6 de outubro de 2010

Uma animação sobre a vida


Não pude deixar de pensar em Eclesiastes, quando fala sobre o tempo. Que os tempos existem para cada situação, que não tem uma ordem específica, e que quando o fim vem, impondo seus fardos de saudade aos que ficaram, somos iguais a todos em todos os tempos.

Se existe uma oração que gostaria que fosse atendida é que o Mestre esteja sempre, e que eu o perceba. Deixar de existir, as vezes, não parece ser tão ruim como existir só.

Creio que por isso seu plano consistia em manter pessoas unidas em torno Dele. Nele as pessoas não permitirão que outros sofram deste mal.

O vídeo traz uma realidade possível, uma lembrança de que, pelo menos no fim, somos todos iguais.

Um comentário: