21 de dezembro de 2014

Ela viu mas acreditou que sua alegria contagiaria a furia do mar

O vídeo foi captado em Santander, na Espanha .

Uma forte maré sobe rapidamente, varrendo poderosamente tudo nas areias da praia de Sardinero. Todos já se encaminham para a rampa de acesso, mas a mulher, por algum motivo, talvez pelos os bons momentos que desfruta, acaba iludida com a ideia da alegria invencível que desfruta em seu lazer e resolve enfrentar o mar.

A natureza tem outros planos. A força da maré tem seu compromisso natural de continuar o que começou, e seu interesse pela forma brincalhona que uma mulher a enfrenta passa desapercebida, assim como o desespero dela, após ser engolida pela força das águas.

Por algum motivo, não sou diferente dela, embora algo em mim queira rir do que considero imbecil em seu comportamento. Todos sabemos de nossas limitações a forças bem menores que aquela.Mas as vezes, bricamos em lugares escorregadios. Os hospitais de tratamento de fratura que o digam.

Mas em um ou outro momento, poderíamos julgar que nossos êxitos são capazes de nos tornar invencíveis, cremos que o sabor de nossas vitórias em determinado aspecto é capaz de nos habilitar momentaneamente a imortalidade. Nosso eventual troféu empoeirado mente que é a senha para sermos sempre firmes e capazes.

Até que a vida passa em sua força habitual, e nós, tolos arrogantes, damos o vexame público de sermos arrastados diante da crítica alheia que também não crê que seu dia de enfrentar a maré alta chegará.