16 de janeiro de 2015

Assista: Um pastor fala a cientistas em palestra sobre tecnologia


Preciso confessar: em quase 20 anos de "convertido", foi a primeira vez que parei para ouvir esse homem.

O nome dele é Billy Graham. Eu sei. Um absurdo. Mas tinha resistência em querer ouvir certos pastores em suas "cruzadas" por conta do mal exemplo dos pregadores brasileiros (alguns até confessos que dizem seguir o exemplo de Graham).

Meu amigo Daniel Olson postou na sua página, e eu cismei em assistir. Valeu muito a pena.

Emocionei-me ao ver um homem alto, com oitenta anos, com dificuldades para se manter em pé, mas totalmente lúcido. Aquele homem confessou sua fraqueza física diante dos cientistas presentes, sem medo de que algum cético pudesse questionar o poder do Deus a quem ele pregava.

Diante disso, emocionei-me. Quantos homens que um dia foram "de Deus" e puderam pregar deixaram de ensinar o Evangelho a troco de uma boa grana?

Sim, amigo. Hoje é mais difícil encontrar pregadores desse calibre.

Postei um pequeno trecho inicial, caso queria ver se vale a pena. Eu não consegui parar de assistir e por isso, o vídeo completo está logo abaixo.
Trecho:



Completo:



20 comentários:

  1. Essa "esposa de pastor"
    1) não tem ministério (..."é ser aquela mulher sem nome"...);
    2) nem marido que lhe seja cúmplice (..."que cuida sozinha dos filhos durante os cultos"...);
    3) nem personalidade e/ou vontade própria (..."tem que ir a todos os eventos na Igreja, mesmo quando não está com vontade") respeitada ou devidamente submetida à vontade de Deus;
    4) não tem maturidade emocional (..."sempre estar com um sorriso nos lábios"...) para entender o que é educação com os outros e discrição com os próprios problemas;
    5) não entende que contra qualquer calúnia, difamação etc. nós NÃO devemos nos calar, mas desabafar com Deus, como fazia o rei Davi;
    6) não desenvolve o próprio ministério em conjunto com o marido (..."fica sozinha em casa enquanto seu esposo vai cuidar das famílias dos outros");
    7) não entende que ser "esposa de pastor" é ser apenas uma verdadeira Cristã – pois todos devemos conduzir nossos filhos a uma espiritualidade sadia, independentemente de termos títulos eclesiásticos ou não – e não carregar mais peso do que a Cruz de Cristo;
    8) não atende ao próprio chamado, mas em vez disso se limita a "apoiar seu esposo no seu chamado de cuidar de ovelhas";
    9) não possui amigas que também são casadas com pastores, com as quais possa compartilhar as dores e os tantos prazeres de ser casado com um homem de Deus...

    Entendo que essa anônima esposa de pastor possa estar verdadeiramente passando por esses problemas, mas isso não pode ser encarado como algo "natural" ou "comum".
    Até pelo fato da autora não querer se identificar, o editor deveria tomar a liberdade de deixar claro que a situação enfrentada por ela é exceção.

    Meus pais são pastores, minha mãe é "esposa de pastor" e eu estou prestes a me tornar uma também. Cresci na Igreja e conheço pessoalmente várias esposas e filhos de pastor, por isso sei que a realidade da irmã citada acima, não é frequente...

    ResponderExcluir
  2. Tudo bem, Khayte?
    Você, como cristã declarada - e ostentadora de um título tão imponente, poderia ter um pouco mais de cuidado com a forma que aponta o erro que você presume ter acontecido.



    SIm. Eu conheço a autora. Não é fictícia.


    Não: Ela não é isso que você afirmou. Muito pelo contrário. Você está redondamente enganada. Ela é mãe exemplar, cuidadora e - pasme - o marido dela leu a postagem e aprovou.


    Como editor e redator dessa pagina e das outras redes sociais com o mesmo nome, posso afirmar que o drama que ela vive é vivido por muitas e muitas outras que, secretamente, me enviaram agradecimentos pela postagem. Desde a postagem de ontem, no fim da tarde, ele já alcançou mais de 3000 views só no Face ( o que significa muito para um site pequeno como este). Elas não comentam mas compartilham, como pode perceber em outras redes sociais.


