22 de maio de 2011

10 fatos bíblicos que não estão na bíblia

por Zé Luís

Dia desses, durante o almoço no refeitório da empresa, um rapaz a mesa, querendo fazer uma espécie de trocadilho com a vitória do Santos sobre o Corinthians na final do campeonato paulista de futebol deste ano, comentou, usando o símbolo do time, o “peixe”:
“ O Corinthians ficou como Jó: engolido pela baleia!” - e olhou para mim, como se eu fosse compactuar com a tentativa de comparação bíblica.

Enquanto metade do grupo não entendeu e nem tentou esboçar um sorriso, o restante fez cara feia – mesmo sem entender – já que eram corintianos e sabiam que aquilo só podia ser uma troça com a derrota do time do coração. Eu, por minha vez, fingi que estava distraído com meu bife e não ouvi. Além de não ligar para futebol o suficiente para sofrer se uma ou outra equipe perde ou ganha, o volume de bobagem dito em uma única frase deu nos nervos.

Como a desinformação pode, gradativamente, distorcer o dito pelo não dito? O rapaz em questão frequenta uma igreja batista, mas pelo jeito não tem prestado muita atenção nos cultos já que:

–Não foi Jó, e sim Jonas que foi engolido e;
-Não está escrito que foi uma baleia, e sim um grande peixe (mesmo por que baleia não é peixe, é mamífero).

Pensei em explicar isso na hora, mas o máximo que conseguiria seria que aquele indivíduo evitasse assuntos bíblicos na minha presença, já que ele só queria - fracassadamente – fazer um trocadilho engraçado. Talvez se eu largasse meu bife, pudesse explicar algumas coisas, e começaria minha chateação, além dos já explicados acima:

1º - Adão e Eva não comeram maçã alguma no Éden. A tal maçã – que nunca existiu – não tinha ligação com sexo (já que esse era ordenado a ser feito: Deus viu que era bom para o casal), mas era o fruto da árvore do conhecimento do bem e do mal (talvez “maçã” fosse um bom resumo). A proibição informava que a ingestão da mesma causaria a necessidade imediata de lidar com o delicado e humanamente impossível senso de justiça entre certo e errado que nos leva a bancarrota desde a queda.

2º - Deus não expulsou o casal primordial do paraíso por comerem do fruto, mas para evitar que chegassem ao estado eterno daquela condição de morte, ingerindo do fruto de outra árvore do Jardim, que dava vida eterna(seriamos zumbis).
3º - A tradução mais correta de Jardim do Éden seria POMAR do Éden.

4º - Não haviam três reis magos no presépio: os tais reis do oriente, que NÃO eram três (eles trouxeram TRÊS presentes) só apareceram na vida de Jesus quando ele já tinha dois anos.

5º - A tradução de algumas escrituras para os reis do Oriente, chamados por alguns de “reis magos” é “astrólogos”(tremam evangélicos, rsrsrs).

6º - Dalila não cortou os cabelos de Sansão. Ela mandou um empregado fazer para ela.

7º - Os bichos não entraram em pares na arca de NOÉ – e não a de Moisés, como ouço por aqui – e sim em grupos de sete, com divisões de puros e impuros.

8º - Não existe a palavra LÚCIFER na bíblia: ela resulta da tradução do latim um trecho das Escrituras no Profeta Isaías por Jerônimo, quando exilado pelo Papa em Jerusalém.

9º - Não existe a palavra TRINDADE em toda a bíblia.

10º - Não existe a palavra ARREBATAMENTO. Apesar de ser considerado por um grande número de protestantes, foi na verdade inventado em 1600 por Cotton Mather, famoso por ter assassinado a mulher por estrangulamento até a morte (por enforcamento) nos julgamentos de bruxas em Salem. O termo na Bíblia, geralmente confundido com a palavra "êxtase", na verdade vem do grego ἁρπάζω (harpazo), que na verdade significa "apanhados"ou "tirado" e se refere a uma única pessoa (Felipe).*

Extra - A tradução corretado hebraico do Salmo 23.1 - "O Senhor é eu pastor, nada me faltará" é "O Senhor é meu pastor, DE NADA SINTO FALTA".

Vou ficando por aqui. A essas alturas, você já deve ter dormido mesmo. Os companheiros da mesa teriam.

*1Tessalonicenses 4 - Bem lembrado, Wallace!

Porque o mesmo Senhor descerá do céu com alarido, e com voz de arcanjo, e com a trombeta de Deus; e os que morreram em Cristo ressuscitarão primeiro. Depois nós, os que ficarmos vivos, seremos arrebatados juntamente com eles nas nuvens, a encontrar o Senhor nos ares, e assim estaremos sempre com o Senhor.

A palavra "arrebatamento" não surge, assim como também há um evento precedente de proporções épicas: os mortos dos séculos e séculos ressurgem pela terra. Normalmente,  o arrebatamento é contado de forma repentina, inesperada. Com os mortos ressurretos ressurgindo, como não saber o que nos espera em seguida?

