10 de outubro de 2012

Os 10 números mais significativos da bíblia

Não tem para onde correr: a Bíblia é o livro mais lido do mundo e a simbologia dos números não pode ser ignorada.

Fonte de inspiração para muitos, e para alguns, fonte de revelações e códigos secretos. E por mais que muitos neguem isso, existem símbolos em muitos dos números utilizados ali. A lista abaixo apresentará os 10 números mais significativos encontrados nas Escrituras. Alguns consideram isso como apenas “curioso”, outros ressaltam ser de importância máxima, estando nestes a revelação secreta de acontecimentos futuros.
Tirem suas conclusões:


10º - Um
Nenhuma novidade, obviamente. O número 1, na bíblia, indica apenas uma coisa, o próprio Deus. O único Deus verdadeiro tem em seu primeiro mandamento “Amarás o senhor teu Deus, não terás outros deuses além de mim”(Dt 6:4); onde a adoração a multiplicidade de deuses é condenada, já que o “Um” é suficiente, por ser todo poder, amor e justiça. Apesar da coincidência – já que não era costume na época dividir as escrituras por capítulos e números, a somatória cabalística do capítulo e versículo (6 e 4) é igual a 10, e na redução para um dígito, 1+0... 

Assim como Deus é um, Satanás é entidade individual por si, até o último livro. Sempre que alguém está sozinho no deserto, seja Moisés, Elias, ou Jesus, a presença do Um se manisfesta, até que esse se torne “uno” com aquele que o cultua. Em seus últimos momentos na cruz, Jesus é abandonado, e por levar os pecados do mundo, experimenta a unidade desconectada do Pai, totalmente sozinho(o que representa o momento mais angustiante de sua passagem na Terra). Na verdade, reforça-se que, apesar do cristianismo , o encontro com o Sagrado é pessoal, singular e intransferível.


9º – Vinte e dois
A Bíblia emprega o número “22” de uma maneira especialmente aritmética. Considere a forma perfeita de um círculo. 22 dividido por 7 é uma boa aproximação de PI, a razão entre a circunferência de um círculo com o seu diâmetro. 

Desde a primeira carta, a epístola aos Romanos até Apocalipse, conta-se 22 livros, formando um ciclo canônico perfeito. A Bíblia pode ser dividida em três seções de 22 livros cada (embora isso seja possível apenas nas Bíblias protestantes, com sete livros removidos de seu Canon). A primeira é formada de Gênesis ao Cântico dos Cânticos, o segundo vai de Isaías a Atos, e o terceiro a partir de Romanos a Apocalipse. O primeiro trecho pode ser considerado como representação do Pai, o segundo do Filho, e o terceiro do Espírito. 

Há 22 letras do alfabeto hebraico, e o Salmo 119, o salmo mais extenso, é dividido por esse alfabeto, em 22 partes. 

A Bíblia termina em Apocalipse, capítulo 22. Jesus cita a abertura do Salmo 22, enquanto em agonia na cruz: "Meu Deus, meu Deus, por que me desamparaste?"
A cronologia dos homens desde Adão a Jacó totaliza 22 nomes. Jeroboão reinou por 22 anos.


8º - Quarenta
146 vezes. Esse é o número de vezes que 40 aparece ao longo de ambos os Testamentos. A Bíblia usa 40 para denotar conclusão ou realização, sendo o número hebraico tradicional para a duração de um julgamento de qualquer espécie, quando os tempos são difíceis e a fé de uma pessoa é testada. A descida e escravidão israelita no Egito durou 400 anos, 10 vezes 40. Após a saída dos hebreus do Egito, chegaram a Jericó em 40 dias, e após a rebelião, vagaram no deserto de Sin, em toda a Península do Sinai, por 40 anos, como punição por sua "incredulidade de dura cerviz." "Sin" aqui(que significa pecado), não denota pecaminosidade, mas a palavra hebraica para o deus-lua sumério, a partir da qual "Sinai" é derivado. Moisés tinha 40 anos vezes 3, quando ele morreu, em 120 (Na verdade, com 40 anos, Moisés tentou defender seu povo, mas fugiu após matar um egípcio. Com 80, recebeu o chamado no deserto, e por 40 anos, vagou, até sua morte, com 120).