    Se sua vida e a dos seus pais vem sendo um mar de rosas e tudo acontece dentro do previsto pela cartilha que lhe foi passado: Parabéns, algo de muito estranho está acontecendo na sua vida e você é privada das dores normais da caminhada cristã.Que bom!


    Mas não se use como parâmetro para julgar uma mãe de família (ou muitas), Escrevo isso porque sei que ela - e muitas outras - não responderão a essa sua acusação descabida.


    Fica na paz.

    ResponderExcluir
  3. Tudo bem, cristão confuso?

    Eu não presumo ter acontecido um erro. Sei que a obra não é fictícia, apenas penso que seria bom especificar que o ocorrido com essa esposa de pastor é exceção, e não regra.

    Do contrário, os que não integram família de pastores podem não ter a percepção de o quanto isso é honroso e tão leve quanto o fardo de Jesus.

    O texto deixa bem claro toda a dedicação da autora à maternidade, senão ela não "cuidaria sozinha dos filhos", não "ficaria sozinha em casa, cuidando dos filhos", nem sequer "tentaria conduzir eus filhos a terem uma espiritualidade sadia".

    O que não parece que é que ela se dedica ao próprio ministério de igual modo que o esposo, nem que ambos excercem o mesmo "chamado de cuidar de ovelhas" de modo igual.

    Não me pasmo em saber que o esposo da autora autorizou a divulgação do texto, aliás, pelo perfil que ela demostrou ter, isso é algo facilmente dedutível.

    Sei que muitas outras vivem esse drama, mas sei também que a glória extraordinária de estar casada com um homem que se dedica à obra de Deus é muito maior do que qualquer eventual sofrimento.

    Obviamente que a vida de ninguém é um mar de rosas, até porque a cartilha que seguimos é a Bíblia, onde prediz que sofreremos aflições em nossa vida com Cristo.

    Se uma esposa de pastor é "olhada de cima a baixo por causa das roupas que veste", "escuta calúnias sobre seu esposo e ministério", "excluída das rodinhas de conversas", é "cobrada de ter que desenvolver muitos ministérios dentro da Igreja, porém se faz é ser apontada como protegida do Pastor", "sofrer retaliação" aos ensinamentos do marido, tem "que se mudar para cidades que não conhece ninguém", certamente os filhos não deixam de passar por nenhuma dessas situações.

    Mas minha vida não é "privada das dores normais da caminhada cristã" apenas porque dou muito menos atenção às lutas do que às vitórias.

    Em momento algum pretendi julgar alguém, apenas quis responder à lista de problemas com uma lista de soluções, para que as pessoas que leiam a postagem entendam que o sofrimento passados pela esposa de pastor autora do texto são opcionais.

    A paz do Senhor.

    ResponderExcluir
  4. Eita evangélicos perfeitinhos! Sempre tem que apontar um dedo acusador ao invés emitir uma palavra de conforto, preferem lançar a crítica. Por esta é outras cada vez mais pessoas se afastam e se perdem. Maldita seja a religiosidade. Quanto a esposa do pastor, imagino mesmo que não seja fácil seguir assim, mas "aquele que começou a boa obra em nós é fiel para completa-lá até o fim"! Conversar com o seu esposo tentar expor essa situação (como já é de conhecimento dele) vai ajudar a fortalecer ambos. Eu creio mesmo hoje não sendo de nenhuma instituição religiosa, mas sendo Cristão que Papai não vai te negar Socorro, porque Ele é o remédio e o Socorro bem presente na hora da angústia. Não permita que lhe roubem esse bem preciso chamado paz!

    ResponderExcluir
  5. Alguns "evangelhos" nos dias de hoje estão uma coisa linda kkkkkkkk...

    ResponderExcluir
  6. Fábio, eu sei que estou muito longe da perfeição assim como todos os seres humanos.

    Jamais tive a intenção de acusar alguém, mas agora com suas palavras reconheço que – em vez de priorizar a crítica sobre a maneira quase irresponsável que esse desabafo foi publicado – meu comentário deveria ter como principal foco o consolo à irmã que está sofrendo desnecessariamente.
    Neste aspecto você tem razão.

    Talvez seja a religiosidade que leva as pessoas a se sobrecarregarem com afazeres como Marta, em vez de desfrutarem da Presença como Maria.
    A obra de Deus – que é realizada com sobrepujante prazer para Ele – pode se tornar um peso se passar a ser realizada para a ingrata Igreja.

