30 de outubro de 2011

Os ateus que mais me aborrecem

por Zé Luís

Uma das coisas mais traumáticas que encontrei no início da minha jornada em Cristo foi tentar um debate com um ateu devidamente preparado enquanto eu, apenas com as primeiras promessas e um espírito renovado (e arrogante), tentei mostrar as vantagens de crer. Pensava que esse tipo de embate pudesse ser tratado pelo bom senso de uma experiência real, vivida e compartilhada.

Conheciam cada trecho da bíblia, cada ponto cientificamente incompatível entre o Gênesis a Apocalipse, e as pesquisas cientificas da moda, que incluíam – claro – coisas relacionadas a teoria da Evolução, sérias e comprovadas. Usavam bem muitas falácias (termo novo para mim até aquele momento). Citavam Schopenhauer, Nietzsche, Saramago, Carl Sagan, e tantos outros, sempre invocando declarações e frase de efeitos de notáveis personagens históricos, reconhecidamente ateus.

Amavam citar as atrocidades religiosas cometidas em nome de Deus, omitindo as atrocidades cometidas por ateus, como Stalin (não tinha a menor ideia que esse ateu fora um dos maiores assassinos da História, maior até que Hitler).

Sentia-me um perfeito idiota diante de tanta cultura e preparo intelectual.

Não entendia que tudo era um jogo de palavras, e que estava conversando com um grupo de pessoas que já tinham sido almejadas por grupos opostos às suas convicções com contra-argumentos, tornando tudo isso um ciclo infindável, coisa que o próprio Paulo dito apóstolo disse ser bom evitar. Claro, isso também é questionável. Por que evitar um debate quando ideias podem ser discutidas?

Só que, como disse, não possuía noções para contra-argumentações, me senti inferiorizado, ridículo, imbecilizado. Senti raiva de ser tratado como idiota. Parecia um fracote valente que insiste em tentar bater num lutador peso-pesado profissional de Jiu-Jitsu: Era levantar para cair. Meu orgulho fora ferido, e pior: aqueles argumentos ganhavam campo dentro de meu entendimento, e Deus, que sempre fora presente em meus pensamentos, resolveu se calar como se nunca tivesse existido.

Comecei a ter medo de lidar com aqueles seres odiosos e inteligentes. Minha fé, ponto alto da minha existência, apresentava fissuras, a ponto de estar em um púlpito, pregando, falando do amor e feitos do Altíssimo, sem crer realmente que Ele existia, que tudo aquilo não passava de uma apenas uma grande bobagem...

Mas tudo passou.

Hoje são outros ateus que me aborrecem.

Aprendi todos os argumentos, estudei todos os possíveis elos perdidos (forjados) de uma impossível evolução de um macaco para um homem (por favor; a Ciência é quem declara isso hoje, não eu! Hoje CRÊ-se que a evolução que originou o homem aconteça em saltos, e o tempo necessário para isso acontecer é de milhões de anos, quando o carbono 14 diz que não temos mais de 40.000 anos de existência). Entendi cada falácia, e como elas são capazes de desviar o foco de uma questão, apenas com provocações simples. Descobri que muitos ateus tem um compromisso ferrenho com suas convicções, a ponto de ignorar questões documentadas e sobrenaturais.

E outra: por que tantos ateus se prestam a defender suas teses sobre a inexistência de deus e o quanto ele é cruel? Se não creio em seres fictícios, não gasto tempo me cadastrando em fóruns para desdizer a obesidade de Papai Noel, ou a crueldade dos smurfs que não podem ser azuis pela deformação genética impossível, e que pesquisas recentes, feitas por - qualquer - renomado cientista evolucionista – e ateu - só vem comprovar o que era óbvio: a improbabilidade da existência da Terra Média, e que Gandalf, o renascido mago branco, não passava de uma invenção mesquinha, uma muleta para almas com preguiça de pensar e aceitar a dura realidade de um mundo sem magia.

Esses ateus, hoje, me divertem.

Os ateus que realmente me aborrecem pregam em púlpitos, fingindo que dizem coisas que estão escritas na Bíblia, pedem para que seus ouvintes os obedeçam cegamente, seus egos precisam ser alimentados, seus bolsos, cheios, suas carreiras, reconhecidas.

