30 de outubro de 2010

Com 44% de ateus, país europeu usa igrejas como livrarias e cafés

Livraria Selexyz, em Maastricht


Café Olivier, em Utrecht
As igrejas e templos da Holanda estão cada vez mais vazios e as ordens religiosas não têm recursos para mantê-los. Por isso esses edifícios estão sendo utilizados por livrarias, cafés, salão de cabeleireiro, pistas de dança, restaurantes, casas de show e por aí vai.

De acordo com pesquisa de 2007, a mais recente, os ateus compõem 44% da população holandesa; os católicos, 28%; os protestantes, 19%; os muçulmanos, 5%, e os fiéis das demais religiões, 4%.

A maioria da população ainda acredita em alguma crença, mas, como ocorre na maioria dos países, nem todos são assíduos frequentadores de celebrações e cultos religiosos.

Algumas adaptações de igrejas têm sido elogiadas, como a de Maastricht, onde hoje funciona a livraria Selexyz (primeira foto acima). A arquitetura realmente impressiona.

O Café Olivier (a segunda foto), em Utrecht, também ficou bonito e agradável. Ao fundo, em um mezanino, se destaca o órgão da antiga igreja – um belo enfeite.

Uma igreja do século 19 de Amsterdã virou o “templo do pop”, o Paradiso, onde se apresentam badaladas bandas de rock e cantores nacionais e internacionais, entre os quais alguns brasileiros, como o Seu Jorge.

Até agora, ao que consta, não apareceu em nenhum desses locais alguém para expulsar os vendilhões do templo.

Com informação do blog Amsterdã, meca da Contracultura, de Mariângela Guimarães.
Visto no Paulopes

4 comentários:

  1. PoiZÉ...

    Eu tenho uma sobrinha que foi em julho para a Bélgica passar uns meses e ficava mandando fotos e textos abordando esse tema. (Até ensaiei uns textos mas acabou ficando no fundo da gaveta lá em "meus documentos" he he)

    Imagine, ela que foi criada em igreja fundamentalista dita cristã... (CCB) E eu, que sou meio transgressora rss o que falei pra ela foi justamente que tem seu lado bom ela estar vendo/vivendo o oposto, pois dá uma sacudida nos valores e põe a FÉ à prova.

    Tenho uma amigona que também foi há pouco morar na Holanda, o marido já estava lá há um ano, inclusive filho de holandês, e ela fala disso também, sendo com mais naturalidade, pois além de sacar esse lance cultural ela é "católica não praticante" daí ser mais fácil de ver a igreja (espaço físico) apenas como lugar de eventos mais sociais do que religiosos, como casamentos cerimônias fúnebres e batizados. Eu que o diga rss

    Gostei!

    R.

    ResponderExcluir
  2. que pecado usar igrejas belíssimas como essa para outras coisas que não adorar ao Deus altíssimo!

    ResponderExcluir
  3. PoiZÉ... (parte II)

    Eu vejo assim: é apenas um espaço físico. E adorar a Deus não inclui, necessariamente, espaço físico. Adorar a Deus é um estilo de vida. Jesus disse à mulher de Samaria que os adoradores que o Pai procura são os verdadeiros adoradores, os que adoram em espírito e em verdade. (Quem ler, entenda).

    E outra: independentemente de estilo arquitetônico, não vendendo ou dizendo nada "em nome de Jesus" já tá de bom tamanho. Vai ver que foi por isso que ninguém nunca foi expulso...

    ResponderExcluir
  4. Essa notícia é importante pois se nós também não levarmos a sério o evangelho, provavelmente, num futuro não muito distante, estaremos trilhando o mesmo caminho. Vejam, o velho continente, que já foi palco de grandes avivamentos, está morrendo... que Deus tenha misericórdia de todos nós.

    "Portanto, convém-nos atentar com mais diligência para as coisas que já temos ouvido, para que em tempo algum nos desviemos delas." Hb 2:1

    ResponderExcluir