Moisés ficou 40 dias no Monte Sinai, recebendo a Lei de Deus, mais 40 dias na montanha, após o pecado do bezerro de ouro. Elias, cerca de 300 anos mais tarde, passou 40 dias na mesma montanha adorando a Deus.

Há toneladas de referências a "40 dias e 40 noites" por toda a Bíblia. As mais notáveis ​​são os 40 dias e noites de chuva que causou o dilúvio de Noé. Durante este tempo, o mundo inteiro inundou a uma profundidade de cerca de 15 metros acima das montanhas mais altas. Demorou 375 dias para a água retroceder.

Jesus jejuou durante 40 dias no deserto antes de ser tentado por Satanás. Jesus permaneceu na Terra por 40 dias após a Ressurreição, aparecendo aos Apóstolos e ensinando-lhes, antes de subir para o céu. No momento da sua Ascensão, havia cerca de 120 cristãos na Terra, ou 40 vezes 3.

Foi cerca de 40 anos a partir da Ascensão de Jesus à destruição de Jerusalém, no ano 70, pelos romanos, no episódio conhecido como Massada.

No original grego koiné, como registrado no Sinaiticus e Vaticanus códices, os mais antigos manuscritos completos do Novo Testamento (c. 200-250 dC), Jesus pronuncia a palavra "cumprir" em alguma variação ou outros, precisamente 40 vezes ao longo do Evangelhos.


7º - Doze

12 é similar ao uso do 3, 10 e 40. Indica uma espécie de totalidade.

O mais óbvio exemplo são as 12 tribos de Israel, mencionada muitas vezes na Bíblia. O livro de Apocalipse incorpora o uso de múltiplos de 12 por diversas vezes. Após o início da Tribulação, cristãos se prepararão para o arrebatamento, livrando-se dos horrores desses tempos. 144.000 pessoas, 12.000 de casa tribo, convertidos ao Cristianismo, serão martirizados durante o governo do anti-Cristo. A nova Jerusalém, a cidade santa, é descrita com muros com 144 côvados, simbolizando as 12 tribos e os 12 apóstolos. Internamente, há a árvore da vida, que dá 12 tipos de fruto.

Daniel também cita os tempos do fim, tendo 12 capítulos em seu livro. Em Daniel 12:12 está escrito:
"Bem-aventurado é o que espera, e chega aos mil e trezentos e trinta e cinco dias."
Somando-se os dígitos do ano, 1,3,3 e 5, obtem-se 12.


6º - Quatro

12 é na verdade, um resultado entre 3 e 4, e tão comum quanto 10. Todos esses possuem a mesma característica.

Das 12 tribos de Israel, a linhagem de Jesus remonta a Judá, a quarta tribo. Há quatro grandes profetas da escrita, Isaías, Jeremias, Ezequiel e Daniel. Há 12 profetas menores da escrita (ver n º 7), ou 4 vezes 3: assim, três formas diferentes para indicar a totalidade das profecias do Antigo Testamento.

Há quatro cavaleiros do Apocalipse, quatro anjos que estavam prontos para os quatro cantos da Terra.

Quatro Evangelhos, quatro seres viventes em Ezequiel, Daniel e Apocalipse. Há quatro pontos de cruz, o que é mais importante do que você pode-se pensar, pois a cruz típica da época era um poste único, vertical, chamada de crux simplex, ou uma cruz Tau, com o nome da capital grega T. O uso de traves transversais nas cruzes eram desnecessárias,  a menos que algo precisasse ser adicionado acima da cabeça do condenado, e tais cartazes só eram usados em execuções de pessoas célebres.


5º - Dez
Os casos em que o número 10 mostra-se são numerosos demais para se listar. Além dos Dez Mandamentos, há um total de 603 outros mandamentos, para um total de 613. Esses números (6+1 +3= 10).

10 é um número psicologicamente satisfatório. Nós não nos importamos tanto para listas de 9 ítens, mas buscamos as de 10. Temos 10 apêndices sobre as extremidades de nossas mãos e pés. Por isso, é natural que 10 seja um número importante na Bíblia. Ele indica conclusão, tal como 4, 12, 3 e 40.

