morte. Não há relação alguma na tradução feita por Joseph Smith, que alegava que sua interpretação fora divinamente inspirada. O que foi constatado é que Smith inventou a tradução.


Mesmo assim, o fundamento criado a partir dessa crença, incluindo a fundamentalista Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos últimos dias, ainda mantem a mesma crença no documento – dito – sagrado, por representar a vontade de Deus. Os defensores do livro alegam que a tradução dos egiptologistas está errada, defendendo que o único ser humano capaz de entender os escritos hieróglifos corretamente era ele (excetuando, os escritores dos papiros, claro).

09. Mártir ou covarde?


Suicídio, ato heroico ou algo entre as duas opções? Alguns dizem que o fundador do Mormonismo lutou bravamente contra seus perseguidores, enquanto outros defendem que ele cometeu suicídio, pulando por uma janela. Algumas coisas são certas – ele atirou e contra ele atiraram, quando em determinado ponto, caiu pela janela. Ele possuía arma, uma pistola contrabandeada, o que descaracteriza seu pseudo martírio de qualquer forma, como defendido pelos Mórmons. Essa troca de tiros e revides descaracteriza o típico martírio cristão, que confiam seus destinos em Deus, contrastando com a falta dessa confiança, como acreditam seus seguidores sobre sua morte.

08. História mal contada


Não há evidências arqueológicas que comprovem que as menções contidas no Livro de Mórmon tenham existido: as ferramentas, tecnologia citada, e mesmo os animais não existiam na região americana naquela época. Um exemplo são os cavalos, gado, ovelhas e porcos ainda não haviam sido trazidos entre 2500 a.C. a 450 d.C., como relatado no livro (a história teria ocorrido no período que Cristo estava encarnado). Muitas dessas espécies de animais foram introduzidas nessa região só em meados de 1493 por Cristóvão Colombo.


Da mesma forma, não havia plantio de cevada ou trigo, assim como a exploração de ferro e aço ainda não haviam começado a ser explorado, nem os sistemas de pesos e medidas haviam sido adotadas naquele tempo.

07. Plágio


Existem passagens no livro de Mórmon idênticas às contidas na Bíblia do Rei James, livro que Joseph Smith teve acesso também.

Um exemplo é Alma 5:52, idêntico, palavra por palavra com a versão de Mateus 3:10. Smith plagiou 478 versículos do livro de Isaías, quando 201 são cópias da versão da bíblia do rei James. Se o livro dos Mórmons é divinamente inspirado, ele não poderia ter partes de outros livros que Smith leu.

06. Roupas íntimas mórmones.

A vestimenta íntima utilizada pelos Mórmons supostamente oferece proteção mágica contra tentações e pecados. Eles também creditam a essas peças de roupa a sobrevivência durante desastres naturais nas lendas urbanas da religião, embora seja estranhíssimo que pessoas creiam no poder sobrenatural de roupas encantadas. Devesse evitar que essas roupas sejam removidas, salvo quando absolutamente necessário, e serem repostas o mais rápido possível. Certamente você olhará para aquele mórmon com outros olhos a partir de agora.

05. Poligamia


Afinal: pode ou não pode? Era comum ver nos primeiros quarenta anos da religião casamentos plurais, de forma que alguns homens da seita, como o próprio fundador, possuíssem um verdadeiro arem, seguindo a doutrina contida em seu livro sagrado.

Joseph Smith já tinha o registro de doze esposas em 1843, até que fosse proibida por lei as aparições públicas expondo a prática da poligamia. De qualquer forma, Smith chegou a possuir 40 esposas em toda a sua vida (o que para mim, reforça a teoria do suicídio), algumas com no máximo 30 anos. Brigham Young, o que assumiu o lugar de Smith – e governador de Utah - teve 50. Atualmente, a igreja afirma que a poligamia é inaceitável, o que parece uma revelação trazida sobre a ilegalidade do ato. O deus mórmon muda de ideia, ao que parece.

04. Textos perdidos


A primeira tradução do livro sagrado da seita foi entregue a um amigo, que alega tê-lo perdido. Joseph Smith era o portador e único habilitado a traduzir os chamados “tabletes de ouro” – onde estavam registrado todo o texto original. Joseph defendia que essa perda era por eles não estarem autorizados a acessar os artefatos de ouro, sendo impossível comparar a tradução atual do livro com a original, desaparecida desde então.

Na imagem acima, podemos ver sete linhas escritas por Smith, traduzidas segundo eles, diretamente dos tabletes.

03. Falsas testemunhas

Dois grupos de testemunhas supostamente viram a tradução original do Livro de Mórmon, até serem excomungados após desentendimentos com Smith. Ao que parece, o primeiro grupo - com três testemunhas - encontraram indícios de fraude, e preferiram desligar-se da seita. O segundo grupo, com oito membros, teve quer ser montado. Eles assinaram declarações onde confirmam que viram e pegaram nas placas de ouro, para depois desmentirem o que tinham declarado, já que na verdade, não houve esse encontro. Em outras palavras, Smith forçou-os a mentir a respeito da existência das placas.

02. Rituais copiados



Muitos símbolos e rituais praticados nos templos mórmons são cópias das práticas maçônicas. Alguns desses rituais incluem o simbolismo das “roupas íntimas mágicas” vestidas pelos mórmons, o cumprimento secreto nas mãos que todo maçom conhece, que é o que o símbolo secreto para os anjos que darão acesso ao mais alto Reino nos céus.

Por ter roubado e usado os rituais maçons em sua criação, ele foi expulso da maçonaria, embora tenha tentado apelar a eles, quando vieram matá-lo, abrindo aos antigos irmãos o sinal maçônico de sofrimento, e abandonando sua s crenças inventadas nos últimos momentos antes de sua morte.

01. O terrível assassinato dos inocentes


O massacre de Meadows Montain aconteceu em 1857, quando um grupo de integrantes da seita cercaram os vagões de um trem lotado de famílias que vinha do Arkansas, rumo a Califórnia. Os agressores fingiam ser índios nativos. Essa farsa tinha objetivos políticos e para isso, para evitar que fossem descobertos, eles assassinaram 120 homens, todas as mulheres e todas as crianças com mais de sete anos.

Estes constrangimentos conhecidos publicamente nos levam a uma conclusão que questiona o absurdo: Joseph Smith é seguido por décadas, e todos os dias, igrejas e comunidades persistem em crer no que podemos reconhecer não passar de fantasias. Essa lista de dificuldades com esta religião é apenas uma pequena mostra sobre o que podemos encontrar nessas comunidades, o que já é mais que suficiente para por em dúvida todo um sistema de convicções profundamente arraigadas. Um estado irracional a qualquer lógica humana.

O grande problema está nas convicções implantadas nas atuais religiões também, e que aos poucos, será desnudada aqui.O que parece absurdo aqui, na nossa, assim como eles, pode ser aceito por pura preguiça.

Tradução: Zé Luís.
Visto no List Serve