16 de junho de 2010

Você é sofofóbico?

por Zé Luís

Gosto quando deparo com pequenas palavras que transmitem grandes mensagens.

Fobia, por exemplo, tem raiz grega, significando horror ou aversão, embora o termo seja usado para determinadas crises de pânico desencadeadas em situações específicas.

Em suma, fobia é medo que congela, e a causa pode ser as mais diversas e inusitadas:

Agorafobia é o medo de estar em lugares públicos, abertos. Fobia social é o pavor de ser avaliado por outras pessoas, e claro, temos fobias simples, como a aracnofobia, por exemplo, que é o pavor por aranhas.

Lendo sobre os medos que nos paralisam, deparei com um que, se você chegou até este ponto da leitura, certamente não o tem: a Sofofobia.

Um sofofóbico é alguém que tem pânico em aprender.

Fiquei imaginando no absurdo da situação: um ser que se recusa a assimilar um novo passo em seu aprendizado, uma nova série de acordes em seu instrumento, uma nova equação em seu projeto, um novo ângulo de um determinado assunto. Ao chegar neste último ítem citado, lembrei de um amigo, irmão em Cristo, crente sincero e atuante no ministério eclesiástico.

“Não ouço determinados pregadores: Gondim, Caio, Kivitz, Ariovaldo Ramos... eles fazem você perder a fé” - disse ele, diante de minhas citações de seus textos. Havia um aviso de perigo, mandando ele recuar diante do "novo".

Os tais acima são conhecidos por não serem convencionais em seus discursos, o que botava em risco a base de toda aquela fé. Algo dentro daquela alma sinalizou que seus alicerces estavam em risco, e recuou diante do posicionamento perigoso daqueles pastores.

O medo informa que um perigo, uma ameaça eminente, a algo que tem que ser protegido, preservado.

Conheci muitos ateus que apontam esse comportamento naqueles que professam alguma fé, dizendo que crer é uma fuga da realidade, um medo de aprender que deus não existe.

Ironicamente, muitos deles lutam contra a presença natural da crença e seus cérebros, com a sofofobia de voltar a crêr, já que ser ateu, para imensa maioria deles, é um estado definitivo. Voltar a crêr por aprendizado, paradoxalmente, é voltar a ser ignorante.

Creio que muitos canalhas estão cientes deste tipo de pânico, e fazem nele sua linha de produção de heresias intocáveis: estabelecem um “cerberus”(cão mítico de três cabeças, guardião do inferno) onde ninguém é capaz de ultrapassar os limites daquele discurso, por mais exposta que a mentira tenha sido.

Milhares de sofofóbicos se apinham nas igrejas, em cursos teológicos, em congressos. Trocam sua liberdade por promessas de milagres, por cestas básicas, pela segurança da palavra de alguém que também não se garante e não sabe do que fala.

Eles sabem que os sofofóbicos se multiplicam e fazem disso seu império.

E você? Tem essa fobia?

7 comentários:

  1. nem pensar!!


    Para mim um cara não pode afirmar ter fé, sem nunca ter brigado com Deus, sem ter pego um "anjo" pela perna afim de arrancar uma resposta, sem ter ficado noite adentro explicando para Deus sua total falta de fé.
    Quando se sabe lidar com a duvida, fica fácil viver com a certeza e ter uma razão para esperança.

    Ah, e não precisa por a "culpa" no Gondim, Caio, Kivitz, Ariovaldo Ramos e no Confuso.

    posso chupinhar/afanar o texto?

    ResponderExcluir
  2. PoiZÉ...

    Confesso que não conhecia essa expressão nem seu significado mas tenho uma certeza e a minha resposta é um NÃO bem grande para a pergunta final. :) Não sou meizzz, tow forinha!

    E o interessante é que quando "achei" a minha fé, comecei a ler e ouvir pregações justamente desses aí citados. Quanto mais meus olhos se abriam, mais eu fugia de coisas prontas, de conceitos, de rótulos. Mas eu sou suspeita pois adoro uma subversão rss

    Lembro que quando tava um ôba-ôba em cima do livreto a Cabana, me impressionou ler um texto de um ministro/chefe/presidente num sei de quê lá dos esteites onde ele falava com veemência sobre a obra como se esta oferecesse sério risco. Tive a forte impressão de que aquelas palavras vinham de um menino inseguro que precisa de aprovação.

    Sempre me deparo com situações assim e acho isso muito estranho...

    Falando em coisa estranha, agora me veio à lembrança o filme "O corpo" com Banderas e que muitos acharam um filminho mas eu achei instigante justamente porque mexe com uma ICAR tão poderosa e ao mesmo tempo tão incrédula e sem fé.

    E quem quiser que pense que isso é coisa de filme...

    Legal o texto, blogando e aprendendo rss

    Abs...

    R.

    ResponderExcluir
  3. Oi R.

    Gostei da comparação do menino...boa!

    Dra. Adriana.

    Sirva-se!
    Em tempo: me por no grupo destas feras aí é praticamente uma heresia.