    ResponderExcluir
  7. Fiquei comovida com o texto da esposa anônima. Vi em seu testemunho, assim como nos comentários, algumas semelhanças com a minha caminhada.
    Espero que minhas palavras venham motivar e edificar!

    Eu sempre estive ao lado do meu esposo nas igs. pastoreadas por ele, mas jamais deixei meu ministério para trás, muito menos fiquei invisível. A pessoa não pode se anular para que o ministério do outro floresça...ou o ministério do marido crescer em detrimento do seu ministério.

    Meu filho foi criado na casa do Senhor com naturalidade e hj aos 26 anos, é amante da obra, principalmente no trabalho de missão urbana. Qdo ele era peq., meu marido o segurava enquanto eu cantava e tocava meu violãozinho (ou eu o entregava para alguém próximo a mim.) O marido é pai, antes de ser pastor. Meu esposo sempre fala que a igreja mais preciosa para ele somo nós: a família!

    Sou mansa e moderada ao falar, tb sou sorridente por natureza, mas tenho personalidade forte, sou firme,sempre liderei grupos, mesmo antes de casar.

    Amigos, sempre os tive e não foram passageiros, em cada ig. vou fazendo laços que perduram mesmo depois da mudança para outra ig. É impossível viver sem o convívio de outras pessoas...

    Retaliação? Que tipo de retaliação? Nunca tinha ouvido falar de casos assim!

    Lutas e aflições...muitas, muitas mesmo, mas as vitórias em Cristo Jesus sempre suplantaram os sofrimentos.

    MAS...

    Uma esposa de pastor muitas vezes tem que esconder a lágrima e mostrar um sorriso, e, não é por falsidade, é por cuidado, por zelo.

    Uma esposa de pastor não pode "colocar pra quebrar dentro da ig." , do tipo: "sou sincera e falo tudo, doa a quem doer", por outro lado, não pode se deixar pisotear...(difícil, né? Haja oração e jogo de cintura!)

    A esposa do pastor é cobrada no se vestir, no meu caso, sempre fui notada nas igs. , porém, nunca deixei de me vestir bem, elegantemente, e graças a Deus acabei por ser referência para muitas mulheres, mas levei algumas lambadas antes...

    Não dá pra dizer que ser esposa de pastor é um "mar de rosas". O caminho é espinhoso, mas a Palavra de Deus Deus diz: "neste mundo tereis aflições, mas tende bom ânimo."
    Procuro esquecer os desgostos sofridos no passado, olho para a frente e sigo fazendo o que Deus tem me dado pra fazer.

    Concordo e explico: esposa de pastor não tem pessoas com quem desabafar, pelo menos não tudo o que sente...não dá certo, pois pode virar um fervo, pode causar escândalo. Ministério é coisa séria e por precaução é melhor vigiar. Eu desabafo algumas poucas coisas com uma ou duas amigas de confiança, mas só o light...o pesado das provas é aos pés de Cristo e com meu marido. Ele é o meu ombro, eu sou o ombro dele, só!

    Qto ao fato da irmã anônima não se mostrar, ENTENDO! Não por conta de ela estar resguardando o ministério do marido, mas pelo fato de com essa postura, ela estar resguardando a si e aos filhos!
    Tb entendo o medo que ela possa ter de "estragar" o ministério dele, mas é um caminho perigoso para a saúde mental e até espiritual dela.

    Creio que cada esposa de pastor tem um temperamento, um modo de ser e ver, contudo, somos indivíduos. Esposa de pastor não tem que ser melancólica, depressiva, antes, deve ser alegre, se divertir, curtir o ministério, não ser escrava dele!
    Naturalmente, na igreja, o peso e a responsabilidade dela são bem maiores do que o das mulheres que não são esposas de pastor. Se ela realmente ama a obra de Deus, ela se doa e é uma doação que traz alguns dissabores, mas no final, a mulher é coroada de êxito, como falei no início, as vitórias suplantam as dores. Não há como contornar as montanhas, é preciso escalá-las, mas qdo se chega ao topo se vê com deslumbramento as maravilhas do Senhor Jesus!