Noé foi o 10º patriarca antes do dilúvio. João 3:16 é a tese de toda a Bíblia. É a imagem de espelho do número de leis do Antigo Testamento, e  seus dígitos somam 10. Deus promete não destruir Sodoma e Gomorra se existirem em toda a população10 justos.

Jesus realizou um total de 37 milagres através dos Evangelhos(3+7=10). No original grego, ele diz alguma variação da palavra "cumprir" 10 vezes em cada Evangelho. Ele cita Deuteronômio mais do que qualquer outro livro do Antigo Testamento, 46 vezes. 4 mais 6 é igual a 10.


4º - Seis
A Bíblia usa o número 6 para indicar imperfeição. A semana oferece seis dias de trabalho, mas Deus a completa com um dia a mais, mesmo sendo de descanso, para torná-la perfeita em seu ciclo.
O número mais conhecido na Bíblia, é claro, 666, simboliza a trindade profana. Satanás está sozinho  até os eventos do Apocalipse. Ele é a antítese do Espírito Santo, pois é o espírito de Satanás que tem o controle das duas bestas. Um deles é o Anticristo, a antítese de Deus, e o outro é o Falso Profeta, a antítese de Jesus. Como cada uma dessas entidades é imperfeita, é representado pelo número 6, enquanto a Santíssima Trindade é 777. É interessante notar que há 66 livros da Bíblia King James, podendo-se, desse ponto de vista, considerar-se incompleta.

3º - Três
Eis o número da trindade, é claro, indicando-se assim totalidade, mas pode indicar também equíbrio interior. Dos 12 apóstolos de Jesus, ele tem afinidade maior com 3 deles mais do que o resto. Pedro, e os irmãos João e Tiago. A esses foi autorizado testemunhar sua Transfiguração, diante de outro exemplo trino, quando ele resplandece diante de Moisés e Elias.

Samuel é chamado por três vezes pelo Senhor antes que perceba e respostas. Satanás tenta Jesus por 3 vezes. É no terceiro dia da criação que é feita a Terra. O placa na cruz é escrita em três línguas. Jesus ressuscitou três pessoas dentre os mortos, Lázaro, filho de uma viúva, a filha de um homem chamado Jairo.

Embora a Bíblia não diga quantas chibatadas Jesus sofreu, a Lei de Moisés exigia 40 menos 1. 40 foi considerada suficiente para matar um homem, então um chicote foi subtraído. 3 mais nove é igual a 12, 3 vezes 9 é igual a 27 (ver item seguinte). 3 ao quadrado é 9. 39 é também o número de livros no Antigo Testamento.

Três anjos citadas na Bíblia: Miguel, Gabriel e Lúcifer*. Jesus, pela tradição, tinha cerca de 33 anos quando foi crucificado. Foi pregado na cruz na terceira hora do dia, e durou até a nona. Ele ressuscitou dos mortos no terceiro dia, assim como Jonas esteve no ventre de um grande peixe por 3 dias.

Segundo a tradição, Jesus caiu sob a cruz três vezes quando percorria a chamada Via Dolorosa.

*Nota desse editor: Na verdade, não existe o nome Lúcifer na Bíblia, a chamada estrela da alva, ou portador da luz, ganha esse nome através de uma tradução do latim efetuda por Jerônimo no século III, no livro do profeta Isaías.


2º - Sete
A Bíblia usa o número 7 como símbolo de perfeição, sendo 7 e 14 inseparáveis nisso. De Deus é dito ser possuidor de 7 Espíritos, diante de 7 lâmpadas. O candelabro de sete velas (menorah) está sobre o Tabernáculo em Êxodo e Deuteronômio e é analogia aos sete Espíritos de Deus.

Noé levou os animais limpos para a arca em conjuntos de 7 pares de cada espécie. Os animais imundos foram salvos com pares únicos. Josué levou a arca com os israelitas por 7 vezes em torno de Jericó.
Apocalipse foi escrito e enviado para os sete principais igrejas da Ásia Menor. A Tribulação vai durar 7 anos.
Há 31.102 versículos da Bíblia Saint James(3+1+ 1+2=7). Não existem 777.777 palavras da Bíblia Saint James, mas está perto, em 774.746. Existem três "7", e o restante adiciona-se a 14. 774 menos 746 é igual a 28, que é sete vezes 4. Qual versículo fica exatamente no meio da Bíblia? Uma vez que existe um número par, existem dois:. Estão em Salmos 103: 1 e 2, os mesmos dígitos do número total de versos. Estes dois versos têm um total de 28 palavras, 7 vezes 4.  Os dois versos efetivamente espelho uns dos outros.