Esses ateus pregam a Palavra de Deus, fingindo que acreditam nEle, mas por terem muito a perder - uma carreira ministerial lucrativa ou apenas o meio social no qual é alguma coisa especial – continuam cínicos, sem crer, falando sistematicamente, coisas que não tem na alma(mesmo porque também não acreditam nela).

Não creio que estes creiam em nada, pela falta de seu temor. Para mim, ateus que fingem crer são os piores.

21 comentários:

  1. "Amavam citar as atrocidades religiosas cometidas em nome de Deus, omitindo as atrocidades cometidas por ateus, como Stalin (não tinha a menor ideia que esse ateu fora um dos maiores assassinos da História, maior até que Hitler)."

    A única diferença é que as atrocidades religiosas, como vc disse, foram cometidas em nome de Deus e Stalin não cometeu atrocidades em nome do Ateísmo, mas sim da ideologia sociopolítica que pregava!

    ResponderExcluir
  2. "Aprendi todos os argumentos, estudei todos os possíveis elos perdidos (forjados) de uma impossível evolução de um macaco para um homem (por favor; a Ciência é quem declara isso hoje, não eu! Hoje CRÊ-se que a evolução que originou o homem aconteça em saltos, e o tempo necessário para isso acontecer é de milhões de anos, quando o carbono 14 diz que não temos mais de 40.000 anos de existência)."

    Na verdade, se vc realmente estudou, deve perceber que 40.000 anos PODERIA ser a idade o HOMO SAPIENS que na verdade possui comprovadamente entre 400.000 e 600.000 anos. Pesquise antes de afirmar as coisas. O nosso primeiro ancestral reconhecido (O Australupithecus) tem 2,5 milhões de anos de idade. Suas informações estão incorretas. Não sei onde você buscou, mas procure uma fonte mais confiável, tá bem?

    Ps: Existem dezenas de outras formas de trabalhar com datação de fósseis além do carbono 14.

    ResponderExcluir
  3. "Entendi cada falácia, e como elas são capazes de desviar o foco de uma questão, apenas com provocações simples. Descobri que muitos ateus tem um compromisso ferrenho com suas convicções, a ponto de ignorar questões documentadas e sobrenaturais."

    Documentadas e sobrenaturais convergem? Pq algo sobrenatural documentado eu ainda não vi. Gostaria da fonte!

    ResponderExcluir
  4. "E outra: por que tantos ateus se prestam a defender suas teses sobre a inexistência de deus e o quanto ele é cruel? Se não creio em seres fictícios, não gasto tempo me cadastrando em fóruns para desdizer a obesidade de Papai Noel, ou a crueldade dos smurfs que não podem ser azuis pela deformação genética impossível, e que pesquisas recentes, feitas por - qualquer - renomado cientista evolucionista – e ateu - só vem comprovar o que era óbvio: a improbabilidade da existência da Terra Média, e que Gandalf, o renascido mago branco, não passava de uma invenção mesquinha, uma muleta para almas com preguiça de pensar e aceitar a dura realidade de um mundo sem magia."


    A diferença entre seres como Gandalf, Smurfs e Papai Noel é que ninguém realmente os leva a sério ao ponto de interferir em assuntos da ciência e da sociedade em geral enfiando-lhe paradigmas garganta abaixo. A ciência empaca por causa dos religiosos opressores, as pessoas se culpam por não serem bons o suficiente ou n terem fé o suficiente... Enfim... existem muitos benefícios provenientes da religião, mas, acredito que existem muito mais malefícios q a alienação de um dito livro sagrado impõe à sociedade!

    ResponderExcluir
  5. Mas se um ateu diz que uma atrocidade foi cometida em nome de "deus"(com letra minúscula, já que deuses não existem) ela foi feito em nome do quê?

    Foi feito em nome de um smurf?

    Estudando um pouco sobre a inquisição, por exemplo, toda a justificativa em nome de deus, nada mais era que manobras políticas para se manter o atual regime com mão de ferro. Quantos arderam em nome de Deus quando se recusaram a não serem violados por certos boçais?

