Postagens

Mostrando postagens de Abril, 2016

Testemunhos estranhos - relatos anônimos.

Imagem
Pode ser que este seja apenas um conto fictício. Talvez seja algo enviado por alguém que vive esse dilema de bastidores e resolveu compartilhar o relato.  A intenção não é julgar. Apenas apresentar o episódio e, quem sabe, o leitor tenha soluções a propor. “O que eu quero é que meu marido tenha um pênis grande, pastor” – contou ele a esposa, logo após o jantar, quando as crianças já estavam em um sono pesado. Era mais um dia no escritório pastoral. A pedido do marido da mulher que fez a declaração acima, o pastor chamou o casal, membros assíduos de sua igreja, para aconselhamento. Seria mais uma tentativa de reconciliar aquele casamento em vias de separação. A esposa irredutível, diante dos argumentos do líder espiritual, de que Deus tudo poderia mudar como tinha feito com diversos, proferiu a sentença acima. Ela queria algo que as orações não podiam dar. Acreditava que a plenitude de sua sexualidade só podia ser alcançada daquela forma. - Não é culpa dele, pastor. Mas ele

Perdendo minha religião - um comentário.

Imagem
Após postar essa música em meu perfil pessoal, “Loosing my Religion”, R.E.M., gravada em 1991, comentei sobre a profundidade da letra na legenda e um amigo acabou questionando a que profundidade me referia. Talvez a letra fale mais comigo por conta da minha experiência pessoal com o assunto “religião”. Um dia você levanta. Um dia como outro qualquer. Uma quinta ou terça. Tanto faz. Mas... Percebe que algo já não cabe mais na sua alma, e não entende bem o que é. Você cresceu cercado de informações e crenças, costumes e hábitos, e não há razão para serem confrontados. Mas o são. De forma involuntária tudo aquilo é colocado em um banco de réus. Todo o sistema religioso, suas crenças e seus porquês perdem – de uma hora para outra - o sentido, a ponto de ficarem irremediavelmente obsoletos. A canção fala sobre essa constatação quando, com todo cuidado, o interprete confessa que a fé dentro dos parâmetros ensinados não tem mais poder sobre ele. Acuado, como no can