A primeira frase do primeiro versículo do Antigo Testamento, no original hebraico, tem 7 palavras. A primeira frase do primeiro versículo do Evangelho de Marcos, que foi o primeiro a ser escrito, tem 7 palavras. Existem 7.957 versículos do Novo Testamento. 7 + 9 + 5 + 7 é igual a 28, ou quatro 7s.
1º - Vinte e um

A profecia de Isaías sobre a vinda do Messias é explícita no capítulo 7, versículo 14: "Eis que a virgem conceberá e dará à luz um filho." 14 é duas vezes sete, e os dois somam 21.

Há 14 gerações, desde Abraão até Davi, 14 de Davi para o exílio Baylonian dos judeus, e 14 de lá para Jesus, repentido-se por 3 vezes.: 3 séries de 14, ou 42, duas vezes 21.

Há 21 capítulos no Evangelho de João. Há três epístolas de João, com 5, 1 e 1 capítulos, respectivamente. Somando-se, encontra-se 7, 3 vezes epístolas é igual a 21. No Apocalipse, que muitos acreditam ter sido escrito pelo mesmo João, há três dispensações da ira de Deus, primeiro sete selos, em seguida, sete trombetas, então sete taças da ira. 7 vezes 3 é igual a 21.

"Deus" ou "Senhor" aparece na Bíblia King James um total de 10.875 vezes. 1 mais 8 mais 7 mais 5 é igual a 21, ou 7 vezes 3.

Há 22 capítulos do Apocalipse, e no último capítulo não contém qualquer tipo de violência. Esse capítulo é o rescaldo final absoluto de tudo, descrevendo apenas a perfeição da vida na Nova Jerusalém, o Céu na Terra, com Deus e com Jesus reinando no centro da cidade, onde a morte e a dor já não tem domínio, e nunca mais terão. Assim, os 21 capítulos anteriores podem ser vistos como a totalidade do juízo de Deus contra os injustos, e punição e destruição do mal, seguido pelo número 1, um único capítulo tudo por conta própria ", um novo começo." O capítulo 22 termina no versículo 21: "A graça de nosso Senhor Jesus Cristo seja com todos vós. Amém ".



Apenas por curisidade, há uma teoria de que William Shakespeare ajudou a traduzir partes da Bíblia Saint James. Não se sabe se ele era fluente em hebraico, mas suas peças mostram várias frases em latim, grego e francês. A teoria baconiana que Shakespeare não escreveu suas novelas trabalha com a premissa de que ele é conhecido por ter apenas o ensino da gramática, e não teria tido conhecimento multilingue, ou filosófico. Isto é, evidentemente, uma analogia obviamente falsa.

De qualquer maneira, a ausência de Shakespeare a partir das listas de tradutores oficiais e acadêmicos parece evidente à luz de sua estatura literária, e do fato de que a Bíblia King James foi publicada em 1611, no auge de sua genialidade dá evidências dessa inclusão. Hamlet foi publicado por volta de 1602-1603, Rei Lear, em 1605-06, Macbeth em 1606, Cymbeline e A Tempestade, em 1610-1611. Em 1610, quando equipes de tradução do rei James estavam trabalhando no hebraico, aramaico e textos de origem grega, Shakespeare tinha 46 anos de idade. Acredita-se que ele, pessoalmente, traduziu o Salmo 46, possivelmente a mando do rei James, ou a pedido dos tradutores, por respeito ao brilho poético de Shakespeare.

A 46º palavra do Salmo 46 (da tradução em inglês é "shake"(sacudir, abalar) A partir dessa palavra, na 47ª palavra (versículo 9) encontra-se a palavra "Speare"(lança), possivelmente indicando que Shakespeare faria 47 no momento em que a Bíblia King James seria concluída.