    Sei que muitas irmãs estão na situação da "esposa anônima", minha oração é para que Deus as guarde do desgaste no casamento, entre outros fatores desfavoráveis nessas situações!
    BORA mulheres de Deus, bora trabalhar com alegria!
    Bjos e que o Pai abençoe a todas! :)

    ResponderExcluir
  8. Belas palavras, pastora Andréa!
    O seu relato ilustra a maior parte das experiências que já tive contato!
    Muito obrigada pelo seu testemunho!
    Em nenhuma comunidade e em nenhuma denominação existe um "mar de rosas", a principal diferença é o jeito que encaramos as dificuldades.

    O que mais me preocupou com a maneira que o texto foi publicado, é que sem a ressalva que a situação exposta não é algo intrínseco do ministério, reforça a ideia errônea que já sonda a mente de muitos casais jovens, de que
    o ministério pastoral é tão pesado que is prós e os contras devem ser levados em consideração antes de se optar por abraçar o chamado.
    Não! Devemos prosseguir com os olhos fixos apenas no prêmio!

    Entendo que assim como a autora anônima, muitas esposas de pastor podem estar passando pela mesma situação, mas isso pode ser mudado!
    No final das contas, ser a família ideal de um pastor nada mais é do que andar com Deus! Temos muitos defeitos, enfrentamos diversas dificuldades, mas responder ao seu chamado é o segredo da verdadeira felicidade!

    Quanto às retaliações, eu sofria principalmente até a minha adolescência.
    Quando o pastor (meu pai) corrigia alguém, tomava uma decisão administrativa que não agradava a todos, ou até mesmo por inveja ministerial (toda a minha família sempre foi ativa na Obra de Deus),
    nós, os filhos, éramos os primeiros a sofrer com a antipatia dos membros condoídos; e principalmente para os mais jovens, a sensação de integração é determinante para o bem-estar.
    Mas também é dentro da Igreja, o corpo de Cristo, que Deus nos traz o alívio para a alma. Quando não haviam crianças ou jovens da mesma idade que eu, ou quando esses se recusavam a me aceitar "por retaliação", eu desenvolvia amizade com filhos de líderes de outras denominações.

    A Igreja deve ser nossa família e a nossa família deve ser a Igreja. Não é porque eu vejo os vários defeitos que vou deixar de amá-las tão profundamente!
    Nos átrios do Senhor encontramos nosso refúgio!

    ResponderExcluir
  9. Você vai ser esposa de pastor com toda essa "misericórdia"?
    Pobre das ovelhas de sua futura igreja!

    ResponderExcluir
  10. Você vai ser esposa de pastor com toda essa "misericórdia"?
    Pobre das ovelhas de sua futura igreja!

    ResponderExcluir
  11. Acho bem importante o texto da esposa anônima, assim como seus comentários, Khayte!

    Mas guria, venho de uma família de pastores e a diferença entre ser filha e pastor e ser esposa de pastor é muito grande, pelo menos na esfera onde vivo!
    Um exemplo: qdo "baterem" no seu marido, vai doer mais em vc... e vai ser a hora em que vc não terá com quem conversar, exceto com Jesus! Vc será um ombro solitário...sim, muitas vezes nem para as nossas mães podemos desabafar, faz parte! O maravilhoso é que Deus nos talha de tal forma, que nos torna resistentes!

    Vc colocou bem, a Ig. é nossa família e justamente por sermos família e estarmos tão ligados é que volta e meia há esses contratempos, mas tudo se dissolve, como eu disse anteriormente, precisamos de muita oração, jogo de cintura e acrescento ainda o amor e o perdão!

    Vc disse, que em nenhum lugar é um mar de rosas e que depende da forma como encaramos o ministério, mas vc sabe, o pastor tem sim que zelar primeiro pela família! Assim, não depende somente da visão e da boa vontade da esposa... Observe como há filhos de pastor que estão fora dos caminhos de Jesus! (Qdo falo zelar, não é fazer da criança, jovem ou adolescente um "pastorzinho"...o ministério é do pai, não do filho...)

    Pela sua postura, Khayte, parece que o ministério do seu pai trouxe muitas alegrias, vc não foi forçada a nada, assim como o meu filho, embora lá pelo final da adolescência ele já tenha entendido os percalços da jornada, contudo, em vez de assustado, ele ficou forte e entrou para uma facul de teologia, graças ao bom Deus!

    Creio que a irmã anônima, vc e eu estamos postando o mesmo texto, apenas com ptos de vista diferentes!