    A desculpa "deus" sempre é uma boa desculpa. Stalin determinou a execução de milhares de "religiosos" e tentou criar uma nação totalmente livre dessas "crenças". Não seria isso um movimento pró-ateísmo? Uma nação sem religião?

    Independente disso, se um declarado cristão promove chacinas contra grupos rivais, ele não crê realmente no Deus que declara. É só uma manipulação da ideologia sociopolítica que prega...ué? rsrsrsrsr

    ResponderExcluir
  6. "Os ateus que realmente me aborrecem pregam em púlpitos, fingindo que dizem coisas que estão escritas na Bíblia, pedem para que seus ouvintes os obedeçam cegamente, seus egos precisam ser alimentados, seus bolsos, cheios, suas carreiras, reconhecidas."

    Isso se chama preconceito! Você está generalizando o grupo de ateus como um esteriótipo social de capitalista maquinal.

    ResponderExcluir
  7. "Mas se um ateu diz que uma atrocidade foi cometida em nome de "deus"(com letra minúscula, já que deuses não existem) ela foi feito em nome do quê?

    Foi feito em nome de um smurf?"

    ???? - Sério cara? Eu me refiro a Deus com letra maiúscula pq o nome do deus cristão se transformou em Deus mesmo. Portanto, quando digo Deus, me refiro ao nome próprio do ser, como Harry Potter. Não é só pq sei que Harry Potter n existe que vou me referir a ele como "harry potter".

    ResponderExcluir
  8. "Independente disso, se um declarado cristão promove chacinas contra grupos rivais, ele não crê realmente no Deus que declara. É só uma manipulação da ideologia sociopolítica que prega...ué? rsrsrsrsr"

    Eu concordo, ponto é que quando a religião interfere em coisas do estado e da ciência isso não pode dar certo. Por isso sou um ateu que procura conscientizar as pessoas de que o ateísmo é ótimo, sim, é ótimo. Vc não precisa se sentir inferior nem superior a ninguém nem a nada. Enfim, sou contra a religião atuando na mentalidade da sociedade, até pq a religião católica tá meio que um século atrasada em seus preceitos (como o uso da camisinha e outros métodos anticoncepcionais, pesquisa com células tronco embrionárias, etc.)

    ResponderExcluir
  9. "Ateus que fingem crer são os piores" - Quer dizer que os ateus são ruins, mas ateus que fingem crer são os piores, é isso? Cuidado com a discriminação. Eu "finjo" que Deus existe da mesma forma que finjo que Harry Potter existe quando eu converso sobre o assunto com um fã do filme. É como trazer um personagem da ficção para a nossa realidade só por um minutinho para que possamos avaliá-lo e sabermos se podemos gostar ou não dele. No caso de Deus, eu aceito a existência dele no instante em que quero usar argumentos racionais para provar a inconsistência de sua existência. É como se eu dissesse: OK! Deus existe! Mas porque isso e isso acontece, ou isso é paradoxalmente colocado ao lado disso?

    ResponderExcluir
  10. Espero que você exiba os meus outros comentários. Caso contrário vc estará usando de uma artimanha bem sujinha para parecer que vc se sobressaiu a mim nas suas respostas. Obrigado! Forte Abraço!

    ResponderExcluir
  11. Nesse texto você expressou enorme empáfia demonstrando já saber de todos os argumentos ateus, afirmando que são falaciosos e expondo informações desconectas da real ciência. Se vc me permitir eu posso usar alguns argumentos dos quais eu esperarei sua resposta. Aqui está meu e-mail Igorrmed@gmail.com

    ResponderExcluir
  12. Ai, ai...mais essa agora...

    Olá Igor.

    Tava todo animado, achando que meu blog tava bombando e era você de novo, 10 vezes, jogando pedras na janela do blog...rsrsrsr...

    Você quer falácias? Clique <a href="http://ateuatento.wordpress.com/>aqui</a>...rsrsrsr mas vou logo avisando: meu blog não dá retorno, tenta o Genizah, ok?