13 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  3. é.... as vezes também escuto umas asneiras...quase sempre é melhor me concentrar no meu "bife" do que querer explicar..rsrsrsrs

    Só não concordei muito com sua justificativa para o item 10...não ficou bem explicado...se nós, os vivos seremos arrebatados junto com eles significa q eles (os mortos) também serão arrebatados. Se ao ressuscitar terão(ou teremos) um corpo transformado, os vivos poderão não ver, ou os eventos podem ocorrer num mesmo momento...então aí seria surpresa...ou não???? tô confusa!!!!
    Enfim, não tenho a pretenção de saber exatamente o q vai acontecer. Só quero estar com o Senhor tanto nesta vida quanto na eternidade. Como Ele vai me levar, se vai marcar na minha agenda ou não, é Ele quem decide e me comunica se quiser...não vai fazer muita diferença, rsrs

    dormiu???? espero que não...só mais uma: a do Salmo 23 eu não sabia...adorei!

    Bj,

    ResponderExcluir
  4. Só o conhecimento pode nos libertar verdadeiramente. Jo 8:32 já nos diz isto e só com o conhecimento correto da Palavra de Deus é que podemos caminhar sem tropeços.

    Tem tanta gente que fala absurdos e cita como versículo que também acho melhor me concentrar no meu "bife".

    Uma questão que gostaria de comentar é que Jonas pode ter sido sim engolido por uma baleia, visto que a Bíblia não classifica os animais como a ciência. Vemos em Lv 11:19 que o morcego é considerado impuro e é relacionado com outras aves.
    O conceito naquela época era mais ou menos assim: voa, é ave; vive dentro d´água, é peixe.

    ResponderExcluir
  5. Sendo correta a versão acima descrita do Salmo 23 fico a pensar que nenhum de nós vive o que ali está escrito.
    E sinceramente.... Segura na mão de Deus amigo... porque ta tudo errado... tudo mesmo!
    Volta logo meu Jesus!.

    ResponderExcluir
  6. Não dormi(rsrsr),teu post está ótimo.A cada dia percebo que precisamos vigiar muito e procurar conhecer mais e mais a VERDADE.A braço

    ResponderExcluir
  7. vlw ô bonzão...acima do bem e do mal...doutor da lei!!!! misericórdia!!!!!

    ResponderExcluir
  8. É...parece que esclarecer alguns simples fatos incomodam as pessoas...deve ser porque tiram ela fora da "cartilha" que já estão tão habituados e confortáveis dentro de suas igrejas.
    Gostei do post, simples e esclarecedor.
    Obrigado.

    ResponderExcluir
  9. Quanto ao fato de baleia não ser peixe, isso não significa que Jonas não tenha sido engolido por uma. Na época em que a Bíblia foi escrita não havia classificações científicas para separar baleias de peixes. Para eles, as baleias eram peixes, assim como tudo o que tivesse forma parecida e ficasse na água. Além do mais, já foi relatado um caso de ser humano que foi engolido por baleia e conseguiu sobreviver, o que deve ser impossível se tivesse sido engolido por um peixe (até porque esse grande peixe deveria ser algo como um tubarão, ou seja, Jonas teria sido devorado, não engolido). Logo, foi mesmo uma baleia.

    ResponderExcluir
  10. Claro que foi uma baleia, no original diz baleia e Jesus sabe muito bem o que é um peixe e um cetáceo ele fez os dois.

    ResponderExcluir
  11. Muiiito booooom... Você me ensinou muitas coisas que eu realmente não fazia ideia e apenas um texto e olha que eu já tenho um bom tempo no evangelho.Obrigado, sou super fã desse blog.

    ResponderExcluir
  12. A BÍBLIA FALA DE UM GRANDE PEIXE E DE UMA BALEIA. MAS EU QUERO LEMBRAR VOCÊS QUE A DIFERENCIAÇÃO ESTRITA DE BALEIA PARA PEIXE GRANDE SÓ SURGIU NOS ÚLTIMOS MIL ANOS, COM A CIÊNCIA MODERNA. Não existia essa diferenciação nem nos dias de Jonas nem nos de Jesus. Nem no Israel Antigo. Assim como também não existia a mesma classificação taxonômica das espécies nos dias de Noé.

    Você acha que naquele contexto a classificação moderna tem alguma validade? Você sabe me dizer desde quando baleia foi classificada como mamífero?

    A expressão grega para o animal marinho: τοῦ κήτους, que é o genitivo de ὁ κῆτος (artigo + substantivo). O substantivo κῆτος ("kêetos") significa "baleia" (dando origem ao português "cetáceo"), mas segundo o Greek-English Lexicon de Henry George Lidell e Robert Scott, pode designar qualquer monstro marinho ou peixe gigante.
    Portanto, não existe contradição entre o texto de Jonas e o texto de Mateus, quando comparados no mesmo idioma. O que pode existir é um problema na limitação da língua hebraica antiga, já que a expressão hebraica DAG (דג) originalmente significa "peixe". Mas como dito, κῆτος também pode significar “grande peixe”.

    ResponderExcluir