    Da minha parte, quero dizer que há meio termo, a esposa não precisa estar só...

    Muitas vezes o caminho é bem tortuoso, mas em Deus está a nossa confiança!

    Prezado Cristão Confuso, seguem as suas palavras: "Como editor e redator dessa pagina e das outras redes sociais com o mesmo nome, posso afirmar que o drama que ela vive é vivido por muitas e muitas outras que, secretamente, me enviaram agradecimentos pela postagem."

    Suas palavras são preocupantes, as esposas de pastor não querem escândalo, entendo, mas seu parágrafo me deu a entender que a vidas dessas mulheres é um martírio e que elas sofrem caladas, são desaventuradas...mano, ou foi maneira de vc se expressar ou tem alguma coisa estranha acontecendo por aí!
    Bjos galera e que Deus nos dê sabedoria!
    Estou orando por vcs, orem por mim!

    ResponderExcluir
  12. Pastora Andréa, o que motivou meu comentário foi a minha preocupação com que o texto leve alguém a pensar que a vida de esposa de pastor é um martírio, como a senhora bem expressou.
    Certamente os filhos dos pastores têm uma experiência diferente do ministério do que a esposa; enquanto aqueles muitas vezes apenas veem o sofrimento do pai, esta inevitavelmente sofre junto.
    Aprendi que a prioridade na vida de toda pessoa deve ser Deus, família e ministério, nesta ordem. Deus jamais exigirá que sacrifiquemos a estabilidade dentro da nossa casa em prol da Obra. Meu pastor sempre enfatiza que o primeiro púlpito de um sacerdote é a mesa de jantar da família.
    Assim como Lúcifer se rebelou, Adão pecou voluntariamente e Judas traiu Jesus (todos esses tiveram um contato pessoal íntimo com o próprio Deus), os pais não podem sofrer acusação dos membros se os filhos de pastores decidirem sair dos caminhos do Senhor. Sei que é responsabilidade dos pais ensinar o caminho no qual a criança deve andar, mas há pais ficam tão arrasados com um filho desviado que chegam a abandonar o ministério.
    Eu já vi cada "atrocidade" dentro da Igreja, mas sempre aprendi a identificar que todos os erros se resumem a falta do verdadeiro Cristianismo, e não que seja culpa do Corpo de Cristo instituído na Terra.
    Aprendi a ler com a Bíblia e desde muito jovem sempre busquei um contato individual com Deus; quando comecei a ver os defeitos tão humanos dentro da Igreja, Deus já foi me levando a separar baseado na Sua Palavra o que é a Sua Igreja do que é a humanidade que a integra (não sei se consegui me expressar bem, rs...)
    Eu já esfriei espiritualmente, já tive curiosidade pelo mundo, mas nunca desejei de afastar de Deus e de sua Igreja.
    Espero que se a autora do texto - e qualquer outra que se identifique com ela - ler toda essa conversa nos comentários da postagem, ela entenda que tudo isso se deu por causa de nossa preocupação com o seu bem-estar no exercício de um ministério tão estratégico, precioso e árduo.
    Que Deus nos use para nos edificar mutuamente!
    Estarei orando pela senhora, oremos pela Igreja!
    Abraços!

    ResponderExcluir
  13. Eu sou esposa de pastor. Sofro muito e concordo plenamente com o texto. Tenho o meu ministério na igreja, "apareço", me visto bem... mas no fundo é muita dor mesmo. Muita solidão dentro de uma igreja lotada. Ele é um excelente marido e pai. Ama Jesus e tudo que almeja é cumprir o seu chamado. Só que são tantas cobras e pessoas sem o mínimo de amor no coração que o ferem, que questiono se são realmente cristãs. Mentiras, fofocas, maldade... é só o que vejo. Cheguei a um ponto de querer nunca mais pisar naquele lugar. E infelizmente sei que a "bonança" vivida por algumas esposas é que não é a regra.

    ResponderExcluir
  14. É, irmã. Você não imagina o quanto "ouço" delas sobre isso. Seu relato é mais comum do que imagina. Esses relatos não estão aqui porque, assim como você, elas precisam resguardar a identidade dos ministérios dos maridos.