    No mais, vi no seu site muito tempo dedicado a Deus (ou deus, como outros ateus gostam de escrever. Se quer usar o nome tente Jeová, por exemplo, ou Javé, ou "Eu Sou"). A falácia da amostragem onde mostra a miséria humana na África e o contraste do ouro no Vaticano, por exemplo.

    Ou adhominem como usou aqui, nos comentários...kkkkkkkkkk

    Continuo achando que você pegar matérias do Genizah, por exemplo, e colocá-los no seu site é algo estranho.

    O Paulopes, por exemplo, é um jornalista ateu que dedica todo conteúdo de seu blog a falar sobre religião de uma forma mais política, de maneira mais imparcial.

    Como te disse, esse tipo de assunto me diverte, é um joguete. Você fala da religião interferindo no Estado mas omite o ateísmo assassino citado no post.

    Quer ver coisas estranhas? Sobrenaturais? Se estiver em São Paulo, vá a Mongaguá, na festa de Iemanjá nas viradas de madrugada de frente ao mar, e me explique o que acontece ali.

    Você acha que vou pegar matérias de Internet e postar aqui para que você pegue respostas prontas? rsrsrsrs

    Vá em um centro de Candomblé, entre em um Roncol 21 dias nu e em transe comendo comida podre e me explique como aquilo acontece. Pare de enfrentar crentes e vá brincar com os quimbandeiros...rsrsrsrsr...Só que cuidado: lá eles revidam.

    Os argumentos ateus são os mesmos de vinte anos atrás, vide STR, local que frequentei muito. É sempre um enfrentamento, o contra-argumento do contra-argumento mostrando que prevaleceu. Já vivi isso, não tô afim, Ok? Não é nada pessoal.

    Já ouviu falar em C.S.Lewis?

    Um abraço.

    ResponderExcluir
  13. Cara, vc falou falou e n disse nada! O "ateísmo assassino?" eu n já expliquei a diferença entre um movimento em prol da religião e um movimento em que o Ateísmo é só uma pequena parcela do verdadeiro plano que seria o comunismo ou socialismo! Enfim... vc se nega a entender isso, realmente! Ninguém morre por n ser ateu, morre por não ser socialista e morre por não acreditar em Deus tmb. Vc disse que eu uso falácias no meu blog! realmente, aquilo é conteúdo para ateus e eu não vim aki fazer propaganda! O problema é que eu acho q vc n leu minhas respostas muito bem. pulou tudo oq eu disse e escreveu uma contra-resposta. Eu conheço um pouco de falácias, sei oq é ad hominem, e vc fez muito pior no seu texto, usando de PRECONCEITO! enfim, não vou mais falar pq acho q cê nem tá lendo!

    ResponderExcluir
  14. KKKKKKKKKKKKKKK!!!!!!!!
    Venho nesse blog todo dia.
    Mas alguns dias são bem melhores que outros!!!

    ResponderExcluir
  15. Ôh, Zé Luis, passa esse cara pra mim, vai! É o meu ministério, lembra? Apologética. Indica meu blog pra ele, e eu converso um pouco com ele sobre teísmo e ateísmo. Por favor, deixe ele comigo.

    No mais, adorei o texto, querido. Deus o abençõe!

    Aos vendilhões, o azorrague!

    ResponderExcluir
  16. Concordo com o Claudio! Tá divertidíssimo!!!

    ResponderExcluir
  17. KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK, que merda.

    ResponderExcluir
  18. Já que o Igor gosta tanto de fontes, vamos a elas:
    Carl Sagan, F. H. C. Crick, L. M. Muchin, Communication with Extraterrestrial Intelligence (CETI) de Carl Sagan, ed Cambridge, MA, Mit Press, p45-46.

    Neste livro o renomado Carl Sagan, junto com os outros autores calculam que a probabilidade do homem ter evoluído ao ponto atual é de 1 em 10^2.000.000.000

    Emile Borel, Probabilities and Life, New York, Dover, 1962, cap 1-3

    Calcula que qualquer evento com probabilidade de 1 em 1,0^50 simplesmente não ocorrem.

    Chegue as suas próprias conclusões.

    ResponderExcluir
  19. credo..................

    ResponderExcluir