    ResponderExcluir
  4. Ah, eu esqueci de dizer que morro de medo de seguir linhas teológicas, de não poder perder um congresso, enfim fujo desses "aperfeiçoamentos".

    Como é merrrmo o nome dessa fobia? rss

    Abs...

    R.

    ResponderExcluir
  5. Irmão, fiz algumas reflexões enquanto me preparava para fazer um trabalho da facu e compartilho com você.
    Situações e ações que são aceitas pelos cristãos, pelas igrejas, mas que à luz da bíblia são consideradas pecado:

    1.Comprar Cd e Dvd pirata (em banca de camelô evangélico);
    2.Rádio pirata evangélica (tem até revelação... ela vem de Deus?);
    3.Baixar filmes, Cds, etc sem a prévia autorização do autor;
    4.Ter na Igreja e em casa programas de computador piratas ou sem licença, (o seu Windows XP, Vista ou Windows 7 é original?. O meu não é, tenho que me agir logo);
    5.Acreditar que um presidente evangélico vai mudar a nação brasileira;
    6.Não pagar bem os funcionários quando se é um empresário;
    7.Não cumprir com as suas obrigações como trabalhador;
    8.Chegar atrasado no trabalho diariamente (opa! Esse sou eu!);
    9.Achar ruim quando o culto demora 10 minutos a mais do que o esperado;
    10.Ir à Igreja só aos domingos;
    11.Reclamar que o louvor foi ruim;
    12.Se irritar achando que a pregação foi muito fraca;
    13.Não orar e não ler a bíblia durante a semana;
    14.Gostar de pornografia;
    15.Ter o hábito de se masturbar;
    16.Gostar de olhar a “muguegadha” na rua; (para os homens, estilo peão de obra);
    17.Não haver ministérios ou um canal aberto para que estes assuntos possam ser ministrados e discutidos nas igrejas;
    18.Proibir determinados comportamentos, maneiras de vestir ou de pensar nas igrejas;
    19.Ser liberal e permissivo demais para com as doutrinas do evangelho;
    20.Não haver mais Escola Dominical, Cultos de Oração ou de ensino da bíblia dentro das igrejas;
    21.Não respeitar a pluralidade do evangelho;
    22.Querer ter um canal de Tv, uma igreja gigantesca, com milhares de membros, pluricelular e ser influente no Brasil inteiro;
    23.Ser um pregador “untado” na manteiga, cheio do óleo de Geováh e assado na fornalha de Daniel;
    24.Carregar bandeiras de denominações, de ministérios ou de igrejas;
    25.Não socorrer o pobre, o doente, o seu vizinho, a sua família e a sua casa;
    26.Achar que Transferência de Dons, Teologia da Prosperidade, unção disso ou daquilo vem de Deus;
    27.Achar que ninguém toca no Ungido do Senhor (deixa Deus saber disso);
    28.Achar que todos que se denominam Apóstolos são verdadeiramente apóstolos (que eu saiba só existiram 12);
    29.Achar que Deus tem que te restituir algo;
    30.Achar que tem a Marca da Promessa;
    31.Não haver mais liberdade de pensamento e de crítica dentro da Igreja;
    32.Não haver unidade, amor, compaixão entre as igrejas e entre o povo evangélico;
    33.Aceitar falsas profecias, falsos profetas, ministros mentirosos e ministérios falidos por amor a alguma coisa que não é o Senhor Jesus;
    34.Cantar sobre dízimo, oferta, célula, promessa, vitória, restituição, benção sem fim e esquecer de exaltar e adorar aos reis dos Reis, Senhor dos Senhores;
    35.Acreditar que a autoridade máxima na sua vida é o seu Pastor;

    Acesse: zumbidoatomico.blogspot.com – O som dos Últimos Dias!!!
    Em breve postarei isso lá. Talvez você tenha a sorte de encontrar algo de interessante neste blog.

    ResponderExcluir
  6. Em tempo: achei que vc não fosse escrever sobre isso nunca! Afinal de contas, é chato ter boas idéias e não ter um blog pra escrevê-las! : D
    Alguém tem que fazê-lo!

    Gracinhas à parte, adorei o texto e com certeza não sou sofo... sofofo... esse negócio aí que vc falou! Esses caras aí que foram citados: Caio, Ed, Ari, etc... pra mim, são ícones no que se refere a divulgar o vinho novo, se é que me entende. O povo só quer saber de judaísmo e do cumprimento das leis... vinho velho na veia.
    E se me permite citar o texto de II Timóteo 4:3: "Porque virá tempo em que não suportarão a sã doutrina; mas, tendo comichão nos ouvidos, amontoarão para si doutores conforme as suas próprias concupiscências."
    Ou seja, o povo quer quem pregue o que querem ouvir.
    Abraços!

    ResponderExcluir
  7. que bom que não tenho isso. [an?] haha... meu amigos até se irritam com a minha inquietação em aprender algo novo!

    ResponderExcluir