    ResponderExcluir
  15. Sou bisneta, neta, filha e esposa de pastor.
    E digo que essa Kaythe que se auto intitula profeta... É sem dúvida, uma tola! Dizer que será (futuro ) esposa de pastor, não dá o direito de chamar atenção de uma mulher que vive o que escreve.
    Usar palavras bonitas e escrever páginas não muda a verdade : garota vc não fale do que não conhece. Há um abismo entre teoria e prática.
    Que seu futuro esposo entenda isso antes do casamento. Afinal vc está longe desta vida de mulher de pastor.

    ResponderExcluir
  16. Fábio eu sou esposa de pastor e suas palavras foram lindas!
    Filho vc é de Deus. Ele te ama. Volte para Ele

    ResponderExcluir
  17. ser m mulher de pasto e esta sempre ao lado dele mesmo estando ruim ama lo e respeita lo sempre

    ResponderExcluir
  18. Quanta tolice....como sempre Pensado no ( EU )será que alguém aki já realmente pegou sua cruz?ou pegou uma mala com suas emoções entro dela e seguiu Jesus?geracao sem base em Deus,fiko me perguntando cadê os profetas,guerreiros,líderes que por amor a Deus até a sua própria vida abria mão pela mensagem de Deus?a vida foi criada por escolha,ou vc acha q Deus colocou a árvore da ciência do bem ou do mal em vão?eva assim como Adão tiveram uma escolha desobedecer ou obedecer....tuodoooo e escolha,e não falo de ministério pastoral somente,mas a maior éscolha q vc fez foi servi a ele,nisso implica todo tipo de dores, assim como o senhor Jesus também sofreu...,QUEM SOMOS NÓS?estamos se achando melhor que Jesus?ele sofreu bem mas q isso,é FIKAMOS nessa vidinha pacata em dizer ( estou sozinha,ninguém me vê,estou sofrendo,meu marido não me da atenção, mas já se pôs no lugar dele?sera q vc seria capaz de ser ele?pq se fosse NUNCA ESTARIA DIZENDO ISSO ,PQ QUEM PÕE A MÃO NO ARADO E OLHA PRA TRAZ NÃO E DIGNO DE ENTRAR NO REINO DO CÉUS,E ESSAS DECLARAÇÕES FAZ COM QUE OLHE PRA TRAZ E PERCEBA QUE ALGO ESTÁ FALTANDO,CADÊ A MULHER Q ABRE MÃO De TD PELA OBRA DO SENHOR.nos não estamos falando de família estamos falando de vidas que por causa de uma carência morre Pq não teve tempo ou pq falsamente disse algo q não vive,portanto tanto o homem como mulher vcs foram chamados por Deus não por esposa ou marido,Jesus foi traído,negado,morto e vc,o q vc tem passado mesmo?ser mulher de pastor é uma honra, e isso q todas tinham q dizer sabe por que? Por que tem milhões de almas no inferno q trocaria esse lugar pelo seu...valorize o q Deus te Deu...e para de viver uma vida como se vc estivesse só,se vc está dizendo q está so, vc nunca conheceu a Deus,pq quem bebe dessa água nunca mas tem sede,sede emocional,AKI se tu é mulher de pastor e vive uma falsa mulher sábia,na verdade vc sempre foi tola...pq não da pra mentir Pra Deus Muito menos pra nós mesmos... .

    É claro, irmãos, que eu não penso que já consegui isso. Porém uma coisa eu faço: esqueço aquilo que fica para trás e avanço para o que está na minha frente. Corro direto para a linha de chegada a fim de conseguir o prêmio da vitória. Esse prêmio é a nova vida para a qual Deus me chamou por meio de Cristo Jesus.

    Já disse isto muitas vezes e agora repito, chorando: existem muitos que, pela sua maneira de viver, se tornam inimigos da mensagem da morte de Cristo na cruz. Eles vão para a destruição no inferno porque o deus deles são os desejos do corpo. Eles têm orgulho daquilo que devia ser uma vergonha para eles e pensam somente nas coisas que são deste mundo. (‭Filipenses‬ ‭3‬:‭13-14, 18-19‬ NTLH)

    Coisas do mundo implica sentimentalismo q buscamos aki no mundo,e não do Céu...graça e paz.

    ResponderExcluir
  19. Você é casado, irmão? É pastor de que denominação?

    ResponderExcluir
  20. Sim amado eu sou,pastor da igreja batista...paz e graça

    ResponderExcluir